Oração diária, Orai por aqueles que vos perseguem - Mt 5,43-48

1ª Semana da Quaresma – Ano Litúrgico C

16 de março de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, faze-me teu imitador, e não me deixes cair na tentação de fazer acepção de pessoas. Que eu ame a todos, sem qualquer distinção.

PRIMEIRA LEITURA:


Leitura do Livro do Deuteronômio

Moisés dirigiu a palavra ao povo de Israel e lhe disse: 16“Hoje, o Senhor teu Deus te manda cumprir esses preceitos e decretos. Guarda-os e observa-os com todo o teu coração e com toda a tua alma.
17Tu escolheste hoje o Senhor para ser o teu Deus, para seguires os seus caminhos, e guardares seus preceitos, mandamentos e decretos, e para obedecerdes à sua voz. 18E o Senhor te escolheu, hoje, para que sejas para ele um povo particular, como te prometeu, a fim de observares todos os seus mandamentos. 19Assim ele te fará ilustre entre todas as nações que criou, e te tornará superior em honra e glória, a fim de que sejas o povo santo do Senhor teu Deus, como ele disse”.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 118

         — Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!
— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!

— Feliz o homem sem pecado em seu caminho, que na lei do Senhor Deus vai progredindo! Feliz o homem que observa seus preceitos, e de todo o coração procura Deus!

— Os vossos mandamentos vós nos destes, para serem fielmente observados. Oxalá seja bem firme a minha vida em cumprir vossa vontade e vossa lei!

— Quero louvar-vos com sincero coração, pois aprendi as vossas justas decisões. Quero guardar vossa vontade e vossa lei; Senhor, não me deixeis desamparado!

EVANGELHO: Mt 5,43-48

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Marcos.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 43“Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ 44Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!
45Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos. 46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa?
47E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? 48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Terminamos a primeira semana da Quaresma sintetizando tudo na prática do amor solidário. É preciso aprender a amar até mesmo os nossos amigos. E o que dizer do amor para com os inimigos? Parece que há mais força em orar pelos inimigos e amá-los do que tentar destruí-los. É mais espontâneo e mais fraco seguir os impulsos da raiva e da vingança. Muito mais forte é quem sabe “fazer nascer o sol sobre maus e bons”. Somos chamados a ser diferentes, não por sermos superiores a alguém, mas por sermos filhos do Pai que está no céu. Ele é a medida da nossa perfeição, e sua perfeição consiste em ser compreensivo e misericordioso. Não se trata de destruir o inimigo, e sim de transformá-lo em amigo. Não entremos no mesmo jogo. A mudança de atitude começa em nós. Ser igual significa alimentar a inimizade. Comecemos com o que alimenta a nossa mente. Redesenhemos o inimigo. Encontraremos nele algo bom. Não é preciso ter simpatia por ele, ao menos não no início. Dê tempo ao tempo e perceba que o amor é capaz de desculpar e perdoar. Quaresma é tempo de renovação da vida, de passar fazendo o bem, de espalhar a energia positiva, força da ressurreição que se aproxima.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Continuemos nossa caminhada com a Palavra de Deus em preparação à Páscoa do Senhor. O Evangelho hoje nos apresenta um grande apelo: passar do amor ao próximo para o amor aos inimigos. Por isso, mais uma vez, peçamos que o Espírito Santo nos ajude a rezar e a entrar em profunda sintonia com a proposta de Jesus. Repita algumas vezes a oração: “Vem, Santo Espírito consolador, acendei em nós a chama do vosso amor”.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Leia-o atentamente e procure compreendê-lo. Depois, faça uma nova leitura, repetindo em voz alta as palavras que mais chamaram sua atenção. A quem Jesus está instruindo? Qual é o tema central de sua mensagem? Quais são os questionamentos presentes no texto? Qual comparação Jesus faz?
“As antíteses deste trecho do sermão da montanha de Mateus ajudam-nos a esclarecer o específico da vida cristã, como dissemos antes, e dá aos discípulos um critério de ação. A ‘justiça maior’ exigida por Jesus dos seus discípulos é, na verdade, fruto da identificação do discípulo com ele. Essa ‘justiça’ acontece somente quando se ama sem fingimento. A exigência do amor ao próximo e ao inimigo é exigência da vida em Cristo. É a atitude de quem se experimentou amado por Deus, não obstante suas próprias faltas, e de quem tira para o seu relacionamento com os outros as consequências da misericórdia de Deus para com ele (ver: Mt 18,23-35). Essa é a atitude do misericordioso e do ‘fazedor de paz’, de quem sabe que o verdadeiro tesouro está em Deus, e a sua recompensa, nos bens futuros prometidos por Deus. O último versículo é a conclusão das seis antíteses. A perfeição consiste na superação do reducionismo legalista da Lei e na prática do amor fraterno que supera os laços afetivos. A perfeição de Deus consiste em que ele ama sem fazer acepção de pessoas. Ao dizer que ‘Deus é amor’ (1Jo 4,16), o autor está dizendo igualmente que Deus é perfeito” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Em silêncio, procure compreender o que o texto diz para sua vida. Qual palavra encontrou maior sintonia com os apelos do seu coração? Deixe a Palavra de Deus encontrar espaço em sua vida. Examine sua consciência, reveja suas ações, confronte suas atitudes com a mensagem de Jesus.
“Temos de sair da nossa zona de conforto afetiva e relacional. A experiência de vivência do Evangelho é sempre um caminho de saída. Não podemos ser tocados por essa experiência do Espírito sem nos abrirmos ao próximo. Os cristãos têm uma dívida amorosa com a humanidade. O nosso amor não procura rosto, etnia, classe, gênero, território… É simplesmente amar! É assim que o mundo saberá que somos discípulos do Senhor. Por vezes, ostentamos tantos símbolos em nossos corpos, na tentativa de nos conferir uma identidade religiosa, e não podemos esquecer o nosso símbolo maior, que é o amor ao próximo sem distinção alguma. O mundo carece desse testemunho. O amor é o caminho da perfeição!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Apresente ao Senhor os sentimentos, apelos e desejos despertados pela Palavra em seu coração. Se o seu coração está envolvido em mágoas, tristezas e sofrimentos por ter dificuldade de perdoar alguém, entregue essa situação ao Senhor. Se nem sempre é fácil amar as pessoas com quem você convive diariamente na sua família ou no trabalho, entregue essa situação ao Senhor. Se você foi ofendido(a) por alguém e esta mágoa insiste em tirar a sua paz, entregue essa situação ao Senhor. Em silêncio, faça uma revisão de sua vida e peça ao Senhor as graças de que você necessita neste momento.

Contemplação (Vida e Missão)
É preciso decidir-se constantemente a viver segundo os ensinamentos de Jesus. Qual é a aplicação da Palavra em sua vida? O que você se propõe a viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas