Liturgia diária

ORAÇÃO DO DIA

Senhor Jesus, que a contemplação da assunção de tua mãe santíssima me inspire a viver em comunhão com Deus, servindo-o como servo humilde.

Invoquemos a presença do Espírito Santo para ler e refletir a liturgia diária:

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

PRIMEIRA LEITURA: Ap 11,19a; 12,1.3-6a.10ab

Livro do Apocalipse de São João – 19aAbriu-se o Templo de Deus que está no céu e apareceu no Templo a Arca da Aliança. 12,1Então apareceu no céu um grande sinal: uma Mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas.
3Então apareceu outro sinal no céu: um grande Dragão, cor de fogo. Tinha sete cabeças e dez chifres e, sobre as cabeças, sete coroas. 4Com a cauda, varria a terça parte das estrelas do céu, atirando-as sobre a terra. O Dragão parou diante da Mulher, que estava para dar à luz, pronto para devorar o seu Filho, logo que nascesse. 5E ela deu à luz um filho homem, que veio para governar todas as nações com cetro de ferro. Mas o Filho foi levado para junto de Deus e do seu trono. 6aA mulher fugiu para o deserto, onde Deus lhe tinha preparado um lugar.
10abOuvi então uma voz forte no céu, proclamando: “Agora realizou-se a salvação, a força e a realeza do nosso Deus, e o poder do seu Cristo”. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 44

— À vossa direita se encontra a rainha,/ com veste esplendente de ouro de Ofir.
— À vossa direita se encontra a rainha,/ com veste esplendente de ouro de Ofir.

— As filhas de reis vêm ao vosso encontro,/ e à vossa direita se encontra a rainha/ com veste esplendente de ouro de Ofir.

— Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:/ “Esquecei vosso povo e a casa paterna!/ Que o Rei se encante com vossa beleza!/ Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!

— Entre cantos de festa e com grande alegria,/ ingressam, então, no palácio real”.

SEGUNDA LEITURA: 1Cor 15,20-27a

Primeira Carta de São Paulo apóstolo aos Coríntios – Irmãos: 20Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. 21Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos.
22Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. 23Porém, cada qual segundo uma ordem determinada: Em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda.
24A seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus-Pai, depois de destruir todo principado e todo poder e força. 25Pois é preciso que ele reine até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. 26O último inimigo a ser destruído é a morte. 27aCom efeito, “Deus pôs tudo debaixo de seus pés”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: 

 – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

          Naqueles dias, 39Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42Com um grande grito, exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! 43Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”.
46Então Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o respeitam. 51Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”.
56Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

 Assunção de Nossa Senhora
O dogma da Assunção de Nossa Senhora foi proclamado pelo Papa Pio XII, em 1950. O texto da proclamação dogmática não afirma que ela foi elevada ao céu, mas à “Glória celeste”. Não se afirma, portanto, um deslocamento espacial nem uma nova localização, mas a transfiguração do seu corpo e a passagem de sua condição terrestre à condição gloriosa da totalidade de sua pessoa, isto é, corpo e alma.

A solenidade da assunção da Mãe de Deus é, em primeiro lugar, a festa da vitória de Deus e de Cristo sobre o mal e a morte (cf. 1Cor 15,21-22). Na ressurreição de Jesus Cristo, o inimigo da natureza humana foi vencido.

É essa vitória que celebramos cada domingo. A festa da Assunção de Nossa Senhora é uma verdadeira Páscoa, uma vez que é a participação da nossa humanidade na Páscoa de Jesus Cristo. Todo o livro do Apocalipse pode ser considerado uma visão, no sentido de revelação de Deus.

A finalidade do livro é encorajar o povo de Deus no seu testemunho de Cristo e permanecer firme na observância da palavra de Jesus Cristo. O tema da visão do trecho de hoje é “um grande sinal no céu”. Todo sinal precisa ser interpretado e bem compreendido. A mulher ornada que aparece no céu é a Igreja triunfante, vitoriosa (coroa de doze estrelas), na eternidade (lua debaixo dos pés), sobre a qual o mal não tem mais poder, pois ela é revestida da Glória do Ressuscitado (vestida de sol).

Ela está pronta para dar à luz. A Igreja, fiel ao seu Senhor, gera, pela fé, novos filhos. Ela é ameaçada por causa do filho que ela gera, mas é protegida por Deus e conduzida ao deserto. Todo o nosso trecho é uma evocação do êxodo. A finalidade é levar a Igreja peregrina a contemplar a realidade da Igreja triunfante a fim de ser sustentada no seu testemunho e na sua fidelidade ao Deus verdadeiro.

A festa da Assunção de Nossa Senhora é a participação da nossa humanidade na vitória de Cristo. Na Assunção de Nossa Senhora, Deus revela a dignidade do ser humano. O ser humano não pode ser prisioneiro do mal nem nossa vida terrestre pode ser desprezada, como se vivêssemos num desterro ou num vale de lágrimas.

A vida do ser humano interessa a Deus. A elevação de Maria à Glória celeste faz com que olhemos para a nossa humanidade, a fim de que não a deixemos corromper pelo mal que desfigura o ser humano criado à imagem e semelhança de Deus.
Pe. Carlos Alberto Contieri, sj

LEITURA ORANTE

Preparo-me para a Leitura Orante, rezando ao Espírito.
Espírito de verdade,
a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.
Que eu conheça Jesus Mestre
e compreenda o seu Evangelho.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto: Lc 1, 39-56
Isabel reconhece em sua prima Maria a mãe de Jesus. E reconhece que Jesus é o Messias. Reconhece, quando diz ” a Mãe do meu Senhor”, título atribuído somente a Deus.
Maria responde à profecia de sua prima com um cântico bíblico, formado por temas
tradicionais, onde menciona uma reviravolta da situação do mundo. O cântico de Maria é o cântico dos pobres que colocam Deus em primeiro lugar e dele “sua misericórdia se estende a todas as gerações”.

2. Meditação (Caminho)
O texto bíblico nos faz refletir sobre esta santidade a partir das palavras de Isabel, sua prima: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre… Bem-aventurada és tu porque acreditaste”. Hoje é o dia da vocação à vida consagrada. O ” sim” de Maria ao Projeto de Deus se transformou em atitude de vida. Assim vivem os consagrados, religiosos e religiosas. Eles têm a fé como referência de vida e vivem expressando o amor de Deus, dando Jesus ao mundo, como Maria.
êtambém é uma pessoa consagrada a Deus pelo Batismo. Como vive, como pessoa leiga ou consagrada, a sua doação e a doação de Jesus ao mundo?

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo:
Espírito vivificador,
a ti consagro o meu coração:
aumenta em mim o amor a Jesus, Vida da minha vida.
ém.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
“Somos chamados a encarnar o Evangelho no coração do mundo”(Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 2008-2009, no 21). Sou uma pessoa convocada como Maria a levar Jesus aos demais. Como vivo esta missão?
Meu novo olhar é para iluminar as pessoas a encontrarem Jesus.