Liturgia diária, De onde lhe vêm essa sabedoria e esses milagres? - Mt 13,54-58

17ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

02 de agosto de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, livra-me da tentação de querer enquadrar-te em meus mesquinhos esquemas. Que eu saiba reconhecer e respeitar o teu modo de agir.

PRIMEIRA LEITURA: Lv 23,1.4-11.15-16.27.34b-37

Leitura do Livro do Levítico.

Naqueles dias, 1O Senhor disse a Moisés: “Dize aos israelitas o seguinte: 4“Eis as festas do Senhor, santas assembléias que anunciareis no devido tempo. 5No primeiro mês, no décimo quarto dia do mês, entre as duas tardes, será a Páscoa do Senhor. 6E no décimo quinto dia desse mês, realizar-se-á a festa dos Pães sem Fermento em honra do Senhor: comereis pães sem fermento durante sete dias. 7Tereis no primeiro dia uma santa assembléia, e não fareis nenhum trabalho servil. 8Durante sete dias oferecereis ao Senhor sacrifícios pelo fogo. No sétimo dia haverá uma santa assembléia; e não fareis trabalho algum servil”. 9O Senhor disse a Moisés: “Dize aos israelitas o seguinte: 10quando tiverdes entrado na terra que vos hei de dar, e fizerdes a ceifa, trareis ao sacerdote um molho de espigas como primícias de vossa ceifa. 11O sacerdote agitará esse molho de espigas diante do Senhor, para que ele vos seja favorável: fará isso no dia seguinte ao sábado. 15“A partir do dia seguinte ao sábado, desde o dia em que tiverdes trazido o molho para ser agitado, contareis sete semanas completas. 16Contareis cinquenta dias até o dia seguinte ao sétimo sábado, e apresentareis ao Senhor uma nova oferta. 27“No décimo dia do sétimo mês será o dia das Expiações. Tereis uma santa assembléia: humilhareis vossas, almas e oferecereis ao Senhor sacrifícios queimados pelo fogo. 34no décimo quinto dia do sétimo mês, celebrar-se-á a festa dos Tabernáculos durante sete dias, em honra do Senhor. 35No primeiro dia haverá uma santa assembléia: não fareis nenhum trabalho servil. 36Durante sete dias oferecereis ao Senhor sacrifícios queimados pelo fogo. No oitavo dia tereis uma santa assembléia e oferecereis ao Senhor sacrifícios queimados pelo fogo. Será uma assembléia solene: não fareis trabalho algum servil. 37Estas são as solenidades do Senhor que anunciareis para haver santas assembléias, para oferecer ao Senhor sacrifícios queimados pelo fogo, holocaustos, oblações, vítimas e libações, cada coisa em seu dia

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 80(81)

         —Exultai no Senhor, nossa força.
— Exultai no Senhor, nossa força.

— Tocai o saltério, vibrai os tímbales, tangei a melodiosa harpa e a lira. Ressoai a trombeta na lua nova, na lua cheia, dia de grande festa.

— Porque é uma instituição para Israel, um preceito do Deus de Jacó; uma lei que foi imposta a José, quando ele entrou em luta com o Egito. Eis que ouviu uma língua desconhecida.

— Não haja em teu meio um deus estranho; nem adores jamais o deus de outro povo. Sou eu, o Senhor, teu Deus, eu que te retirei do Egito; basta abrires a boca e te satisfarei.

EVANGELHO: Mt 13,54-58

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

54Foi para a sua cidade e ensinava na sinagoga, de modo que todos diziam admirados: Donde lhe vem esta sabedoria e esta força miraculosa? 55Não é este o filho do carpinteiro? Não é Maria sua mãe? Não são seus irmãos Tiago, José, Simão e Judas? 56E suas irmãs, não vivem todas entre nós? Donde lhe vem, pois, tudo isso? 57E não sabiam o que dizer dele. Disse-lhes, porém, Jesus: É só em sua pátria e em sua família que um profeta é menosprezado. 58E, por causa da falta de confiança deles, operou ali poucos milagres

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus é verdadeiramente o Verbo de Deus encarnado. Verdadeiro homem, integrado em seu meio, conhecido como um dos nossos. É Jesus de Nazaré. Filho do carpinteiro, sua mãe se chama Maria, seus irmãos são Tiago, José, Simão e Judas. E ainda as suas irmãs. Nós entendemos por irmãos e irmãs membros próximos da família. Jesus viveu trinta anos a vida oculta de Nazaré como viviam todos os moradores do lugar. Vida oculta em relação à vida pública que ele começou depois de ter passado pelo batismo de João. Em Nazaré, sua vida não era oculta. Era simples e normal. Seus ensinamentos e seus milagres fazem os nazarenos perguntar de onde lhe vem sua sabedoria. Falam do filho do carpinteiro como de alguém que até então não tinha chamado a atenção por nada de extraordinário. Esse longo tempo de vida normal de Jesus em Nazaré é importante para a nossa espiritualidade. Jesus de Nazaré tem um rosto humano, sem se distinguir em nada de seus conterrâneos. A Carta aos Hebreus dirá que ele foi em tudo semelhante a nós, exceto no pecado. Sua humanidade não é abstrata nem é extraordinária. Ela valoriza a nossa vida de cada dia. Para nós, hoje, Nazaré é o lugar onde moramos e vivemos.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Nesta primeira sexta-feira do mês, celebramos o Sagrado Coração de Jesus. O ensinamento de Jesus provoca a admiração das pessoas: “De onde lhe vêm essa sabedoria e esses milagres?”. Porém, a falta de fé e o fechamento do coração as impediram de acolher Jesus como o Enviado do Pai. Que o Espírito Santo abra o nosso coração para acolhermos os ensinamentos de Jesus para o nosso dia.
Peçamos: “Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Que a Palavra transforme o meu coração através da fé e confiança que eu deposito em ti. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Por que o ensinamento de Jesus causa admiração nas pessoas? Por que foi difícil acolhê-lo como o Messias? Como Jesus reage diante dos questionamentos da multidão?
“Jesus trabalha incansavelmente, assim como Deus ‘trabalha sempre’ em favor de toda a humanidade. Das margens do mar da Galileia (13,1.36), onde ensinou as multidões, Jesus vai para sua cidade, Nazaré. A admiração que Jesus causa ao ensinar é uma das constantes observações que os evangelistas apresentam. O ensinamento de Jesus causa admiração porque faz sentido e dá sentido a toda a história passada, além de abrir o ouvinte ao mistério de Deus. As pessoas presentes na sinagoga se perguntam por duas vezes sobre a origem da sabedoria de Jesus e dos seus atos de poder. Nesse sentido, o leitor do evangelho está mais bem informado e preparado para responder do que os concidadãos de Jesus. Todo o bem que ele faz, a vida que transmite, a sua autoridade e coerência vêm de Deus, da comunhão entre o Pai e o Filho. Há uma sabedoria, um modo de viver, que ultrapassa o conhecimento racional; é dom, fruto de uma profunda união entre o homem e Deus. Mas as pessoas presentes naquela sinagoga, em razão de sua incredulidade, se equivocam imaginando saber a origem de Jesus. A falta de fé lhes impediu de se abrirem para acolher o dom de Deus. A falta de fé fecha o coração para o que é de Deus e impede de ver além das aparências” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual palavra do Evangelho encontrou profunda sintonia com a sua vida? Em sua vida, seu trabalho, seu relacionamento com as pessoas, como você procura viver os ensinamentos de Jesus? Quais sentimentos o texto despertou em seu coração?
“Jesus era um Deus próximo demais. Tinha uma vida muito comum para ser uma divindade. Numa cultura religiosa, onde nem se pronunciava o nome de Deus, Jesus era um absurdo para a cabeça dos seus parentes e conterrâneos. Embora todos ficassem admirados com tamanha sabedoria, não conseguiram dar o passo da fé no Deus encarnado. Ao contrário, o povo ficava escandalizado e acabou rejeitando o Senhor. Parece uma pitada de ciúmes dos seus vizinhos, porque a fama de Jesus se espalhava por toda aquela região. ‘De onde lhe vem tudo isso?’ – subestimaram a família de Jesus e toda a educação religiosa que recebera. E ele conclui, certamente triste, que o profeta não é aceito em sua própria terra, em sua casa” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
O Senhor é nossa força, consolo e abrigo. A Ele entregamos a nossa vida e este novo dia. A Ele confiamos as pessoas que amamos e todas aquelas com as quais partilharemos a vida neste dia. Agradeçamos ao Senhor seus ensinamentos.

Contemplação (Vida e Missão)
Sintetize em poucas palavras o apelo que você sentiu em seu coração, para colocá-lo em prática durante o dia. O que você se propõe a viver concretamente hoje?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas