30ª Semana Comum – 27 de outubro de 2015

Liturgia diaria

ORAÇÃO DO DIA

Senhor, faze de mim instrumento de teu Reino para que ele chegue a todas as pessoas, sem exceção, mormente os pobres e marginalizados.

Invoquemos a presença do Espírito Santo para ler e refletir a liturgia diária:

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

PRIMEIRA LEITURA: Rm 8,18-25

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos, 18eu entendo que os sofrimentos do tempo presente nem merecem ser comparados com a glória que deve ser revelada em nós. 19De fato, toda a criação está esperando ansiosamente o momento de se revelarem os filhos de Deus. 20Pois a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua livre vontade, mas por sua dependência daquele que a sujeitou; 21também ela espera ser libertada da escravidão da corrupção e, assim, participar da liberdade e da glória dos filhos de Deus. 22Com efeito, sabemos que toda a criação, até o tempo presente, está gemendo como que em dores de parto. 23E não somente ela, mas nós também, que temos os primeiros frutos do Espírito, estamos interiormente gemendo, aguardando a adoção filial e a libertação para o nosso corpo. 24Pois já fomos salvos, mas na esperança. Ora, o objeto da esperança não é aquilo que a gente está vendo; como pode alguém esperar o que já vê? 25Mas se esperamos o que não vemos, é porque o estamos aguardando mediante a perseverança.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 125

 — Maravilhas fez conosco o Senhor!
— Maravilhas fez conosco o Senhor!

— Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, parecíamos sonhar; encheu-se de sorriso nossa boca, nossos lábios, de canções.

— Entre os gentios se dizia: “Maravilhas fez com eles o Senhor!” Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria!

— Mudai a nossa sorte, ó Senhor, como torrentes no deserto. Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria.

— Chorando de tristeza sairão, espalhando suas sementes; cantando de alegria voltarão, carregando os seus feixes!

EVANGELHO: Lc 13,18-21

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

        Naquele tempo, 18Jesus dizia: “A que é semelhante o Reino de Deus, e com que poderei compará-lo? 19Ele é como a semente de mostarda, que um homem pega e atira no seu jardim. A semente cresce, torna-se uma grande árvore e as aves do céu fazem ninhos nos seus ramos”. 20Jesus disse ainda: “Com que poderei ainda comparar o Reino de Deus? 21Ele é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado”.

– Palavra da salvação.
– Gloria a vós Senhor

Comentário do Evangelho

No dinamismo do Reino é preciso confiança na ação de Deus
Jesus, como mestre habilidoso, usa para o seu ensinamento diferentes gêneros literários com a intenção de fazer o ouvinte compreender o mistério de Deus revelado em Jesus Cristo. A parábola é um desses gêneros literários. A perícope do evangelho de hoje é constituída por duas pequenas parábolas do Reino que visam ilustrar o dinamismo do crescimento do Reino de Deus: do pequeno ou pouco se torna grande. Nas duas parábolas se fala da contribuição das pessoas no crescimento do Reino de Deus: na parábola do grão de mostarda, “alguém pegou e semeou no seu jardim” (v. 19); na parábola do fermento, uma mulher pegou o fermento “e pôs em três medidas de farinha” (v. 21). Numa e noutra parábola o Reino de Deus conta com a colaboração e o empenho do ser humano. No entanto, germinar e crescer até aquela pequenina semente se tornar um arbusto e o crescimento da massa, depois de ser acrescentado um pouco de fermento, já não dependem do empenho do homem. É Deus quem faz crescer. No dinamismo do Reino em crescimento é preciso empenho e, ao mesmo tempo, paciência e confiança na ação de Deus.
Pe. Carlos Alberto Contieri, sj

LEITURA ORANTE

Saudação
– A nós todos, reunidos pela comunicação digital,
a paz de Deus, nosso Pai, / a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, / no amor e na comunhão do Espírito Santo.
– Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura, rezando:
Jesus Mestre, que dissestes: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, / eu aí estarei no meio deles”, / ficai conosco,/ aqui reunidos (pela web), / para melhor meditar / e comungar com a vossa Palavra.
Sois o Mestre e a Verdade: / iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras.
Sois o Guia e o Caminho: / fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
Sois a Vida: / transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão.
(Bv. Alberione)

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto: Lc 13,18-21, e observo as comparações de Jesus para fazer compreender o Reino.
Pensar no Reino de Deus como a semente e o fermento é pensar em algo muito dinâmico. Na primeira vemos o Reino como uma grande árvore que nasce de um minúscula semente que é plantada por um homem. Na segunda, vemos o Reino como a massa que uma mulher faz e que cresce sob a força do fermento. O crescimento não é mágico, nem repentino. É preciso esperar. É preciso dar tempo para a semente germinar e a massa crescer. É preciso ter paciência. A semente some na terra. O fermento é misturado na farinha e desaparece para poder fazer crescer. A semente morre, explode para poder germinar e brotar. Há um mistério de morte e vida nos dois casos. Há um aspecto de “perda”. Perda de aparência, de imagem, de importância. Compreende-se através destas parábolas o que Jesus dizia: “Quem perder a própria vida vai ganhá-la” (Lc 17,33) ou, a Nicodemos: “Se alguém não nascer de novo não poderá ver o Reino de Deus” (Jo 3,3).

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para nós, hoje?
Faço parte deste Reino e vivo a alegria de ser discípulo/a de Jesus Cristo. Os bispos, em Aparecida disseram:
“A alegria do discípulo não é um sentimento de bem-estar egoísta, mas uma certeza que brota da fé, que serena o coração e capacita para anunciar a boa nova do amor de Deus. Conhecer a Jesus é o melhor presente que qualquer pessoa pode receber; tê-lo encontrado foi o melhor que ocorreu em nossas vidas, e fazê-lo conhecido com nossa palavra e obras é nossa alegria.” (DA 29).

3. Oração (Vida)
Rezo com todos os cristãos, pedindo a graça de sempre fazer parte do Reino de Deus, mesmo se encontrar dificuldades, ter que viver a esperança e muita paciência. Rezo com o Padre Zezinho.
Cidadão do Infinito
Por escutar uma voz que disse/ Que faltava gente pra semear/ Deixei meu lar e saí sorrindo,/E assobiando pra não chorar./Fui me alistar entre os operários/ Que deixam tudo pra te levar/ E fui lutar por um mundo novo,/ Não tenho lar mais ganhei um povo./ Sou cidadão do infinito,/ Do infinito, do infinito,/ E levo a paz no meu caminho,/ No meu caminho, no meu caminho. /Eu procurei semear a paz/ E onde fui andando falei de Deus, /Abençoei quem fez pouco caso /E espalhou cizânia onde eu semeei. / Não aceitei condecoração/ Por haver buscado um país irmão, / Vou semeando por entre o povo/ E vou sonhando este mundo novo.

4. Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra meditada e rezada?
Vou contemplar o mundo com os olhos da fé e descobrir bem próximo de mim o Reino que se faz presente. Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus.
Bênção
– Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
– Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

25ª Semana Comum – 22 de setembro de 2015

Liturgia Diária

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que minha condição de membro da grande família do Reino se expresse no meu modo de proceder. Pela disposição a amar, quero dar provas de ser teu filho.

Invoquemos a presença do Espírito Santo para ler e refletir a liturgia diária:

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

PRIMEIRA LEITURA: Esd 6,7-8.12b.14-20

Leitura do Livro de Esdras – Naqueles dias, 7o rei Dario escreveu ao governador do território da outra margem do rio Eufrates: “Deixa que prossigam os trabalhos no templo de Deus. Que o governador de Judá e os anciãos dos judeus edifiquem a casa de Deus no seu lugar.
8Também ordenei como se deve proceder com aqueles anciãos dos judeus que constroem aquela casa de Deus: com os bens do rei, deveis re-embolsar religiosamente e sem interrupção aqueles homens por tudo o que gastarem. 12bEu, Dario, dei esta ordem. Que ela seja pontualmente executada!”
14E os anciãos dos judeus continuaram a construir, com êxito, de acordo com a profecia de Ageu, o profeta, e de Zacarias, filho de Ado, e puderam terminar a construção conforme a ordem do Deus de Israel e as ordens de Ciro, de Dario e de Artaxerxes, reis da Pérsia. 15Esta casa de Deus foi concluída no terceiro dia do mês de Adar, no sexto ano do reinado de Dario.
16Os filhos de Israel, os sacerdotes, os levitas e o resto dos repatriados, celebraram com alegria a dedicação desta casa de Deus. 17Ofereceram, para a inauguração desta casa de Deus, cem touros, duzentos carneiros, quatrocentos cordeiros e, como sacrifício pelo pecado de todo o Israel, doze bodes, segundo o número das tribos de Israel.
18Estabeleceram também os sacerdotes, segundo suas categorias, e os levitas, segundo suas classes, para o serviço de Deus, em Jerusalém, como está escrito no livro de Moisés.
19Os deportados celebraram a Páscoa no dia catorze do primeiro mês. 20Como todos os levitas se haviam purificado, juntamente com os sacerdotes, estavam puros; e, assim, imolavam a Páscoa para todos os filhos do cativeiro, para os sacerdotes seus irmãos e para eles próprios.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 121

— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”
— Que alegria, quando me disseram: “Vamos à casa do Senhor!”

— Que alegria, quando ouvi que me disseram: “Vamos à casa do Senhor!” E agora nossos pés já se detêm, Jerusalém, em tuas portas.

— Jerusalém, cidade bem edificada num conjunto harmonioso; para lá sobem as tribos de Israel, as tribos do Senhor.

— Para louvar, segundo a lei de Israel, o nome do Senhor. A sede da justiça lá está e o trono de Davi.

EVANGELHO: Lc 8,19-21

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, 19a mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele, por causa da multidão. 20Então anunciaram a Jesus: “Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver”. 21Jesus respondeu: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática”.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

No centro da vida cristã deve estar a Palavra de Deus
A visita da família de Jesus é, para ele, uma ocasião de ensinar os seus discípulos acerca do específico da comunidade cristã (cf. Lc 6,46-49). Não é uma visita de cortesia. Marcos, no seu evangelho, informa a razão da visita: pensavam que estivesse fora de si (Mc 3,21). No evangelho de João, são os adversários de Jesus que têm essa opinião a respeito dele (Jo 10,10-20). Aproveitando a ocasião e ignorando a intenção de sua parentela, Jesus ensina que a pertença ao povo que ele reúne não se dá pela descendência do sangue, mas por uma atitude que engaja o discípulo no dinamismo da escuta e da prática da Palavra de Deus (cf. Lc 6,46-47). Mais adiante no relato evangélico, àquela mulher que, admirada pelas palavras de Jesus, gritou: “felizes as entranhas que geraram e os seios que te amamentaram”, Jesus respondeu: “Felizes são os que ouvem a Palavra de Deus e a praticam” (Lc 11,27-28). A mãe de Jesus passou a ser, na tradição da Igreja, modelo do discípulo porque ela é a mulher que escutou a Palavra de Deus e a praticou (Lc 1,38). No centro da vida cristã deve estar a Palavra de Deus. Em Jesus, Verbo de Deus, a Palavra de Deus adquire todo o seu sentido e é uma fonte de verdadeira vida e luz para os passos.
Pe. Carlos Alberto Contieri, sj

LEITURA ORANTE

Saudação
– A nós, a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo.
– Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura, rezando:
Jesus Mestre, que dissestes:
“Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome,
eu aí estarei no meio deles”,
ficai conosco,
aqui reunidos (pela grande rede da internet),
para melhor meditar
e comungar com a vossa Palavra.
Sois o Mestre e a Verdade:
iluminai-nos, para que melhor compreendamos
as Sagradas Escrituras.
Sois o Guia e o Caminho:
fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
Sois a Vida:
transformai nosso coração em terra boa,
onde a Palavra de Deus produza frutos
abundantes de santidade e missão.
(Bv. Alberione)

Preparo-me para a Leitura Orante, rezando:
Espírito de verdade,
a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.
Que eu conheça Jesus Mestre
e compreenda o seu Evangelho.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto: Lc 8, 19-21, e observo Jesus e sua Mãe.
A mãe e os irmãos de Jesus vieram até o lugar onde ele estava, mas, por causa da multidão, não conseguiam chegar perto dele. Então alguém disse a Jesus:
– A sua mãe e os seus irmãos estão lá fora e querem falar com o senhor.
Mas Jesus disse a todos:
– Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a mensagem de Deus e a praticam.

Este texto que meditamos traz a pessoa de Maria, Mãe de Jesus. Ela e seus parentes queriam falar com ele. E ele diz que são de sua família os que ouvem a mensagem de Deus e a praticam. Numa primeira leitura pode parecer que Jesus é deselegante com sua mãe, mas, num momento de melhor compreensão pode-se perceber que aconteceu o contrário. Ao dizer que são de sua família os que fazem a vontade do pai, ele incluiu sua Mãe. Ela foi a primeira , na Anunciação a dizer “sim” ao projeto do Pai.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Sou da família de Jesus? Ou seja,
Digo “sim” à vontade de Deus, mesmo que seja contrária ao meu projeto?
Busco descobrir a cada dia qual é a vontade de Deus para mim?

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo com a Oração do Anjo:
– O anjo do Senhor anunciou a Maria.
– E ela concebeu do Espírito Santo.
– Eis aqui a serva do Senhor.
– Faça-se em mim conforme a tua Palavra.
– E o Verbo Divino se fez homem.
– E habitou entre nós.
Ave Maria, cheia de graça…

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é de busca e acolhimento da vontade de Deus para cada instante do meu dia.
Bênção
– Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
– Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém

26ª Semana Comum – 30 de setembro de 2015

Liturgia Diaria

ORAÇÃO DO DIA

Pai, torna-me apto para o serviço do teu Reino, dando-me as virtudes necessárias para não me desviar do caminho traçado por ti, mesmo devendo pagar um alto preço por isso.

Invoquemos a presença do Espírito Santo para ler e refletir a liturgia diária:

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

PRIMEIRA LEITURA: Ne 2,1-8

Leitura do Livro de Neemias – 1Era o mês de Nisã, no vigésimo ano do rei Artaxerxes. Como o vinho estivesse diante do rei, eu peguei no vinho e ofereci-o ao rei. Como em sua presença eu nunca podia estar triste, 2o rei disse-me: “Por que estás com a fisionomia triste? Não estás doente. Isso só pode ser tristeza do coração”. Fiquei muito apreensivo e disse ao rei: 3”Que o rei viva para sempre! Como o meu rosto poderia não estar triste, quando está em ruí­nas a cidade onde estão os túmulos de meus pais e suas portas foram consumidas pelo fogo?” 4E o rei disse-me: “Que desejas?” Então, fazendo uma oração ao Deus do céu, 5eu disse ao rei: “Se for do agrado do rei e se o teu servo achar graça diante de ti, deixa-me ir para a Judeia, à cidade onde se encontram os túmulos de meus pais, a fim de que possa reconstruí-la”. 6O rei, junto de quem a rainha se sentara, perguntou-me: “Quanto tempo vai durar a tua viagem e quando estarás de volta?” Eu indiquei-lhe a data do regresso e ele autorizou-me a partir. 7Eu disse ainda ao rei: “Se parecer bem ao rei, sejam-me dadas cartas para os governadores de além do rio, para que me deixem passar, até que chegue à Judeia. 8E também outra para Asaf, guarda da floresta do rei, para que me forneça madeira de construção para as portas da cidadela do templo, para as muralhas da cidade, e para a casa em que vou morar”. E o rei concedeu-me tudo, pois a bondosa mão de Deus me protegia.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 136

— Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!
— Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti Jerusalém, eu me esquecer!

— Junto aos rios da Babilônia nos sentávamos chorando, com saudades de Sião. Nos salgueiros por ali penduramos nossas harpas.

— Pois foi lá que os opressores nos pediram nossos cânticos; nossos guardas exigiam alegria na tristeza: “Cantai hoje para nós algum canto de Sião”

— Como havemos de cantar os cantares do Senhor numa terra estrangeira? Se de ti, Jerusalém, algum dia eu me esquecer, que resseque a minha mão.

— Que se cole a minha língua e se prenda ao céu da boca, se de ti não me lembrar! Se não for Jerusalém minha grande alegria!

EVANGELHO:  Lc 9,57-62

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, 57enquanto Jesus e seus discípulos caminhavam, alguém na estrada disse a Jesus: “Eu te seguirei para onde quer que fores”. 58Jesus lhe respondeu: “As raposas têm tocas e os pássaros têm ninhos; mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça”. 59Jesus disse a outro: “Segue-me”. Este respondeu: “Deixa-me primeiro ir enterrar meu pai”. 60Jesus respondeu: “Deixa que os mortos enterrem os seus mortos; mas tu, vai anunciar o Reino de Deus”. 61Um outro ainda lhe disse: “Eu te seguirei, Senhor, mas deixa-me primeiro despedir-me dos meus familiares”. 62Jesus, porém, respondeu-lhes: “Quem põe a mão no arado e olha para trás não está apto para o Reino de Deus”.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

Ninguém pode impor ao Senhor condições para segui-lo
A subida para Jerusalém pode ser caracterizada como lições que Jesus dá aos seus discípulos, enquanto ele caminha para o Pai. No início dessa subida, apresentam-se três casos que, dado o anonimato das pessoas, devem ser tidos como casos típicos. No primeiro e no terceiro casos, são as pessoas que tomam a iniciativa de seguir Jesus; no segundo caso, é Jesus quem chama a pessoa. Nos três há o desejo sincero de seguir Jesus. É preciso que todos saibam as condições para se tornar discípulos e considerar se têm força e ânimo para fazê-lo. Àquele que se apresenta desejoso de segui-lo, Jesus adverte que a vocação do discípulo é itinerante e, por isso, exige desapego e renúncia do conforto dos bens terrenos. Aos outros dois, Jesus observa que não pode haver nada que anteceda ou possa retardar o seguimento; a disponibilidade não pode estar subordinada a apegos afetivos nem a bens. Ninguém é excluído do seguimento de Jesus. No entanto, ninguém pode impor ao Senhor condições para segui-lo. O que é dito em separado a cada um, vale, no seu conjunto, para todos. O que é dito aos discípulos como exigência do seguimento, nós o vemos realizado na vida mesma de Jesus.
Pe. Carlos Alberto Contieri, sj

LEITURA ORANTE

Saudação
– A nós, a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
– Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura, rezando:
Jesus Mestre, que dissestes:
“Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome,
eu aí estarei no meio deles”,
ficai conosco,
aqui reunidos (pela grande rede da internet),
para melhor meditar
e comungar com a vossa Palavra.
Sois o Mestre e a Verdade:
iluminai-nos, para que melhor compreendamos
as Sagradas Escrituras.
Sois o Guia e o Caminho:
fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
Sois a Vida:
transformai nosso coração em terra boa,
onde a Palavra de Deus produza frutos
abundantes de santidade e missão.
(Bv. Alberione)

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto: Lc 9,57-62, e observo as pessoas que queriam seguir Jesus

Neste texto, três tipos de pessoas ilustram o começo do seguimento de Jesus. São personagens anônimos. O primeiro e o terceiro tomam a iniciativa, sem serem chamados. O segundo é Jesus quem o chama. Nos três casos, é decisiva a prontidão, o desprendimento de outros vínculos, a disposição a enfrentar o desconforto. Tudo relacionado ao desejo de seguir o Senhor. Na última fala neste trecho, Jesus afirma que quem começa a arar a terra e olha para trás não serve para o Reino. Ele quis dizer que não se pode seguir Jesus e olhar noutra direção.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração?
Entro em diálogo com o texto. Reflito e atualizo. O que o texto me diz no momento?
O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo? Ou tenho olhado noutra direção?No Documento de Aparecida, os bispos disseram: “O amadurecimento no seguimento de Cristo e a paixão por anunciá-lo requerem que a Igreja local se renove constantemente em sua vida e ardor missionário. Só assim pode ser, para todos os batizados, casa e escola de comunhão, de participação e solidariedade. Em sua realidade social concreta, o discípulo tem a experiência do encontro com Jesus Cristo vivo, amadurece sua vocação cristã, descobre a riqueza e a graça de ser missionário e anuncia a palavra com alegria.” (DA, 167).

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo com a canção do Padre Zezinho, scj

EU TE SEGUIREI
Eu te seguirei,
Onde quer que vás
Onde está teu povo,
Lá também estás
As aves do céu tem seu ninho,
Os peixes tem onde morar
Leões e raposas também
Mas o Filho do Homem não tem
Onde morar.
Mas lá onde está o teu povo,
É lá onde queres ficar
E eu quero estar com meu povo,
Lá também há de ser meu lugar.
Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou caminhar conforme o Projeto de Jesus Mestre..
Escolho uma frase ou palavra para memorizar.
Bênção
– Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
– Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém

26ª Semana Comum – 02 de outubro de 2015

Liturgia diaria

ORAÇÃO DO DIA

Pai, poupa-me de cair na tentação de querer fazer-me grande aos olhos do mundo, pois a verdadeira grandeza consiste em fazer-me amigo e servidor do meu próximo.

Invoquemos a presença do Espírito Santo para ler e refletir a liturgia diária:

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

PRIMEIRA LEITURA: Êx 23,20-23

Leitura do Livro do Êxodo – Assim diz o Senhor: 20“Vou enviar um anjo que vá à tua frente, que te guarde pelo caminho e te conduza ao lugar que te preparei. 21Respeita-o e ouve a sua voz. Não lhe sejas rebelde, porque não suportará as vossas transgressões, e nele está o meu nome. 22Se ouvires a sua voz e fizeres tudo o que eu disser, serei inimigo dos teus inimigos, e adversário dos teus adversários. 23O meu anjo irá à tua frente e te conduzirá à terra dos amorreus, dos hititas, dos fereseus, dos cananeus, dos heveus e dos jebuseus, e eu os exterminarei”. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 90

— O Senhor deu uma ordem aos seus Anjos, para em todos os caminhos te guardarem.
— O Senhor deu uma ordem aos seus Anjos, para em todos os caminhos te guardarem.

— Quem habita ao abrigo do Altíssimo e vive à sombra do Senhor onipotente, diz ao Senhor: “Sois meu refúgio e proteção, sois o meu Deus, no qual confio inteiramente”.

— Do caçador e do seu laço ele te livra. Ele te salva da palavra que destrói. Com suas asas haverá de proteger-te, com seu escudo e suas armas, defender-te.

— Não temerás terror algum durante a noite, nem a flecha disparada em pleno dia; nem a peste que caminha pelo escuro, nem a desgraça que devasta ao meio-dia.

— Nenhum mal há de chegar perto de ti, nem a desgraça baterá à tua porta; pois o Senhor deu uma ordem a seus Anjos para em todos os caminhos te guardarem.

EVANGELHO: Mt 18,1-5.10

       – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquela hora, 1os discípulos aproximaram-se de Jesus e perguntaram: “Quem é o maior no Reino dos Céus?” 2Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles 3e disse: “Em verdade vos digo, se não vos converterdes, e não vos tornardes como crianças, não entrareis no Reino dos Céus. 4Quem se faz pequeno como esta criança, esse é o maior no Reino dos Céus. 5E quem recebe em meu nome uma criança como esta, é a mim que recebe. 10Não desprezeis nenhum desses pe­queninos, pois eu vos digo que os seus anjos nos céus veem sem cessar a face do meu Pai que está nos céus”.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

O serviço é uma característica da comunidade cristã
O discurso sobre a Igreja (Mt 18) é composto de uma série de instruções de Jesus aos seus discípulos sobre a vida comunitária. A pergunta pelo “maior” diz respeito a quem é o mais importante, quem tem lugar de destaque. Tal pergunta dos discípulos a Jesus revela as disputas internas à comunidade cristã. A resposta de Jesus poderia ser compreendida nestes termos: o maior é o menor, ou seja, aquele que serve (cf. Mc 9,35). O serviço é um traço característico do discípulo e da comunidade cristã. Mas para que seja um modo de vida, é preciso conversão, com a consequente mudança radical de mentalidade. A “criança”, aqui, é símbolo do próprio Cristo que se fez servo de todos e que, sendo de condição divina, assumiu plenamente a nossa humanidade (Fl 2,6-7a). Os “pequenos” são os que se sentem desprezados e tentados a abandonar a fé. Eles são identificados com as ovelhas. Em favor deles, é exigida da comunidade cristã uma atenção especial para que ninguém se perca (cf. Jo 17,12), a exemplo do pastor que incansavelmente vai atrás da ovelha perdida até encontrá-la (Lc 15,4-7). Na Igreja, cada membro é importante e deve ser tratado com o mesmo cuidado com que o próprio Deus cuida de cada um de nós.
Pe. Carlos Alberto Contieri, sj

LEITURA ORANTE

Inicio a Leitura Orante, rezando:
Senhor, nós te agradecemos por este dia.
Abrimos nossas portas e janelas para que tu possas
Entrar com tua luz.
Queremos que tu Senhor, definas os contornos de
Nossos caminhos,
As cores de nossas palavras e gestos,
A dimensão de nossos projetos,
O calor de nossos relacionamentos e o
Rumo de nossa vida.
Podes entrar, Senhor em nossas famílias.
Precisamos do ar puro de tua verdade.

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto: Mt 18,1-5.10.

Os que decidem seguir Jesus encontram alguns problemas.
O primeiro é a competição. Está na pergunta feita a Jesus: “Quem é o mais importante no Reino do Céu?” E a resposta é dada por Jesus através de um exemplo: chama uma criança e a coloca na frente de todos. Naquele tempo, a criança não era considerada. Era símbolo dos pobres, fracos e humildes, pessoas sem pretensões.
Jesus diz que se não mudarem de vida e não ficarem como as crianças, nunca entrarão no Reino do céu.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje?
Hoje se fala e se oferecem cursos, treinamentos, para a pessoa crescer em auto-estima, se tornar importante, fazer sucesso, ser a melhor em tudo. Vivemos numa sociedade em que vemos a cada instante pessoas querendo ter mais, aparecer mais, ser o melhor e maior, e até, se ignoram as necessidades dos demais. A proposta de humildade e de pequenez de Jesus contradiz tudo isto. Ele fala de um Reino de iguais. Nosso coração deve estar aberto para o irmão. Como disse Jesus, é preciso mudar de vida. Se quisermos entrar no Reino do Céu.

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo, com a oração dos irmãos, ensinada por Jesus.
Pai nosso que estais nos céus,
Santificado seja o vosso nome.
Venha a nós o vosso Reino.
Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos daí hoje.
Perdoai as nossas ofensas
Assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido
E não nos deixeis cair em tentação,
Mas livrai-nos do mal. Amém.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou cultivar meu olhar de fé reconhecendo as demais pessoas como irmãs,como aconselham os Bispos em Aparecida: “A Igreja é comunhão no amor. Esta é sua essência através da qual é chamada a ser reconhecida como seguidora de Cristo e servidora da humanidade. O novo mandamento é o que une os discípulos entre si, reconhecendo-se como irmãos e irmãs, obedientes ao mesmo Mestre, membros unidos à mesma Cabeça e, por isso, chamados a cuidarem uns dos outros (1 Cor 13; Cl 3,12-14)” (DA 161).02

23ª Semana Comum – 12 de setembro de 2015

Liturgia Diaria

ORAÇÃO DO DIA

Pai, desejo viver com coerência minha fé. Seja o meu agir uma expressão transparente de minha adesão ao Senhor, e meu amor, uma prova de que sou teu filho.

Invoquemos a presença do Espírito Santo para ler e refletir a liturgia diária:

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

PRIMEIRA LEITURA: 1Tm 1,15-17

Leitura da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo – 15Caríssimo, segura e digna de ser acolhida por todos é esta palavra: Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores. E eu sou o primeiro deles! 16Por isso encontrei misericórdia, para que em mim, como primeiro, Cristo Jesus demonstrasse toda a grandeza de seu coração; ele fez de mim um modelo de todos os que crerem nele para alcançar a vida eterna. 17Ao Rei dos séculos, ao único Deus, imortal e invisível, honra e glória pelos séculos dos séculos. Amém!

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 112

         — Bendito seja o nome do Senhor, agora e para sempre!
— Bendito seja o nome do Senhor, agora e para sempre!

— Louvai, louvai, ó servos do Senhor; louvai, louvai o nome do Senhor! Bendito seja o nome do Senhor, agora e por toda a eternidade!

— Do nascer do sol até o seu ocaso, louvado seja o nome do Senhor! O Senhor está acima das nações, sua glória vai além dos altos céus.

— Quem pode comparar-se a nosso Deus, que se inclina para olhar o céu e a terra? Levanta da poeira o indigente e do lixo ele retira o pobrezinho.

EVANGELHO: Lc 6,43-49

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 43“Não existe árvore boa que dê frutos ruins, nem árvore ruim que dê frutos bons. 44Toda árvore é reconhecida pelos seus frutos. Não se colhem figos de espinheiros, nem uvas de plantas espinhosas.
45O homem bom tira coisas boas do bom tesouro do seu coração. Mas o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, pois sua boca fala do que o coração está cheio. 46Por que me chamais: ‘Senhor! Senhor!’, mas não fazeis o que eu digo?
47Vou mostrar-vos com quem se parece todo aquele que vem a mim, ouve as minhas palavras e as põe em prática. 48É semelhante a um homem que construiu uma casa: cavou fundo e colocou o alicerce sobre a rocha. Veio a enchente, a torrente deu contra a casa, mas não conseguiu der­rubá-la, porque estava bem construída.
49Aquele, porém, que ouve e não põe em prática, é semelhante a um homem que construiu uma casa no chão, sem alicerce. A torrente deu contra a casa, e ela imediatamente desabou; e foi grande a ruína dessa casa”.

– Palavra da Salvação.
– Glória a vós, Senhor.

Comentário do Evangelho

 A vida construída na escuta da palavra de Cristo
O sermão da planície termina de forma semelhante ao sermão da montanha de Mateus (Mt 7,15-27). A conclusão do sermão da planície é um apelo à coerência interna, isto é, ao acordo de si consigo mesmo, e, consequentemente, à renúncia da hipocrisia. É acolhendo e pondo em prática o conjunto do ensinamento de Jesus que se produz fruto. “Fruto”, aqui, é um comportamento ético em conformidade com as exigências e valores próprios do evangelho de Jesus Cristo. Os discursos pseudopersuasivos e as belas palavras podem levar a própria pessoa a viver na ilusão e a induzir os outros a erro, como se a vida cristã reiterasse uma espiritualidade desencarnada. Ao contrário, a adesão livre à pessoa de Jesus Cristo exige um comportamento condizente com a vida que o Senhor propõe (Tg 3,13-18). A parábola das duas casas é a imagem da vida do fiel, a qual pode ser construída no esforço da escuta e realização da palavra de Jesus Cristo, ou, então, no esquecimento de que a aceitação do ensinamento do Senhor exige uma conduta condizente (Tg 1,21-25).
Pe. Carlos Alberto Contieri, sj

LEITURA ORANTE

Saudação
– A nós, a paz de Deus, nosso Pai,
a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo,
no amor e na comunhão do Espírito Santo.
– Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura, rezando:
Jesus Mestre, que dissestes:
“Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome,
eu aí estarei no meio deles”,
ficai conosco,
aqui reunidos (pela grande rede da internet),
para melhor meditar
e comungar com a vossa Palavra.
Sois o Mestre e a Verdade:
iluminai-nos, para que melhor compreendamos
as Sagradas Escrituras.
Sois o Guia e o Caminho:
fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
Sois a Vida:
transformai nosso coração em terra boa,
onde a Palavra de Deus produza frutos
abundantes de santidade e missão.
(Bv. Alberione)

1. Leitura (Verdade)
O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto: Lc 6,43-49, e observo o ensinamento de Jesus

Jesus utiliza neste texto duas comparações; a da árvore que produz bons frutos e da que não dá bons frutos e a casa com bom alicerce sem alicerce. Em ambos os casos o Mestre quer dizer que não basta ouvir a Palavra. É preciso praticá-la. Com estas duas comparações ele diz como é importante a interioridade e a necessidade de traduzir o que se ouve e medita em atitudes ou conduta de vida.

2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração?
Entro em diálogo com o texto. Reflito e atualizo. O que o texto me diz no momento?
Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições? O meu Projeto de vida é o do Mestre Jesus Cristo? Ajuda-nos o que disseram os bispos em Aparecida: “De nossa fé em Cristo nasce também a solidariedade como atitude permanente de encontro, irmandade e serviço. Ela há de se manifestar em opções e gestos visíveis, principalmente na defesa da vida e dos direitos dos mais vulneráveis e excluídos, e no permanente acompanhamento em seus esforços por serem sujeitos de mudança e de transformação de sua situação” (394.)

3.Oração (Vida)
O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo com o bem-aventurado Alberione:
Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste
em conhecer a ti e ao Pai.
Derrama sobre nós, a abundância
do Espírito Santo!
Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento,
porque és o único caminho para o Pai.
Faze-nos crescer no teu amor,
para que sejamos, como o apóstolo Paulo
testemunhas vivas do teu Evangelho.
Com Maria,
Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos,
guardaremos tua Palavra,
meditando-a no coração.
Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

4.Contemplação (Vida e Missão)
Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre. Vou demonstrar pela vida que o amor de Deus se revela no amor ao próximo.
Escolho uma frase ou palavra para memorizar. Vou repeti-la durante o dia. Esta Palavra vai fazendo parte da minha vida, da minha mente, como a chuva que cai e produz seus efeitos (Is 55,10-11).

Bênção
– Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.
-Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.
– Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém

Homila Dominical

Liturgia diária, Misericórdia eu quero, não sacrifícios - Mt 12,1-8

Quero misericórdia! – Mt 12,1-8

A Palavra de Deus nos fala da misericórdia. Mais do que ofertas e sacrifícios, o Senhor espera de nós a vivência da misericórdia que é fruto do amor.

Marta e MAria

16º Domingo do Tempo Comum – C

É importante que acolhamos a Jesus como Maria, colocando-nos aos seus pés para ouvi-lo, hospedemos sempre Jesus em nossa vida.