Liturgia diária 24 de fevereiro de 2016

Na liturgia diária fazemos um encontro pessoal com Deus nos colocando a disposição para ouvir seus ensinamentos.

Para bem nos preparar invoquemos a presença do Espírito Santo: 

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

ORAÇÃO DO DIA

Pai, transforma-me em servidor de meus semelhantes, fazendo-me sempre pronto a doar minha vida para que o teu amor chegue até eles.

PRIMEIRA LEITURA:  Jr 18,18-20

Leitura do Livro do Profeta Jeremias – Naqueles dias, 18disseram eles: “Vinde para conspirarmos juntos contra Jeremias; um sacerdote não deixará morrer a lei; nem um sábio, o conselho; nem um profeta, a palavra. Vinde para o atacarmos com a língua, e não vamos prestar atenção a todas as suas palavras”.
19Atende-me, Senhor, ouve o que dizem meus adversários. 20Acaso pode-se retribuir o bem com o mal? Pois eles cavaram uma cova para mim. Lembra-te de que fui à tua presença, para interceder por eles e tentar afastar deles a tua ira. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 30

 — Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!
— Salvai-me pela vossa compaixão, ó Senhor Deus!

— Retirai-me desta rede traiçoeira, porque sois o meu refúgio protetor! Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, porque vós me salvareis, ó Deus fiel!

— Ao redor, todas as coisas me apavoram; ouço muitos cochichando contra mim; todos juntos se reúnem, conspirando e pensando como vão tirar-me a vida.

— A vós, porém, ó meu Senhor, eu me confio, e afirmo que só vós sois o meu Deus! Eu entrego em vossas mãos o meu destino; libertai-me do inimigo e do opressor!

EVANGELHO: Mt 20,17-28

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 17enquanto Jesus subia para Jerusalém, ele tomou os doze discípulos à parte e, durante a caminhada, disse-lhes: 18“Eis que estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos sumos sacerdotes e aos mestres da Lei. Eles o condenarão à morte, 19e o entregarão aos pagãos para zombarem dele, para flagelá-lo e crucificá-lo. Mas no terceiro dia ressuscitará”.
20A mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com seus filhos e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido. 21Jesus perguntou: “Que queres?” Ela respondeu: “Manda que estes meus dois filhos se sentem, no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda”. 22Jesus, então, respondeu-lhes: “Não sabeis o que estais pedindo. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?” Eles responderam: “Podemos”. 23Então Jesus lhes disse: “De fato, vós bebereis do meu cálice, mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. Meu Pai é quem dará esses lugares àqueles para os quais ele os preparou”.
24Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram irritados contra os dois irmãos. 25Jesus, porém, chamou-os, e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. 26Entre vós não deverá ser assim. Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; 27quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo. 28Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Quaresma, tempo de repensar a dominação. Para onde vamos? Jesus chamou os Doze de lado e disse-lhes: Estamos subindo para Jerusalém. Sim, mas lá Jesus será entregue aos saduceus e aos escribas. Vai ser entregue também aos pagãos, vão zombar dele, açoitá-lo, matá-lo na cruz. No terceiro dia, ele ressuscitará. Esta última frase quase não se ouve. As primeiras, sim, mas não são compreendidas. Aí está a mãe de Tiago e João pedindo os primeiros lugares para seus filhos no Reino de Jesus. Os outros apóstolos reagem porque foram deixados para trás. Jesus, porém, diz a todos com voz firme: Entre vocês não será assim! Não será como no mundo onde tudo se faz com dominação e poder. Procurem o último lugar, o lugar do servidor. Que pressa em dizer que podem beber o cálice, só para terem o primeiro lugar! Vão sim beber um cálice, mas que não tem nada a ver com o primeiro lugar.
Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

“Podeis beber o cálice que eu vou beber?” Essa é a pergunta que Jesus faz aos filhos de Zebedeu no Evangelho de hoje.
Neste momento de oração, recolhamo-nos diante de Jesus Palavra. Peçamos ao Espírito Santo que abra o nosso coração, para que acolhamos e entendamos qual é a suavontade para a nossa vida.

Leitura (Verdade)

O diz o Evangelho? Leia o texto pausadamente e identifique os personagens e as ações de cada um. Quais as palavras de Jesus? Qual é a sua mensagem central?
Observe que no texto, enquanto Jesus subia para Jerusalém com os doze e lhes falava sobre o que ia acontecer com o Filho do Homem, a mãe dos filhos de Zebedeu se aproximou dele e lhe pediu que seus dois filhos se sentassem, em seu Reino, um à sua direita e o outro à sua esquerda. Jesus perguntou-lhes: “Podeis beber o cálice que eu vou beber?” Eles responderam que sim, e Jesus retrucou que, na verdade, até podiam fazê-lo, mas não cabia a Ele lhes conceder esses lugares, mas sim ao Pai. No decorrer da leitura, você perceberá que Jesus chama atenção para os lugares de honra e pede aos discípulos que não os cobicem: “Quem quiser ser o maior entre vós, seja aquele que vos serve”.

Meditação (Caminho)

“Quem quiser ser o maior entre vós, seja aquele que vos serve.” Releia o texto e veja o que ele lhe fala. Este momento é seu e da Palavra de Deus. Ele fala, e você o escuta. Ouça o que Ele tem a lhe dizer, mas lembre-se de que Ele também deseja uma resposta: seu seguimento como discípulo(a). Recorde as palavras ou as ações do texto que mais lhe chamaram atenção. Esteja atento(a) e coloque-se a serviço do irmão que necessita.

Oração (Vida)

Depois de tudo que você viveu com a Palavra, esta é a hora em que você apresenta ao Senhor a sua vida e as suas preces. Fale para Ele o que se passa em sua mente e em seu coração. O Senhor já lhe falou, e agora você já sabe o que pedir ou pelo que agradecer.
Peça a Deus por si mesmo(a), mas lembre-se dos irmãos e irmãs que sofrem. Comece pelo que tem no seu coração, seguindo depois para as outras necessidades ou para a gratidão.

Contemplação (Vida e Missão)

Que maravilha viver esse momento de oração que gerou vida em você. Tenha presente o que a Palavra o(a) leva a experimentar. Não perca de vista o que viveu nesse momento.

Leve para todo o dia aquilo que Deus lhe deu e viva com Ele.

Bênção

– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.