Liturgia diária 14 de fevereiro 2016

1º Domingo da Quaresma – Ano Litúrgico C

10 de março de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, estou certo de que, mesmo sendo pecador, sou amado por ti, e posso contar com a tua solidariedade, que me descortina a misericórdia e a justiça como jeito novo de ser

PRIMEIRA LEITURA: Dt 26,4-10

Livro do Deuteronômio – Assim Moisés falou ao povo: 4“O sacerdote receberá de tuas mãos a cesta e a colocará diante do altar do Senhor teu Deus.
5Dirás, então, na presença do Senhor teu Deus: ‘Meu pai era um arameu errante, que desceu ao Egito com um punhado de gente e ali viveu como estrangeiro. Ali se tornou um povo grande, forte e numeroso. 6Os egípcios nos maltrataram e oprimiram, impondo-nos uma dura escravidão.
7Clamamos, então, ao Senhor, o Deus de nossos pais, e o Senhor ouviu a nossa voz e viu a nossa opressão, a nossa miséria e a nossa angústia. 8E o Senhor nos tirou do Egito com mão poderosa e braço estendido, no meio de grande pavor, com sinais e prodígios. 9E conduziu-nos a este lugar e nos deu esta terra, onde corre leite e mel.
10Por isso, agora trago os primeiros frutos da terra que tu me deste, Senhor’.
Depois de colocados os frutos diante do Senhor teu Deus, tu te inclinarás em adoração diante dele”. 

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 90

          — Em minhas dores, ó Senhor, permanecei junto de mim!
— Em minhas dores, ó Senhor, permanecei junto de mim!

— Quem habita ao abrigo do Altíssimo/ e vive à sombra do Senhor onipotente,/ diz ao Senhor: “Sois meu refúgio e proteção,/ sois o meu Deus, no qual confio inteiramente”.

— Nenhum mal há de chegar perto de ti,/ nem a desgraça baterá à tua porta;/ pois o Senhor deu uma ordem a seus anjos/ para em todos os caminhos te guardarem.

— Haverão de te levar em suas mãos,/ para o teu pé não se ferir nalguma pedra./ Passarás sobre cobras e serpentes,/ pisarás sobre leões e outras feras.

— “Porque a mim se confiou, hei de livrá-lo e protegê-lo,/ pois meu nome ele conhece./ Ao invocar-me, hei de ouvi-lo e atendê-lo, e a seu lado eu estarei em suas dores”.

SEGUNDA LEITURA: Rm 10,8-13

Carta de São Paulo apóstolo aos Romanos – Irmãos: 8O que diz a Escritura? “A palavra está perto de ti, em tua boca e em teu coração”. Essa palavra é a palavra da fé, que nós pregamos.
9Se, pois, com tua boca confessares Jesus como Senhor e, no teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. 10É crendo no coração que se alcança a justiça e é confessando a fé com a boca que se consegue a salvação. 11Pois a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não ficará confundido”.
12Portanto, não importa a diferença entre judeu e grego; todos têm o mesmo Senhor, que é generoso para com todos os que o invocam.
13De fato, todo aquele que invocar o Nome do Senhor será salvo. 

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

texto

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão, e, no deserto, ele era guiado pelo Espírito. 2Ali foi tentado pelo diabo durante quarenta dias. Não comeu nada naqueles dias e, depois disso, sentiu fome. 3O diabo disse, então, a Jesus: “Se és Filho de Deus, manda que esta pedra se mude em pão”. 4Jesus respondeu: “A Escritura diz: ‘Não só de pão vive o homem’”
5O diabo levou Jesus para o alto, mostrou-lhe por um instante todos os reinos do mundo 6e lhe disse: “Eu te darei todo este poder e toda a sua glória, porque tudo isto foi entregue a mim e posso dá-lo a quem eu quiser. 7Portanto, se te prostrares diante de mim em adoração, tudo isso será teu”.
8Jesus respondeu: “A Escritura diz: ‘Adorarás o Senhor teu Deus, e só a ele servirás’”.
9Depois o diabo levou Jesus a Jerusalém, colocou-o sobre a parte mais alta do Templo e lhe disse: “Se és Filho de Deus, atira-te daqui abaixo! 10Porque a Escritura diz: ‘Deus ordenará aos seus anjos a teu respeito, que te guardem com cuidado!’ 11E mais ainda: ‘Eles te levarão nas mãos, para que não tropeces em alguma pedra’”.
12Jesus, porém, respondeu: “A Escritura diz: ‘Não tentarás o Senhor teu Deus’”.
13Terminada toda a tentação, o diabo afastou-se de Jesus, para retornar no tempo oportuno.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Todos os anos começamos a Quaresma com Jesus no deserto da tentação ou da provocação, porque a função do diabo verdadeiro é provocar. No Evangelho de Lucas, a provocação acontece em três momentos. No primeiro momento e no terceiro, o diabo começa com uma dúvida, que é ao mesmo tempo uma afirmação. “Mostre que você é o Filho de Deus transformando esta pedra em pão.” Jesus tinha fome depois de não ter comido nada durante quarenta dias. Sendo homem, Jesus tem fome. Sendo Deus, pode fazer o milagre. No terceiro momento, não há milagre. Há só vaidade de quem se joga do alto do Templo e é sustentado por uma Legião de Anjos. A cada provocação, Jesus responde com um pensamento bíblico, o que o demônio também começa a fazer. “Está escrito que os Anjos te carregarão nas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.” Na segunda provocação, o diabo não pergunta se Jesus é o Filho de Deus. Aí o demônio se revela. Ele não está interessado em Deus ou em seu Filho. Uma batalha já foi travada no céu no passado. Ele está interessado no ser humano. Quanto vale o ser humano e onde está seu ponto fraco?
É próprio do ser humano a ambição pelo poder e pela glória. O diabo testa Jesus exatamente nesse ponto. “Eu te darei todo o poder e toda a glória de todos os reinos da terra, em troca da sua pessoa.” Você, ser humano, vale mais do que todo o poder e toda a glória de todos os reinos da terra. O demônio sabe disso. Nós é que parecemos não saber e nos prostramos com facilidade diante do demônio. Jesus reage com as palavras da Escritura: “Adorarás ao Senhor teu Deus e só a ele servirás”. Diz o texto que o diabo levou Jesus para um lugar alto e, num relance, lhe mostrou todos os reinos da terra. Num relance, porque este é o tempo da ilusão da glória e do poder. É quanto dura o relance de um instante. E nesse relance ilusório perdemos a própria vida, entregando ao demônio a nossa liberdade. O que dura para sempre é a adoração do Deus verdadeiro.
Tentações e provocações armadas pelo demônio, com a permissão de Deus, existem para que se manifestem os que, provados, são comprovados. Sem medo de provocações e tentações, sem medo do poder demoníaco que nos quer dominar, temos, como se lê na carta aos Romanos, “a palavra bem perto de nós, em nossa boca e em nosso coração”, porque “é crendo no coração que se alcança a justiça, e é confessando com a boca que se consegue a salvação”. “Essa palavra é a palavra da fé que pregamos.”

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Liturgia do 1º Domingo da Quaresma. Jesus é conduzido ao deserto, lugar de tentação, e posto à prova durante 40 dias. O mesmo Espírito que fez Jesus sair para o deserto também nos conduz e nos fortalece na nossa caminhada quaresmal.
Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
Leia o texto acolhendo cada palavra em seu coração. Leia-o novamente com calma, fazendo pequenas paradas para repetir as palavras que mais lhe chamaram a atenção durante a leitura. Qual é a temática do texto? Quais são as palavras ditas por Jesus? O que nos lembra o deserto? Qual é a experiência que Jesus vive no deserto?
“A cena das tentações está intimamente vinculada à cena do batismo e à genealogia de Jesus: é como Filho de Deus que Jesus é tentado (cf. Lc 4,3.9). Israel, depois de ter sido escolhido pelo Senhor como seu filho (Ex 4,22), foi conduzido pelo deserto, através de uma coluna de fogo (cf. Is 63,11.14), para ser tentado durante quarenta anos. A tipologia subjacente ao relato das tentações de Jesus é a do Êxodo. As três cenas das tentações descrevem Jesus como Filho de Deus, obediente à vontade do Pai. Por essa razão, ele não cede à sedução de usar seus poderes ou sua autoridade de Filho para uma finalidade distinta da que é a sua missão. A tentação é a de utilizar a sua condição de Filho de Deus em benefício próprio. As três cenas fazem alusão às tentações do povo de Israel ao longo da travessia pelo deserto. O relato não visa nos fazer compreender que as tentações aconteceram num único momento da vida de Jesus; ele só pode ser lido e compreendido no conjunto do evangelho, pois as tentações acompanharam Jesus ao longo de toda a sua vida terrena […].” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“A fome de Jesus não era só material, mas da Palavra de Deus. Temos fome de quê? Onde buscamos alimento para nos saciar? Jesus rejeitou a proposta da idolatria. Proclamou que só a Deus deve-se adorar. Quais são as nossas idolatrias? Quem tem lugar no trono de nosso coração? Deus ou coisas da terra? Pular daquela altura era pular para a morte. Jesus não veio desafiar o Pai porque não havia dúvida dos cuidados do Pai por ele. A mesma mão forte que libertou o povo escravo no Egito; o mesmo Espírito que fez Jesus vencer as tentações no deserto; e o mesmo Cristo que continua libertando seu povo, age no meio de nós. Que o Espírito do Senhor nos ajude a vencer as nossas tentações no deserto de nossas vidas!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra no dia a dia” da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Peça ao Senhor a graça de viver com profundidade este tempo especial que a liturgia nos apresenta: a graça do encontro com o Pai misericordioso, a graça do despojamento, da humildade, da simplicidade do coração, a graça da conversão pessoal. Reze também pela Igreja que vive a Campanha da Fraternidade.

Contemplação (Vida e Missão)
Sintetize em poucas palavras o apelo que você sentiu para colocá-lo em prática durante o dia. O que me proponho a viver? Como vou atingir este propósito?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas