Liturgia diária 09 de abril de 2016

Na liturgia diária fazemos um encontro pessoal com Deus nos colocando a disposição para ouvir seus ensinamentos.

Para bem nos preparar invoquemos a presença do Espírito Santo: 

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

ORAÇÃO DO DIA

Pai, em meio às tempestades, faze-me compreender que o Ressuscitado caminha comigo, incentivando-me a não temer e a permanecer firme no rumo traçado por ele

PRIMEIRA LEITURA:  At 6,1-7

Leitura dos Atos dos Apóstolos – 1Naqueles dias, o número dos discípulos tinha aumentado, e os fiéis de origem grega começaram a queixar-se dos fiéis de origem hebraica. Os de origem grega diziam que suas viúvas eram deixadas de lado no atendimento diário.
2Então os Doze Apóstolos reuniram a multidão dos discípulos e disseram: “Não está certo que nós deixemos a pregação da Palavra de Deus para servir às mesas. 3Irmãos, é melhor que escolhais entre vós sete homens de boa fama, repletos do Espírito e de sabedoria, e nós os encarregaremos dessa tarefa. 4Des­­se modo nós poderemos dedicar-nos inteiramente à oração e ao serviço da Palavra”.
5A proposta agradou a toda a multidão. Então escolheram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo; e também Filipe, Prócoro, Nicanor, Timon, Pár­menas e Nicolau de Antioquia, um pagão que seguia a religião dos judeus. 6Eles foram apresentados aos apóstolos, que oraram e impuseram as mãos sobre eles.
7Entretanto, a Palavra do Senhor se espalhava. O número dos discípulos crescia muito em Jerusalém, e grande multidão de sacerdotes judeus aceitava a fé

SALMO 32

— Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos!
— Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos!

— Ó justos, alegrai-vos no Senhor! Aos retos fica bem glorificá-lo. Dai graças ao Senhor ao som da harpa, na lira de dez cordas ce­lebrai-o!

— Pois reta é a palavra do Senhor, e tudo o que ele faz merece fé. Deus ama o direito e a justiça, transborda em toda a terra a sua graça.

— O Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, e que confiam esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria

EVANGELHO: Jo 6,16-21

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

16Ao cair da tarde, os discípulos desceram ao mar. 17Entraram na barca e foram em direção a Cafarnaum, do outro lado do mar. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha vindo ao encontro deles.
18Soprava um vento forte e o mar estava agitado. 19Os discípulos tinham remado mais ou menos cinco quilômetros, quando enxergaram Jesus, andando sobre as águas e aproximando-se da barca. E ficaram com medo.
20Mas Jesus disse: “Sou eu. Não tenhais medo”. 21Quiseram, então, recolher Jesus na barca, mas imediatamente a barca chegou à margem para onde estavam indo.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

“Sou eu. Não tenham medo!” Descem os discípulos em direção ao lago. Entram no barco e navegam. Está escuro. Sopra um vento forte e o mar se agita. Não estão fugindo da face do Senhor, como fez o profeta Jonas, que desceu a Jafa, entrou no barco e provocou uma tempestade no mar. Mas o vento era forte e o mar agitado. Jesus ainda não tinha vindo a eles. Quando veio andando sobre as águas, ficaram com medo. A cena é estranha. Além da agitação das águas, o que já era assustador, ainda veem Jesus andando sobre elas. Ficaram com medo até ouvirem a voz: “Sou eu. Não tenham medo!”. Nem houve tempo para recolher Jesus no barco, que logo atingiu a terra firme. Jonas fugia da face de Deus e a encontrou no fundo das águas.
Estes apóstolos encontram Jesus por cima das águas. Não sabemos em que águas navegamos, se estamos à deriva ou naufragamos, se a terra firme está distante ou já se atinge. Voz do Senhor sobre as águas: “Sou eu. Não tenham medo!”. O povo atravessou o mar para celebrar a Páscoa no deserto. As águas se abriram. Em qualquer agitação, fique sereno. Creia que ele está por perto. Queriam receber Jesus no barco, e nem isso conseguiram. Além do medo há ainda um constrangimento. Estão todos em terra firme, à espera de outros perigos.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Os discípulos, em meio às ondas agitadas do mar, tomam consciência da presença de Jesus, sempre solidário e protetor, acolhem suas palavras encorajadoras – “Sou eu. Não tenhais medo!” – e seguem adiante sem desanimar. Que a Palavra de Deus renove em nós a fé e nos ajude a enfrentar as adversidades da vida, enquanto depositamos nossa confiança no Senhor.
Rezemos: “Divino Espírito Santo, necessitamos muito de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir. Temos necessidade de vós, para que o nosso coração, inundado pela vossa consolação, se abra e para que, muito além das palavras e dos conceitos, possamos perceber a vossa presença. Iluminai a nossa mente, movei o nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém”.

Leitura (Verdade)
O que diz o Evangelho? Leia-o pausadamente. Qual é o contexto da narrativa? Qual tema o evangelista deseja abordar? Além de “noite” e “escuridão”, quais palavras simbólicas você identifica no texto?
Depois que a multidão foi saciada, Jesus, percebendo que queriam levá-lo para proclamá-lo rei, se retirou sozinho para a montanha. Ao anoitecer, os discípulos entraram no barco e foram na direção de Cafarnaum. Supõe-se que estavam aguardando o Senhor, para irem juntos, mas “Jesus ainda não tinha vindo a eles”. O evangelista ainda destaca que era noite e estava escuro, dois elementos que mostram a ausência de Jesus entre seus discípulos.
O movimento agitado das águas, longe de ser algo que apenas dificulta a travessia dos discípulos ou a caminhada de Jesus sobre as águas, significa, na Bíblia, as forças malignas e a morte. São forças que somente Deus vence. Ou seja, Jesus caminha sobre as águas porque venceu a morte, triunfou.
Os discípulos avistam Jesus andando sobre as águas, aproximando-se do barco, e ficam com medo. No mesmo relato, de Mt 14,22-33, vemos que os discípulos ficam assustados porque pensam ser um fantasma: “Quando os discípulos o viram andando sobre o mar, ficaram apavorados e disseram: ‘É um fantasma’. E gritaram de medo. Mas Jesus logo lhes falou: ‘Coragem! Sou eu. Não tenhais medo!’”. Aqui, o medo surge diante da aparição surpreendente de Jesus, que percebe o temor nos discípulos e os encoraja: “Sou eu. Não tenhais medo!”. Eles não precisam mais temer a noite, a escuridão, o mar agitado pelos ventos, pois Jesus está com eles.

Meditação (Caminho)
O que o texto lhe diz? Leia-o novamente e repita as palavras que chamaram sua atenção. Quais águas agitadas você precisa enfrentar? Jesus está no barco com você? Você reconhece o Senhor que se aproxima do barco e confia em suas palavras: “Sou eu. Não tenhais medo”?
Para reconhecermos a presença do Senhor nos momentos difíceis da vida, necessitamos de muita fé. Mas nós não precisamos temer, porque o Ressuscitado está no nosso meio, junto de nós. Que possamos sempre acolher suas palavras encorajadoras: “Sou eu. Não tenhais medo!”, sobretudo nos momentos de dificuldade e temor.

Oração (Vida)
Prece a Cristo Ressuscitado
“Jesus Cristo Ressuscitado, que rompes as cadeias da morte e estás acima das categorias de tempo e espaço, ensina-nos que morrer não é o fim, mas passagem para a vida eterna. Aumenta nossa fé, fortalece nossa esperança e incentiva-nos à prática da caridade. Tu, que aos apóstolos reunidos no cenáculo ofereces o dom da paz, vem visitar nossos lares, afasta de nós todo tipo de vício, falta de respeito e violência e ajuda-nos a manter um clima de compreensão e diálogo renovador.
“Abençoa, Senhor Jesus, as famílias do mundo inteiro. Cuida de nossas crianças e jovens, move os governantes a defender os interesses do povo, criando mais empregos e melhores condições de saúde e segurança. Que todos nós, seguidores de Jesus Ressuscitado, possamos unir nossas forças e inteligência para a construção de uma sociedade fraterna, em que todos vivam como irmãos e amigos. “Acolhe nossa prece, ó Cristo Ressuscitado, tu que vives com o Pai na unidade do Espírito Santo. Amém.”
(Oração composta pelo Pe. Luiz Miguel Duarte, sacerdote paulino)

Contemplação (Vida e Missão)
A Palavra de Deus encontrou sintonia em sua vida? Qual apelo ela desperta em seu coração?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.