Santo do dia e oração - São Dâmaso I

Não sabemos ao certo se Dâmaso nasceu na Espanha ou em Roma. O certo que que era um homem culto e instruído e que ocupou a cadeira papal entre os anos de 366 até 384. Era um firme defensor da fé e sua postura deu credibilidade ao papado.

Sua eleição não foi tranqüila, mas quando assumiu o governo da Igreja possibilitou o florescimento de ritos, orações e pregações durante seu mandato. Devem-se a ele, por exemplo, os estudos para a revisão dos textos da bíblia e a nova versão em latim feita pelo depois Santo Jerônimo, seu secretário.

Dâmaso conviveu com grandes destaques do cristianismo, como santo Ambrósio, Agostinho e Jerônimo. Era também um poeta inspirado pelas orações e cânticos antigos. Graças a ele as catacumbas foram recuperadas, com o próprio Papa percorrendo-as para identificar os túmulos dos mártires e dar-lhes as devidas honras.

Dâmaso escolheu pessoalmente o túmulo no qual gostaria que fossem depositados seus restos mortais. Na Cripta dos Papas, localizada nas Catacumbas de São Calisto, ao término dos seus escritos em honra deles, deixou registrado: “Aqui, eu, Dâmaso, gostaria que fossem depositados meus espólios. Mas temo perturbar as piedosas cinzas dos mártires”.

Morreu em 384 com quase oitenta anos de idade.

Reflexão:

Este Papa deu o melhor de si para manter viva a verdadeira religião católica, fazendo com que houvesse uma maior popularização dos ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo. Restaurou catacumbas, organizou as relíquias dos mártires do cristianismo assim que o Império deixou de perseguir os cristãos. Grande foi o seu amor pela vossa Igreja, tudo fazendo para que ela se mantivesse unida em torno de uma mesma fé.

Oração:

Deus, nosso Pai, celebramos hoje a memória do papa São Dâmaso. Fazei que nos descubramos como um povo comprometido convosco, com o vosso Reino e comprometidos com os nossos irmãos e com todo homem. Que o Vosso Espírito de Amor nos faça entender que somos chamados a viver em comunhão, ou seja, em união convosco em Jesus vosso Filho ressuscitado.

Colaboração: Padre Evaldo César de Souza, CSsR