Oração diária, Deus deu ao mundo o seu Filho único - Jo 3,14-21

3ª Semana da Quaresma – Ano Litúrgico B

11 de março de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Jesus Mestre, que os meus pensamentos se inspirem no Evangelho, e se tornem fontes de vossa luz a iluminar os homens, nossos irmãos.

PRIMEIRA LEITURA: 2Cr 36,14-16.19-23

Leitura do Segundo Livro das Crônicas

– Naqueles dias, 14todos os chefes dos sacerdotes e o povo multiplicaram suas infidelidades, imitando as práticas abomináveis das nações pagãs, e profanaram o templo que o Senhor tinha santificado em Jerusalém.
15Ora, o Senhor Deus de seus pais dirigia-lhes frequentemente a palavra por meio de seus mensageiros, admoestando-os com solicitude todos os dias, porque tinha compaixão do seu povo e da sua própria casa.
16Mas eles zombavam dos enviados de Deus, desprezavam as suas palavras, até que o furor do Senhor se levantou contra o seu povo e não houve mais remédio.
19Os inimigos incendiaram a casa de Deus e deitaram abaixo os muros de Jerusalém, atearam fogo a todas as construções fortificadas e destruíram tudo o que havia de precioso.
20Nabucodonosor levou cativos para a Babilônia, todos os que escaparam à espada, e eles tornaram-se escravos do rei e de seus filhos, até que o império passou para o rei dos persas.
21Assim se cumpriu a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias: “Até que a terra tenha desfrutado de seus sábados, ela repousará durante todos os dias da desolação, até que se completem setenta anos”.
22No primeiro ano do reinado de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias, o Senhor moveu o espírito de Ciro, rei da Pérsia, que mandou publicar em todo o seu reino, de viva voz e por escrito, a seguinte proclamação:
23“Assim fala Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, Deus do céu, deu-me todos os reinos da terra, e encarregou-me de lhe construir um templo em Jerusalém, que está no país de Judá. Quem dentre vós todos pertence ao seu povo? Que o Senhor, seu Deus, esteja com ele, e que se ponha a caminho”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 137(136

          — Que se prenda a minha língua ao céu da boca,/ se de ti, Jerusalém, eu me esquecer!
— Que se prenda a minha língua ao céu da boca,/ se de ti, Jerusalém, eu me esquecer!

— Junto aos rios da Babilônia/ nos sentávamos chorando,/ com saudades de Sião./ Nos salgueiros por ali/ penduramos nossas harpas.

— Pois foi lá que os opressores/ nos pediram nossos cânticos;/ nossos guardas exigiam/ alegria na tristeza:/ “Cantai hoje para nós/ algum canto de Sião!”

— Como havemos de cantar/ os cantares do Senhor/ numa terra estrangeira?/ Se de ti, Jerusalém,/ algum dia eu me esquecer,/ que resseque a minha mão!

— Que se cole a minha língua/ e se prenda ao céu da boca,/ se de ti não me lembrar!/ Se não for Jerusalém/ minha grande alegria!

SEGUNDA LEITURA: Ef 2,4-10

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios

– Irmãos: 4Deus é rico em misericórdia. Por causa do grande amor com que nos amou, 5quando estávamos mortos por causa das nossas faltas, ele nos deu a vida com Cristo. É por graça que vós sois salvos!
6Deus nos ressuscitou com Cristo e nos fez sentar nos céus, em virtude de nossa união com Jesus Cristo. 7Assim, pela bondade que nos demonstrou em Jesus Cristo, Deus quis mostrar, através dos séculos futuros, a incomparável riqueza de sua graça.
8Com efeito, é pela graça que sois salvos, mediante a fé. E isso não vem de vós; é dom de Deus! 9Não vem das obras, para que ninguém se orgulhe. 10Pois é ele quem nos fez; nós fomos criados em Jesus Cristo para as obras boas, que Deus preparou de antemão, para que nós as praticássemos.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Jo 3,14-21

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 14“Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna. 16Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna.
17De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele.
18Quem nele crê, não é condenado, mas, quem não crê, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito.
19Ora, o julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más.
20Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas. 21Mas, quem age conforme a verdade, aproxima-se da luz, para que se manifeste que suas ações são realizadas em Deus.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

O povo de Israel saiu do Egito e na travessia do deserto enfrentou muitas dificuldades. Uma delas foram as serpentes venenosas. Muita gente morreu com a sua picada. Foi um castigo por causa das murmurações contra Deus e Moisés. O povo se arrependeu e Moisés intercedeu junto de Deus. O Senhor mandou que se fizesse uma serpente de bronze e fosse colocada numa haste. Alguém, picado por uma cobra, olhando para a imagem da serpente, ficava curado. Assim está escrito no Livro dos Números e a este acontecimento Jesus se refere na conversa com Nicodemos, sábio fariseu de Israel. “Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim também será levantado o Filho do Homem, a fim de que todo o que nele crer tenha vida eterna”, foi o que Jesus disse ao velho Nicodemos.
O episódio do deserto se torna símbolo da realidade da cruz. A serpente é o demônio com seu poder exercido contra os seres humanos. Ela fez com que a árvore do paraíso se tornasse causa de perdição da humanidade. Olhando agora para a árvore da cruz, a mesma humanidade encontra a salvação. Na árvore da cruz está o corpo crucificado de Jesus Cristo, de quem nos vem a salvação. Na luz da cruz nossas ações se tornam manifestas. Desta luz se aproximam os que praticam a verdade e não temem que suas obras sejam denunciadas, porque são praticadas em Deus.
A imagem, seja da serpente, seja da cruz, fala como falam as letras de um texto escrito. A imagem é outro tipo de Escritura para os olhos da fé. O que se vê é o Senhor Jesus entregando sua vida para a salvação do mundo. Salvação do quê? Das picadas da serpente, que são reais, tanto a serpente quanto as picadas. Deus, na sua misericórdia, preparou para nós boas obras para serem praticadas. Elas não contêm veneno e são sinal de que nos libertamos do poder da serpente. Isto é dom de Deus e não vem das obras, para que ninguém se glorie. Nossa glória é a cruz de nosso Senhor Jesus Cristo.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Neste quarto domingo da Quaresma, a liturgia nos convida a acolher a iniciativa da salvação que nos vem de Deus, ao enviar seu Filho ao mundo. Jesus deu sua vida por nós. Somos também convidados a deixar o caminho das trevas e seguir o caminho da luz, que é o próprio Cristo.
Dispondo-nos a acolher e viver os ensinamentos da Palavra de Deus, peçamos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Leia em voz alta e pausadamente o Evangelho, repetindo as palavras que chamarem sua atenção. Qual é o contexto da mensagem de Jesus? Quais são suas orientações? Faça outras perguntas ao texto bíblico.
“O início do Evangelho de hoje faz referência explícita ao episódio relatado no Livro dos Números (Nm 21,4b-9). […] A elevação de Jesus Cristo na cruz é o antítipo da serpente elevada. Como parte da catequese batismal do capítulo 3 do Evangelho de João, nossa perícope dá uma interpretação cristológica ao episódio narrado pelo autor do livro dos Números: quem salva e cura da morte é Jesus Cristo. É pela fé em Jesus Cristo, crucificado, morto e ressuscitado, que se é salvo e se tem a vida eterna. Na segunda parte do trecho do Evangelho de hoje, Jesus diz que o amor de Deus é a causa preexistente da encarnação do Verbo eterno; a morte gloriosa de Jesus para a salvação do mundo é o gesto do amor de Deus por toda a humanidade, revelado no seu Filho unigênito. Nosso mundo não é, na visão cristã, um vale de lágrimas, nem estamos num desterro. O mundo é o lugar da manifestação do amor de Deus por toda a humanidade, o lugar em que o Verbo ‘armou a sua tenda’ (Jo 1,14). Pela fé no Filho de Deus é dada aos que creem a vida eterna, a participação na vida divina. A vida eterna é comunhão de vida com o Pai e o Filho (cf. Jo 17,3). A vida eterna precisa ser recebida como dom do amor incomensurável de Deus por toda a humanidade. É Deus que, por seu Filho, nos introduz e nos faz participar da sua vida divina. A fé, contudo, está subordinada à liberdade do ser humano. Ao invés da Luz, os homens podem preferir as trevas (cf. Jo 1,4-5.9-11)” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Agora, traga a reflexão da Palavra para a sua vida. O que o texto lhe diz? Que aspectos do mistério de Deus esta passagem possibilita conhecer? O que significa escolher caminhar na luz ou caminhar nas trevas? Quando você sabe que caminha na luz? Você crê no imenso amor do Pai, que nos deu seu Filho para nossa salvação? Permaneça em silêncio por alguns instantes para que esta Palavra encontre espaço em sua vida.

Oração (Vida)
Apresente ao Senhor a sua oração. Recorde a caminhada quaresmal que você está vivendo, as luzes e os apelos que a Palavra lhe revelou, e peça a graça de escolher sempre caminhar na luz de Cristo.
Conclua com a oração da Campanha da Fraternidade: “Deus e Pai, nós vos louvamos pelo vosso infinito amor e vos agradecemos por ter enviado Jesus, o Filho amado, nosso irmão. Ele veio trazer paz e fraternidade à terra e, cheio de ternura e compaixão, sempre viveu relações repletas de perdão e misericórdia. Derrama sobre nós o Espírito Santo, para que, com o coração convertido, acolhamos o projeto de Jesus e sejamos construtores de uma sociedade justa e sem violência, para que, no mundo inteiro, cresça o vosso Reino de liberdade, verdade e de paz. Amém.

Contemplação (Vida e Missão)
Como você pretende viver concretamente, durante o dia, os apelos que o Senhor lhe fez?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.