Oração diária, Solenidade de Pentecostes - Jo 20,19-23

Pentexoste – Ano Litúrgico C

09 de junho de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que o teu Espírito Santo me recrie inteiramente, de modo a banir para longe de mim todo medo e toda insegurança que me impedem de dar testemunho do teu Reino.

PRIMEIRA LEITURA: At 2,1-11

Leitura dos Atos dos Apóstolos –

1Quando chegou o dia de Pentecostes, os discípulos estavam todos reunidos no mesmo lugar.
2De repente, veio do céu um barulho como se fosse uma forte ventania, que encheu a casa onde eles se encontravam.
3Então apareceram línguas como de fogo que se repartiram e pousaram sobre cada um deles.
4Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito os inspirava.
5Moravam em Jerusalém judeus devotos, de todas as nações do mundo.
6Quando ouviram o barulho, juntou-se a multidão, e todos ficaram confusos, pois cada um ouvia os discípulos falar em sua própria língua.
7Cheios de espanto e admiração, diziam: “Esses homens que estão falando não são todos galileus? 8Como é que nós os escutamos na nossa própria língua? 9Nós, que somos partos, medos e elamitas, habitantes da Mesopotâmia, da Judeia e da Capadócia, do Ponto e da Ásia, 10da Frígia e da Panfília, do Egito e da parte da Líbia próxima de Cirene, também romanos que aqui residem; 11judeus e prosélitos, cretenses e árabes, todos nós os escutamos anunciarem as maravilhas de Deus em nossa própria língua!”

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 103(104)

          Enviai o vosso Espírito, Senhor,/ e da terra toda a face renovai!
— Enviai o vosso Espírito, Senhor,/ e da terra toda a face renovai!

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor!/ Ó meu Deus e meu Senhor, como sois grande!/ Quão numerosas, ó Senhor, são vossas obras!/ Encheu-se a terra com as vossas criaturas!

— Se tirais o seu respiro, elas perecem/ e voltam para o pó de onde vieram./ Enviais o vosso espírito e renascem/ e da terra toda a face renovais.

— Que a glória do Senhor perdure sempre,/ e alegre-se o Senhor em suas obras!/ Hoje seja-lhe agradável o meu canto,/ pois o Senhor é a minha grande alegria!

SEGUNDA LEITURA: Rm 8,8-17 ou 1Cor 12,3b-7.12-13

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios –

Irmãos: 3bNinguém pode dizer: Jesus é o Senhor, a não ser no Espírito Santo.
4Há diversidade de dons, mas um mesmo é o Espírito.
5Há diversidade de ministérios, mas um mesmo é o Senhor.
6Há diferentes atividades, mas um mesmo Deus que realiza todas as coisas em todos.
7A cada um é dada a manifestação do Espírito em vista do bem comum.
12Como o corpo é um, embora tenha muitos membros, e como todos os membros do corpo, embora sejam muitos, formam um só corpo, assim também acontece com Cristo.
13De fato, todos nós, judeus ou gregos, escravos ou livres, fomos batizados num único Espírito, para formarmos um único corpo, e todos nós bebemos de um único Espírito

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

EVANGELHO: Jo 20,19-23 ou Jo 14,15-16.23b-26

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.
20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”.
22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus ressuscitado soprou sobre os discípulos e disse: “Recebam o Espírito Santo”. O Espírito, que é vento, saiu da boca de Jesus e entrou na vida da comunidade. No dia de Pentecostes, o Espírito se manifestou de forma mais exuberante, no vento forte, nas línguas de fogo, na linguagem compreendida e no entusiasmo dos discípulos. Na liturgia pedimos que o Espírito nos dê seus sete dons. Todos eles são a presença do Espírito em nós. Sua manifestação, porém, é multiforme. Ela se dá nos sete dons. O dom da Sabedoria nos permite saborear algo do que Deus é. Não somos capazes de entendê-lo nem de imaginá-lo, mas podemos experimentar o seu gosto. Deus tem o gosto do amor com que amamos os nossos irmãos. Com a Sabedoria tomamos decisões acertadas, porque não erra quem age por amor. A inteligência nos leva à leitura em profundidade tanto dos mistérios de Deus como dos sinais dos tempos. Com o dom da inteligência deixamos de ser superficiais. Lemos a vida por dentro, buscando seu significado mais profundo. A ciência nos torna realistas, tirando-nos do mundo das ilusões. Esperança, sim; ilusões, não. Com a ciência conhecemos a nós mesmos, na nossa realidade. Ultrapassando nossas limitações, encontramos a Deus no fundo de nós mesmos.
O conselho. Quem o tem diz e recebe a palavra certa na hora certa. A língua, que é fonte de tantos desentendimentos, torna-se brisa suave que inspira atitudes próprias do Espírito, que dobra o que é duro e guia no escuro. A piedade é o dom facilitador de nossos relacionamentos tanto com Deus quanto entre nós. A piedade se vê no relacionamento harmonioso com os pais e os superiores, com os familiares e os coirmãos de uma comunidade. A fortaleza é o dom dos fortes. Nada os perturba, nada os assusta. Eles têm a Deus, e é o que basta para enfrentar as dificuldades da vida. Com o dom da fortaleza descobrimos que as dificuldades existem para serem superadas. O temor de Deus é o último dom na lista de sete e se une com o primeiro fazendo dos sete um só dom. Não significa medo de Deus. Significa respeito. Quem o tem, leva Deus a sério e leva a sério seus compromissos cristãos. O temor de Deus é o início da Sabedoria.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Com a liturgia de hoje, solenidade de Pentecostes, concluímos o tempo pascal. Cinquenta dias após a Páscoa, os discípulos, reunidos com Maria, recebem os dons do Espírito Santo. Celebremos com fé este dia e peçamos também para nós e para a Igreja os dons da fortaleza, sabedoria, ciência, conselho, entendimento, piedade e temor de Deus.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Faça uma leitura atenta e identifique os principais elementos presentes na narrativa. Leia também em sua Bíblia: At 2,1-11 e 1Cor 12,3b-7.12-13. Quais são os elementos comuns entre as leituras? Qual é a experiência vivida pelos discípulos?
“Com a solenidade de Pentecostes encerra-se o tempo da Páscoa. A promessa da vinda do Espírito Santo feita por Jesus aos seus discípulos se realiza (cf. At 1,8). Elevado à glória celeste, o Senhor nos enviou, da parte do Pai, o Espírito que o conduziu ao longo de toda a sua vida para que sejamos iluminados pelo Espírito Santo, que é o dom de Deus oferecido a nós para o testemunho. O dom do Espírito é o dom dos tempos escatológicos, o dom definitivo de Deus como cumprimento de toda a sua promessa. Hoje, Deus derramou o seu espírito sobre ‘toda carne’ (cf. Jl 3,1-5). A humanidade inteira é destinatária desse poder que vem do alto. O Espírito é dado para fazer compreender e viver a palavra de Jesus Cristo. O Espírito Santo é uma realidade interior que nos ultrapassa infinitamente (cf. Jo 3,8). Ele enche toda a terra” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“Pentecostes é o início da bela jornada missionária da Igreja. Agora, sem medo, portas abertas, corações plenos do Espírito Santo, a comunidade cristã entende, finalmente, seu objetivo e sua razão de ser. A descida do Espírito Santo e o batismo como que em línguas de fogo transformam a mentalidade daquela comunidade, encurralada por medo dos judeus, na mais bonita experiência de vivência do Evangelho de que se tem notícia na história da Igreja. A consciência de formar o mesmo corpo, com as diversidades dos seus membros, permitiu que o Espírito desse, a cada um, seu dom específico para o bem e o crescimento de todos. A missão da Igreja continua e hoje nós somos esses discípulos missionários” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Neste dia solene, peçamos com fé os dons do Espírito Santo: “Vem, Espírito Criador, a mente dos teus visita, enche com a graça do céu os corações que criaste. Tu, que és chamado Paráclito, altíssimo dom de Deus, água viva, fogo, amor e unção espiritual. Doador dos sete dons, dedo da destra de Deus, solene promessa do Pai, pões nos lábios a Palavra. Acende a tua luz na mente, infunde no coração amor, aquilo que em nosso corpo está enfermo cura-o com o teu eterno poder. Para longe repele o inimigo e a paz nos dá sem demora. E assim por ti conduzidos, evitaremos todo o mal. Por ti conheçamos o Pai e conheçamos também o Filho, e em ti, Espírito de ambos, creiamos todos eternamente. Seja dada ao Pai a glória e ao Filho que ressuscitou dentre os mortos, pelo Espírito, pelos séculos dos séculos. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra de Deus na mente e no coração, que atitude você se dispõe a tomar no dia de hoje?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas