Oração diária A cura dos dez leprosos Lc 17,11-19

28º Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

13 de outubro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que o meu coração, repleto de fé, reconheça Jesus como a mediação de todas as graças e favores que recebo de ti.

PRIMEIRA LEITURA: 2Rs 5,14-17

Leitura do segundo livro dos Reis

Naqueles dias, 14Naamã, o sírio, desceu e mergulhou sete vezes no Jordão, conforme o homem de Deus tinha mandado, e sua carne tornou-se semelhante à de uma criancinha, e ele ficou purificado.
15Em seguida, voltou com toda a sua comitiva para junto do homem de Deus. Ao chegar, apresentou-se diante dele e disse: “Agora estou convencido de que não há outro Deus em toda a terra, senão o que há em Israel! Por favor, aceita um presente de mim, teu servo”.
16Eliseu respondeu: “Pela vida do Senhor, a quem sirvo, nada aceitarei”. E, por mais que Naamã insistisse, ficou firme na recusa.
17Naamã disse então: “Seja como queres. Mas permite que teu servo leve daqui a terra que dois jumentos podem carregar. Pois teu servo já não oferecerá holocausto ou sacrifício a outros deuses, mas somente ao Senhor”.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 97(98)

         — O Senhor fez conhecer a salvação/ e às nações revelou sua justiça
— O Senhor fez conhecer a salvação/ e às nações revelou sua justiça.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo,/ porque ele fez prodígios!/ Sua mão e o seu braço forte e santo/ alcançaram-lhe a vitória.

— O Senhor fez conhecer a salvação,/ e às nações, sua justiça;/ recordou o seu amor sempre fiel/ pela casa de Israel.

— Os confins do universo contemplaram/ a salvação do nosso Deus./ Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira,/ alegrai-vos e exultai!

SEGUNDA LEITURA: 2Tm 2,8-13

Leitura da Carta de São Paulo a Timóteo

Caríssimo: 8Lembra-te de Jesus Cristo, da descendência de Davi, ressuscitado dentre os mortos, segundo o meu evangelho. 9Por ele eu estou sofrendo até às algemas, como se eu fosse um malfeitor; mas a palavra de Deus não está algemada. 10Por isso suporto qualquer coisa pelos eleitos, para que eles também alcancem a salvação, que está em Cristo Jesus, com a glória eterna.
11Merece fé esta palavra: se com ele morremos, com ele viveremos. 12Se com ele ficamos firmes, com ele reinaremos. Se nós o negamos, também ele nos negará. 13Se lhe somos infiéis, ele permanece fiel, pois não pode negar-se a si mesmo.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 17,11-19

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

11Aconteceu que, caminhando para Jerusalém, Jesus passava entre a Samaria e a Galiléia. 12Quando estava para entrar num povoado, dez leprosos vieram ao seu encontro. Pararam à distância, 13e gritaram: “Jesus, Mestre, tem compaixão de nós!”
14Ao vê-los, Jesus disse: “Ide apresentar-vos aos sacerdotes”.
Enquanto caminhavam, aconteceu que ficaram curados. 15Um deles, ao perceber que estava curado, voltou glorificando a Deus em alta voz; 16atirou-se aos pés de Jesus, com o rosto por terra, e lhe agradeceu. E este era um samaritano.
17Então Jesus lhe perguntou: “Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão? 18Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro?” 19E disse-lhe: “Levanta-te e vai! Tua fé te salvou”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus está iniciando a quinta etapa da subida para Jerusalém. No caminho, dez leprosos lhe suplicam: “Jesus, Mestre, tem compaixão de nós”. Jesus manda que se apresentem aos sacerdotes, como previa a Lei mosaica, para que fosse constatada a cura. Eles são curados no caminho e um deles volta imediatamente para agradecer a Jesus. E este era samaritano. Jesus, então, pergunta por que os outros não voltaram para agradecer e glorificar a Deus? Talvez porque quisessem garantir o cumprimento da Lei, apresentando-se logo aos sacerdotes, ou por não terem sentimento de gratidão. Pode ser até que achassem desnecessário, uma vez que eram membros do povo eleito. Afinal, Deus tem obrigações para com os eleitos! Aquele que voltou para agradecer não era membro do povo eleito. Era samaritano, e homem de fé. Sua fé se manifestou na gratidão.

Agradeceu e glorificou a Deus. Outro estrangeiro, um sírio chamado Naamã, também foi um homem de fé, cheio de gratidão. Era leproso como os dez que procuraram Jesus. O profeta Eliseu o atendeu e mandou que se banhasse sete vezes no rio Jordão. No começo ele não quis, mas depois aceitou e ficou muito agradecido quando se viu curado. Quis até dar um presente a Eliseu, que não aceitou. Reconheceu, então, que não existe outro deus a não ser o Deus de Eliseu.

O Senhor faz prodígios, seu amor é fiel e o mundo pode ver a sua salvação, diz o salmista. Por que a Palavra de Deus dá um destaque tão grande a quem não pertence ao povo escolhido, e parece criticar os que são membros de tal povo? São Paulo, na segunda leitura, faz uma afirmação esclarecedora. Ele diz que “a Palavra de Deus não está algemada”. Ele mesmo, Paulo, está na prisão, por causa de Cristo e de seu Evangelho. A Palavra, porém, não está presa. Ela não é prisioneira de Paulo nem do povo eleito, seja ele judeu, seja cristão. Ela paira sobre o universo até se realizar plenamente, e se realiza em qualquer lugar e em qualquer pessoa. Isto não significa um destaque aos de fora em detrimento dos de dentro. Ao contrário, significa que, se ela se realiza fora, deve realizar-se muito mais dentro, onde tem cidadania, onde está naturalmente em casa.

O discípulo é fiel e agradecido. Se não for, outros o serão, para estimulá-lo. Se os discípulos não forem fiéis e agradecidos, Deus não ficará preso. Para mostrar que a Palavra não está algemada, ele fará surgir gente fiel e agradecida para estimular os seus discípulos e, sobretudo, para revelar que o importante é ser fiel e agradecido. Para que os eleitos sejam verdadeiramente eleitos, Paulo suporta as algemas da prisão e não tem medo nem mesmo da morte. E mais uma vez faz uma afirmação desconcertante: “Deus permanece fiel, mesmo se lhe formos infiéis”. Paulo sabe o que também sabemos, que o único verdadeiramente fiel é somente Deus. A certeza que temos de ser plenamente a Igreja de Cristo nos obriga a ser coerentes com nossa fé,e nos leva a admirar tudo o que vemos de bom no mundo e nos outros, inclusive o coração agradecido do sírio e do samaritano.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Em uma atitude de recolhimento, coloque-se na presença de Deus e imagine Jesus caminhando pelas cidades. Leia pausadamente esse Evangelho. Que pessoas foram ao encontro dele? O que acontece entre Jesus e essas pessoas?
Oremos: “Senhor, Vós que curastes os leprosos, tende compaixão com os doentes do mundo todo. Muitos são provados pela enfermidade durante longo tempo ou uma vida toda. Alguns sem esperança de cura sentem declinar suas forças. Outros, por motivos de saúde, são obrigados a renunciar às atividades, deixando a família sem abrigo. Aumentai em nós a fé e dai-nos o dom da gratidão por essa bênção preciosa que é a saúde. Amém.”

Leitura (Verdade)
Qual a situação desses leprosos? Como viviam? Jesus ordena que caminhem, busquem mediações na comunidade. Qual é a resposta dos dez? Como foi o retorno depois de serem curados? Tomar consciência do dom recebido merece o louvor de Jesus: “Levanta-te e vai! Tua fé te salvou”.

Meditação (Caminho)
Como é sua relação com Deus diante de suas fraquezas ou enfermidades? Você tem um coração agradecido?
“A lepra carregava consigo uma série de sofrimentos: era incurável, excluía seu portador da comunidade e era considerada maldição divina. Solidários entre si, os dez leprosos percebem em Jesus a única possibilidade de cura. Jesus deixa o centro da cena e os envia aos sacerdotes. Enquanto iam, ficaram curados. Nove deles estavam interessados apenas na cura e seguiram seus caminhos. Mas um deles, samaritano, que não faz parte do povo de Israel, voltou para agradecer. E seu gesto não ficou sem recompensa, pois, além da cura do corpo, recebeu a graça da fé. Jesus veio para curar nossas feridas. Cada um de nós deve espelhar-se no leproso que voltou para agradecer. O agradecimento nos dispõe a receber novos benefícios” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Senhor Jesus, começa novo dia e ele ainda me encontra doente. Ofereço-te meu corpo imobilizado, minha fronte febril, minhas mãos inativas, talvez horas de insônia… em todo o caso, esse longo dia que se anuncia. Desde já, Senhor, uno meus sofrimentos aos de Jesus. Ofereço-te as alegrias que as visitas me proporcionam. Agradeço-te por todas as atenções que me forem dispensadas e que tantos doentes não recebem. Ofereço-te também os instantes nos quais terei a impressão de estar um pouco abandonado, enquanto a vida continua em torno de mim. Faze então que eu seja feliz por me encontrar a sós contigo. Dá-me em todos os instantes deste dia a força de aceitar paciente – ou, ao menos, sem me revoltar – a provação, o sofrimento. E que assim continue em comunhão contigo, também nesse tempo em que a doença me visita.

Contemplação (Vida e Missão)
De que forma a Palavra de Deus tocou sua vida? O que você deseja colocar em prática, segundo os ensinamentos de Jesus? Pense em sua disponibilidade para levar conforto e uma palavra de fé aos doentes.

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas