Oração diária A cura dos dez leprosos

28º Domingo Comum – Ano Litúrgico C

09 de outubro de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que o meu coração, repleto de fé, reconheça Jesus como a mediação de todas as graças e favores que recebo de ti.

PRIMEIRA LEITURA: 2Rs 5,14-17

Leitura do segundo livro dos Reis

Naqueles dias, 14Naamã, o sírio, desceu e mergulhou sete vezes no Jordão, conforme o homem de Deus tinha mandado, e sua carne tornou-se semelhante à de uma criancinha, e ele ficou purificado.
15Em seguida, voltou com toda a sua comitiva para junto do homem de Deus. Ao chegar, apresentou-se diante dele e disse: “Agora estou convencido de que não há outro Deus em toda a terra, senão o que há em Israel! Por favor, aceita um presente de mim, teu servo”.
16Eliseu respondeu: “Pela vida do Senhor, a quem sirvo, nada aceitarei”. E, por mais que Naamã insistisse, ficou firme na recusa.
17Naamã disse então: “Seja como queres. Mas permite que teu servo leve daqui a terra que dois jumentos podem carregar. Pois teu servo já não oferecerá holocausto ou sacrifício a outros deuses, mas somente ao Senhor”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 97

          — O Senhor fez conhecer a salvação/ e às nações revelou sua justiça
— O Senhor fez conhecer a salvação/ e às nações revelou sua justiça.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo,/ porque ele fez prodígios!/ Sua mão e o seu braço forte e santo/ alcançaram-lhe a vitória.

— O Senhor fez conhecer a salvação,/ e às nações, sua justiça;/ recordou o seu amor sempre fiel/ pela casa de Israel.

— Os confins do universo contemplaram/ a salvação do nosso Deus./ Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira,/ alegrai-vos e exultai!

SEGUNDA LEITURA:  2Tm 2,8-13

Leitura da Carta de São Paulo a Timóteo

Caríssimo: 8Lembra-te de Jesus Cristo, da descendência de Davi, ressuscitado dentre os mortos, segundo o meu evangelho. 9Por ele eu estou sofrendo até às algemas, como se eu fosse um malfeitor; mas a palavra de Deus não está algemada. 10Por isso suporto qualquer coisa pelos eleitos, para que eles também alcancem a salvação, que está em Cristo Jesus, com a glória eterna.
11Merece fé esta palavra: se com ele morremos, com ele viveremos. 12Se com ele ficamos firmes, com ele reinaremos. Se nós o negamos, também ele nos negará. 13Se lhe somos infiéis, ele permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 17,11-19

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

11Aconteceu que, caminhando para Jerusalém, Jesus passava entre a Samaria e a Galiléia. 12Quando estava para entrar num povoado, dez leprosos vieram ao seu encontro. Pararam à distância, 13e gritaram: “Jesus, Mestre, tem compaixão de nós!”
14Ao vê-los, Jesus disse: “Ide apresentar-vos aos sacerdotes”.
Enquanto caminhavam, aconteceu que ficaram curados. 15Um deles, ao perceber que estava curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; 16atirou-se aos pés de Jesus, com o rosto por terra, e lhe agradeceu. E este era um samaritano.
17Então Jesus lhe perguntou: “Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão? 18Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro?” 19E disse-lhe: “Levanta-te e vai! Tua fé te salvou”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Dez leprosos pediram que Jesus os curasse. Jesus mandou que fossem se apresentar aos sacerdotes, e no caminho ficaram curados, mas somente um deles voltou para agradecer. Era um samaritano. A ele Jesus disse: “Levanta-te e vai. Tua fé te salvou”. Ele não foi apenas curado de uma doença desta vida, mas foi salvo para o mundo que há de vir. A salvação lhe veio pela fé: “Tua fé te salvou”.
A fé se manifestou no caminho que ele refez para vir agradecer. Os outros também acreditaram em Jesus, pois foram se apresentar aos sacerdotes. Assim faziam os que eram curados. Eles permaneceram no cumprimento da Lei dada por Moisés, enquanto o samaritano entrou na graça e na verdade de Jesus Cristo. Naamã, um homem do governo da Síria, tinha contraído a lepra e foi pedir ao rei de Israel que o curasse. O rei pensou que se tratasse de uma provocação. Como poderia ele curar um doente? E o encaminhou ao profeta Eliseu. No começo Naamã não quis fazer o que Eliseu pediu, mas depois acabou aceitando e entrou sete vezes nas águas do rio Jordão. Naamã acreditou na palavra de um homem de Deus, mas homem como ele. Aceitou a mediação de Eliseu e se curou, reconhecendo o Deus de Israel como o único Deus verdadeiro. Digna de fé é a palavra, como fiel é o cristão e fiel é Deus.
Deus é chamado de “fiel”, assim como os cristãos são chamados de “fiéis”. A diferença entre os dois está em que a fidelidade de Deus perdura para sempre, enquanto a nossa vacila, se retrai, quando não trai. Raramente negamos a Deus explicitamente. Nós o negamos em nossos relacionamentos com os irmãos. “O homem fiel é aquele que crê no Deus que promete; o Deus fiel é aquele que concede o que prometeu ao homem”, diz Santo Agostinho.
A fé enxerga à medida que caminha. Abraão foi chamado a sair da própria terra e caminhar para um futuro inesperado. Na vida de Moisés a fé foi uma chamada a um longo caminho, para poder adorar o Senhor no Sinai e herdar uma terra prometida. Os dez leprosos caminharam até Jesus e caminharam até os sacerdotes do Templo. O samaritano refez o caminho para agradecer. Naamã caminhou da Síria a Israel e andou até o rio Jordão. A fé não está nos livros. A religião que existe é aquela que se pratica. Fé e prática vão juntas.
No exercício prático da caminhada encontramos os leprosos e reencontramos o samaritano curado, salvo pela fé. Caminhando se faz caminho e refazendo o caminho se encontra a vida. Por que de novo um samaritano? Quem está dentro, está de fato ou pertence apenas ao quadro social? Quem está dentro só cumpre ritos? Não é livre e espontâneo para agradecer? Estaria a palavra acorrentada? Naamã vem de fora e valoriza a terra que leva consigo no lombo de dois jumentos. É preciso vir de fora para valorizar o que é de dentro? Que os eleitos não percam a salvação e saibam gritar: Jesus, Mestre, tem compaixão de nós! Foi este o ponto de partida que levou ao milagre, que levou ao agradecimento, que levou à salvação. Temos que aprender de alguém duplamente excluído: leproso e samaritano.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Iniciamos um novo dia acolhendo o Evangelho deste 28º domingo do Tempo Comum. Que possamos conservar a Palavra em nosso coração e compreender com maior profundidade os seus ensinamentos para a nossa vida.

Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)

O que diz o texto? Leia-o atentamente e identifique as expressões que revelam a missão de Jesus. De que forma viviam os leprosos nessa época? Qual era a relação de Jesus com o povo samaritano? O que significa o elemento da gratidão no contexto da narrativa?
“O evangelista lembra sempre ao leitor que Jesus está caminhando para Jerusalém (cf. 9,51), caminho que é metáfora do caminho de Jesus para o Pai. Enquanto sobe para a sua paixão e morte, Jesus vai fazendo viver e manifestando a misericórdia de Deus. A situação dos leprosos do tempo de Jesus era dramática e profundamente humilhante. Dez leprosos suplicam a Jesus por compaixão. Não há nenhum gesto para a cura deles todos. A palavra de Jesus foi suficiente para purificá-los. Isso mostra o poder da palavra de Jesus; poder de purificar e dar vida nova. O número ‘dez’ simboliza a totalidade de um povo. Isso significa que, na purificação daqueles leprosos, todo um povo é visitado por Deus. A cura da lepra é um dos sinais dos tempos messiânicos. A salvação da qual Jesus é portador destina-se a todos os povos, judeus e pagãos. A observação de que somente o samaritano voltou para agradecer ressalta a ingratidão do povo de Israel, representado pelos outros nove que não voltaram. O samaritano, considerado herético pelos judeus, cumpre o papel de Israel de prostrar-se diante do Deus único e verdadeiro e agradecer pelo bem da libertação da escravidão. A lepra era uma verdadeira escravidão. Neste texto, o leitor é interpelado a afinar o seu discernimento e abrir o coração para reconhecer o Reino de Deus que se aproxima, em primeiro lugar, na pessoa de Jesus” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)

O que o texto pede a você hoje? Você também sente necessidade de pedir: “Jesus, Mestre, tem compaixão de nós”? O que você deseja agradecer hoje ao Senhor? Quais sentimentos o texto despertou em você?
“O sentimento de gratidão do samaritano é exemplar. Os outros nove não se deram ao trabalho de voltar e agradecer a quem lhes havia curado da lepra. Foram incapazes de reconhecer o benefício recebido. […] O Mestre aproveitou a ocasião para ensinar os discípulos a serem agradecidos. Com facilidade, a ingratidão acaba sendo imitada. Atitude incompatível com quem é beneficiário do amor do Pai! O discípulo sabe reconhecer o quanto o Pai lhe quer bem e como multiplica os benefícios em seu favor. Aliás, tem consciência de ter recebido tudo das mãos do Pai” (Trecho do livro “Dia a dia nos passos de Jesus”, Paulinas Editora).

Oração (Vida)

Em sua oração, agradeça ao Senhor todos os benefícios recebidos de sua bondade. O Senhor está perto de nós e se compadece de nossas dores e sofrimentos. Ele cura as nossas enfermidades e restaura nossas forças.
Conclua com a oração: “Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade, queremos aprender de vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus e buscar, em tudo, a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)

Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? Quais apelos o Evangelho de hoje despertou em seu coração e quais compromissos você deseja concretizar em sua vida?

Bênção

– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.