Liturgia diária 15 de fevereiro de 2016

Na liturgia diária fazemos um encontro pessoal com Deus nos colocando a disposição para ouvir seus ensinamentos.

Para bem nos preparar invoquemos a presença do Espírito Santo: 

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

ORAÇÃO DO DIA

Pai, coloca no meu coração um amor entranhado pelos que são teus preferidos. É por meio deles que chegarei a ti.

PRIMEIRA LEITURA: Lv 19,1-2.11-18

Leitura Livro do Levítico – 1O Senhor falou a Moisés, dizendo: 2“Fala a toda a comunidade dos filhos de Israel, e dize-lhes: Sede santos, porque eu, o Senhor vosso Deus, sou santo.
11Não furteis, não digais mentiras, nem vos enganeis uns aos outros. 12Não jureis falso por meu nome, profanando o nome do Senhor teu Deus. Eu sou o Senhor.
13Não explores o teu próximo nem pratiques extorsão contra ele. Não retenhas contigo a diária do assalariado até o dia seguinte. 14Não amaldiçoes o surdo, nem ponhas tropeço diante do cego, mas temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor. 15Não cometas injustiças no exercício da justiça; não favoreças o pobre nem prestigies o poderoso. Julga teu próximo conforme a justiça.
16Não sejas um maldizente entre o teu povo. Não conspires, caluniando-o, contra a vida do teu próximo. Eu sou o Senhor. 17Não tenhas no coração ódio contra teu irmão. Repreende o teu próximo, para não te tornares culpado de pecado por causa dele.
18Não procures vingança, nem guardes rancor aos teus compatriotas. Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor”. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 18

— Ó Senhor, vossas palavras são espírito e vida!
— Ó Senhor, vossas palavras são espírito e vida!

— A lei do Senhor Deus é perfeita, conforto para a alma! O testemunho do Senhor é fiel, sabedoria dos humildes.

— Os preceitos do Senhor são precisos, alegria ao coração. O mandamento do Senhor é brilhante, para os olhos é uma luz.

— É puro o temor do Senhor, imutável para sempre. Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

— Que vos agrade o cantar dos meus lábios e a voz da minha alma; que ela chegue até vós, ó Senhor, meu Rochedo e Redentor!

EVANGELHO: Mt 25,31-46

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
31“Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso. 32Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda. 34Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! 35Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; 36eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’. 37Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? 38Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? 39Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?’ 40Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo, que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’ 41Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. 42Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; 43eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não fostes me visitar’. 44E responderão também eles: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?’ 45Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!’ 46Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Que perguntas serão feitas na prova final, a prova definitiva pela qual todos passaremos, mesmo os que não creem que ela exista, a prova do fim dos tempos, talvez incertos, mas do tempo certo da nossa morte? Você morre e diz que tudo acabou. Se tudo acabou, não resta mais nada. Se não acabou, vão lhe fazer perguntas. Posso saber quais serão as tais perguntas para preparar a resposta? Sim, pode, responde o evangelista São Mateus. Todos estarão diante do juiz que dirá a alguns: Venham comigo para a grande festa da eternidade. E a outros: Afastem-se de mim, vão para junto do amigo de vocês para quem vocês trabalharam, o diabo no inferno. Por que, Senhor? Por que vou para a festa, por que vou para o inferno? Quando eu tive fome, você me deu de comer? Quando eu tive sede, me deu de beber? Você me vestiu quando eu estava nu? Nunca vi o senhor. É claro que o teria feito se nos tivéssemos encontrado na terra. Algumas pessoas, muitas certamente, dirão em voz baixa: Fiz isso para muita gente, mas não me lembro de ter feito para ele. Sabe aquela flor, maria-sem-vergonha da estrada? O Zé ninguém da calçada? Era eu.
Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Estamos iniciando uma nova semana, a primeira da Quaresma, e a Palavra de hoje nos traz um convite para o banquete de um Rei, que nos diz: “Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo!”
Peçamos ao Espírito Santo a graça de acolher os ensinamentos de Jesus e de participar de seu banquete: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Amém!”

Leitura (Verdade)

Leia o texto pausadamente. Depois, leia-o novamente e procure perceber quais personagens aparecem nele. Qual é o tema central? Quais são as palavras de Jesus?
Observe que estamos diante de um texto que nos apresenta o Filho do Homem exercendo o julgamento. Aqui, Jesus é comparado a um Rei (que se assentará em seu trono glorioso) e a um pastor (que separará as ovelhas dos cabritos). Temos no texto duas sentenças: uma com um sentido positivo – que se inicia com o “Vinde, benditos de meu Pai!” (Mt 25,34-36) – e uma com um sentido negativo – “Afastai-vos de mim, malditos!” (Mt 25,41-43). As palavras “fome/comer”, “sede/beber”, “forasteiro/acolher”, “nu/vestir”, “doente/visitar” e “preso/visitar” aparecem diversas vezes, tanto na sentença positiva quanto na negativa. O mesmo acontece com a frase “todas as vezes que fizestes isso a um destes mais pequenos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes!”, na sentença positiva, e “todas as vezes que não fizestes isso a um desses mais pequenos, foi a mim que o deixastes de fazer!”, na sentença negativa. Ou seja, há uma diferença muito clara entre “benditos” e “malditos”. Observe com atenção, também, a força das palavras “mais pequenos”, “meus irmãos” e “foi a mim”. Agora, leia o texto mais uma vez e, além dos elementos destacados, procure localizar outros que você considera importantes.

Meditação (Caminho)

Relacione o texto do Evangelho aos dias atuais. Que mensagem Jesus transmite com suas atitudes, seus gestos e suas palavras? O que revela de si? Quem são os famintos, sedentos, forasteiros, nus, doentes, presos, pequenos, irmãos? Sendo um julgamento escatológico, é importante termos presente que Jesus coloca como critério de salvação o reconhecê-lo na pessoa do irmão sofredor, o reconhecê-lo na figura do próximo necessitado, o reconhecê-lo presente nos sedentos, forasteiros, doentes, pequenos, excluídos… A comunhão com os irmãos “mais pequenos” é a comunhão com o próprio Jesus. O texto faz um forte apelo a viver a caridade e a promoção da vida.

Oração (Vida)

Apresente ao Senhor a sua oração. Traga presente, também, tantos homens, mulheres, crianças, jovens e idosos necessitados de pão, saúde, segurança, consolo, sentido para a vida, trabalho, dignidade, respeito… Agradeça pelas pessoas que, com muito amor e generosidade, vão ao encontro de seus irmãos necessitados, aliviando seus sofrimentos e revelando-lhes o rosto misericordioso de Deus. Reze pelas pastorais sociais da Igreja, comprometidas com a promoção e a valorização da vida.
Conclua com a oração da Campanha da Fraternidade: “Deus da Vida, da justiça e do amor, Tu fizeste com ternura o nosso planeta, morada de todas as espécies e povos. Dá-nos assumir, na força da fé e em irmandade ecumênica, a corresponsabilidade na construção de um mundo sustentável e justo, para todos. No seguimento de Jesus com a alegria do Evangelho. Amém” (Fonte: CONIC).

Contemplação (Vida e Missão)

O serviço, a doação, a solidariedade e a comunhão com nossos irmãos necessitados são frutos da ação salvífica de Deus acontecendo no coração humano. De que maneira esta passagem me compromete? O que ela está me pedindo?

Bênção

– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.