Liturgia diária, Exaltação da Santa Cruz - Jo 3,13-17

Exaltação da Santa Cruz – Ano Litúrgico C

14 de setembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, ao exaltar a cruz de teu Filho Jesus, quero abrir meu coração para que ela frutifique em mim, renovando minha disposição de ser totalmente fiel a ti.

PRIMEIRA LEITURA: Nm 21,4b-9 ou Fl 2,6-11

Leitura do livro dos Números – Naqueles dias, 4Partiram do monte Hor na direção do mar Vermelho, para contornar a terra de Edom. 5Mas o povo perdeu a coragem no caminho, e começou a murmurar contra Deus e contra Moisés: “Por que, diziam eles, nos tirastes do Egito, para morrermos no deserto onde não há pão nem água? Estamos enfastiados deste miserável alimento.” 6Então o Senhor enviou contra o povo serpentes ardentes, que morderam e mataram muitos. 7O povo veio a Moisés e disse-lhe: “Pecamos, murmurando contra o Senhor e contra ti. Roga ao Senhor que afaste de nós essas serpentes.” Moisés intercedeu pelo povo, 8e o Senhor disse a Moisés: “Faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido, olhando para ela, será salvo.” 9Moisés fez, pois, uma serpente de bronze, e fixou-a sobre um poste. Se alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, conservava a vida

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 77(78)

          — Das obras do Senhor, ó meu povo, não te esqueças!
— Das obras do Senhor, ó meu povo, não te esqueças!

— Escuta, ó meu povo, a minha Lei, ouve atento as palavras que eu te digo; abrirei a minha boca em parábolas, os mistérios do passado lembrarei.

— Quando os feria, eles então o procuravam, convertiam-se correndo para ele; recordavam que o Senhor é sua rocha e que Deus, seu Redentor, é o Deus Altíssimo.

— Mas apenas o honravam com seus lábios e mentiam ao Senhor com suas línguas; seus corações enganadores eram falsos e, infiéis, eles rompiam a Aliança.

— Mas o Senhor, sempre benigno e compassivo, não os matava e perdoava seu pecado; quantas vezes dominou a sua ira e não deu largas à vazão de seu furor.

EVANGELHO: Jo 3,13-17

          – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 13Ninguém subiu ao céu senão aquele que desceu do céu, o Filho do Homem que está no céu. 14Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim deve ser levantado o Filho do Homem, 15para que todo homem que nele crer tenha a vida eterna. 16Com efeito, de tal modo Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. 17Pois Deus não enviou o Filho ao mundo para condená-lo, mas para que o mundo seja salvo por ele.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Por iniciativa de Santa Helena, mãe do imperador Constantino, restos da cruz de Cristo foram descobertos em 326. No lugar da descoberta foi construída a basílica do Santo Sepulcro. A cruz foi exposta ao povo no dia catorze. Daí o nome da festa: “Exaltação da Santa Cruz”. A cruz, instrumento de castigo aplicado pelos romanos, tornou-se instrumento de salvação pela vontade de Deus. É na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo que nós nos gloriamos. Ela nos acompanha e é exaltada por santos e poetas. Assim escreveu Gregório de Matos sobre o mistério do Senhor Crucificado: “A Vós correndo vou, braços sagrados, nessa cruz sacrossanta descobertos, que, para receber-me, estais abertos, e por não castigar-me, estais cravados. A Vós, divinos olhos, eclipsados de tanto sangue e lágrimas cobertos, pois, para perdoar-me, estais despertos, e por não condenar-me, estais fechados. A Vós, pregados pés, por não deixar-me; a Vós, sangue vertido para ungir-me; a Vós, cabeça baixa, por chamar-me; a Vós, lado patente, quero unir-me, a Vós, cravos preciosos, quero atar-me, para ficar unido, atado e firme.” Jesus tem os braços abertos para nos acolher, e os tem pregados na cruz para não nos bater. Para perdoar-me, seus olhos estão despertos e estão fechados para não me condenar.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Festa da Exaltação da Santa Cruz. “A cruz de Jesus Cristo é expressão do amor de Deus por toda a humanidade.” Na escuta, meditação e contemplação da Palavra, acolhamos o Senhor que fala ao nosso coração.
Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Faça uma leitura atenta e destaque as palavras que mais chamaram sua atenção. Quais imagens aparecem no texto? Qual mensagem central o evangelista procura transmitir?
“A festa da Exaltação da Santa Cruz remonta a meados do século IV d.C., quando o bispo de Jerusalém, na festa de dedicação da dupla basílica, constituída por duas igrejas, a igreja da Ressurreição e a igreja do Martírio, levantou uma relíquia da cruz e a apresentou ao povo para a veneração. Desse gesto é que deriva o nome de Exaltação da Santa Cruz. Mas é na sexta-feira santa que, a cada ano, nós cristãos veneramos a cruz do Senhor como penhor de nossa salvação. A cruz de Jesus Cristo é expressão do amor de Deus por toda a humanidade. No entanto, tenhamos todos muito claro que a mística cristã não é a mística da cruz, mas a mística do Crucificado. Para o trecho do evangelho de hoje, no qual o episódio do livro dos Números (21,4b-9) é utilizado, a elevação de Jesus Cristo é o antítipo da serpente elevada. O trecho faz parte da catequese batismal do capítulo 3 do evangelho de João. Essa nossa perícope dá uma interpretação cristológica ao episódio narrado pelo autor do livro dos Números: quem salva e cura da morte é Jesus Cristo. É pela fé em Jesus Cristo crucificado, morto e ressuscitado que se é salvo e se tem a vida eterna” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“‘Nós vos adoramos, Santíssimo Senhor Jesus, e vos bendizemos, porque, pela vossa Santa Cruz, remistes o mundo!’ Assim rezava São Francisco de Assis diante do crucificado. Quando entendemos o mistério que se encerra naquela madeira, abrimos nosso coração em louvor e gratidão. Na cruz, feita altar, o Cordeiro foi imolado para a redenção do mundo. Na cruz está a expressão máxima do amor de Deus pela humanidade. Amou de tal forma o mundo que enviou seu Filho para nos salvar. A linguagem da cruz foi escândalo para os judeus, loucura para os gregos e salvação para os cristãos. Mediante a fé em Jesus crucificado, morto e ressuscitado que se tem a vida eterna! ‘Ó cruz, tu nos salvarás!’” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? O que você deseja dizer ao Senhor neste momento de oração?

Contemplação (Vida e Missão)
Sintetize em poucas palavras o apelo que você sentiu em seu coração, para colocá-lo em prática durante o dia. O que você se propõe a viver hoje? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas