Liturgia diária, O imposto pago ao templo - Mt 17,22-27

19ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

12 de agosto de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que eu saiba desfrutar minha condição de filho, que me faz livre diante das imposições injustas dos poderes deste mundo, pois só a ti devo submeter-me.

PRIMEIRA LEITURA: Dt 10,12-22

Leitura do livro do Deuteronômio – Moisés falou ao povo, dizendo: 12E agora, ó Israel, o que pede a ti o Senhor, teu Deus, senão que o temas, andando nos seus caminhos, amando-o e servindo-o de todo o teu coração e de toda a tua alma, 13observando os mandamentos do Senhor e suas leis, que hoje te prescrevo, para que sejas feliz? 14Vê: ao Senhor, teu Deus, pertencem os céus e os céus dos céus, a terra e tudo o que nela se encontra. 15Não obstante, só a teus pais se apegou o Senhor com amor, e elegeu a sua posteridade, depois deles, a vós, dentre todas as nações, como o vedes presentemente. 16Cortai, pois, o prepúcio de vosso coração, e cessai de endurecer vossa cerviz; 17porque o Senhor, vosso Deus, é o Deus dos deuses e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e temível, que não faz distinção de pessoas, nem aceita presentes. 18Ele faz justiça ao órfão e à viúva, e ama o estrangeiro, ao qual dá alimento e vestuário. 19Também vós, amai o estrangeiro, porque fostes estrangeiros no Egito. 20Temerás o Senhor, teu Deus, e o servirás. Estarás unido a ele, e só pelo seu nome farás os teus juramentos. 21Ele é a tua glória e o teu Deus, que fez por ti estas grandes e terríveis coisas que viste com os teus olhos. 22Quando os teus pais desceram ao Egito eram em número de setenta pessoas, e agora o Senhor, teu Deus, multiplicou-te como as estrelas do céu.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 147 B (147)

       — Glorifica o Senhor, Jerusalém!
— Glorifica o Senhor, Jerusalém!

— Glorifica o Senhor, Jerusalém! Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! Pois reforçou com segurança as tuas portas, e os teus filhos em teu seio abençoou.

— A paz em teus limites garantiu e te dá como alimento a flor do trigo. Ele envia suas ordens para a terra, e a palavra que ele diz corre veloz.

— Anuncia a Jacó sua palavra, seus preceitos, suas leis a Israel. Nenhum povo recebeu tanto carinho, e nenhum outro revelou os seus preceitos.

EVANGELHO: Mt 17,22-27

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 22Matá-lo-ão, mas ao terceiro dia ressuscitará. E eles ficaram profundamente aflitos. 23Logo que chegaram a Cafarnaum, aqueles que cobravam o imposto da didracma aproximaram-se de Pedro e lhe perguntaram: Teu mestre não paga a didracma? 24Paga sim, respondeu Pedro. Mas quando chegaram à casa, Jesus preveniu-o, dizendo: Que te parece, Simão? Os reis da terra, de quem recebem os tributos ou os impostos? De seus filhos ou dos estrangeiros? 25Pedro respondeu: Dos estrangeiros. Jesus replicou: Os filhos, então, estão isentos. 26Mas não convém escandalizá-los. Vai ao mar, lança o anzol, e ao primeiro peixe que pegares abrirás a boca e encontrarás um estatere. Toma-o e dá-o por mim e por ti.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus pagava ou não pagava o imposto para a manutenção do Templo? Os cobradores perguntaram a Pedro e ele respondeu com firmeza: “É claro que paga”. Depois, numa conversa com Pedro, Jesus lhe dirá que não tinha pago, mas que era bom pagar para evitar problemas. Na boca de um peixe Pedro encontrou o suficiente para o imposto de Jesus e o dele. Jesus mesmo não estava convencido de que devia pagar. Os reis cobravam tributos dos povos dominados, mas aqui se tratava de um imposto dos filhos de Deus para manter a casa do Pai. Jesus é Filho de Deus, mas é o único gerado pelo Pai. Todos os outros se tornaram filhos ao fazer parte do corpo de Cristo. Jesus está na casa do Pai como na sua própria casa. Ele não é estranho. Não tem porque pagar o imposto, mas paga para não escandalizar ninguém. Ele já tinha dito a João Batista que era preciso que ele mesmo cumprisse toda a Lei.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Coloquemo-nos na presença de Deus, silenciando o nosso coração e pedindo ao Senhor a graça de escutar bem sua Palavra.
Rezemos: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Oremos: Senhor, nosso Deus, que pela luz do Espírito Santo instruístes o coração dos vossos fiéis, fazei-nos dóceis ao mesmo Espírito, para apreciarmos o que é justo e nos alegrarmos sempre com a sua presença. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.”

Leitura (Verdade)
Nesta primeira parte da leitura orante, você é convidado(a) a fazer a leitura do Evangelho e a responder à pergunta: o que diz o texto bíblico? Leia o Evangelho quantas vezes julgar necessário e identifique seu tema central. Destaque os verbos e os personagens que aparecem na narrativa e relembre outros textos que possam ajudá-lo(a) na compreensão deste.
“Trata-se do segundo anúncio da paixão, morte e ressurreição de Jesus. Os discípulos ficaram profundamente tristes (Jo 14,1). O episódio do imposto devido ao Templo é próprio a Mateus. A prescrição do tributo do Templo, cobrado inclusive dos judeus da diáspora, se encontra em Ne 10,33-38. Todo judeu do sexo masculino pagava a soma anual de duas dracmas. O Templo possuía sua própria moeda, daí os cambistas de Mt 21,12. A questão posta aos discípulos sobre se Jesus pagava o imposto ao Templo é, na verdade, uma questão posta aos cristãos: os judeus convertidos ao cristianismo devem pagar esse imposto? A resposta de Jesus vai numa dupla direção: em primeiro lugar, para instruir os discípulos há uma orientação fundamental, a saber, a relação com Deus não é mediada nem subordinada a nenhuma taxa, pois se trata de uma relação paterna em que a gratuidade está no centro dessa mesma relação; em segundo lugar, há uma solução prática e realista, uma vez que existe a obrigação que se pague a taxa (cf. Mt 22,15-22). A moeda a ser encontrada na boca do peixe é uma forma de dizer que o imposto deve ser pago com o fruto do trabalho, nesse caso, a pesca” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Repasse o Evangelho, mentalmente ou fazendo uma nova leitura, com bastante atenção, deixando-se tocar pela Palavra de Deus.
“Jesus pagou a dívida de Pedro. Nessa parábola, podemos ver o caráter redentor de Jesus. Ele assumiu nossas dores e enfermidades e, pelo preço do seu sangue, resgatou a humanidade. A morte de Jesus pagou definitivamente nossa dívida desde Adão. No próprio texto, Jesus começa falando de sua morte e ressurreição. Essa declaração trouxe tristeza ao coração dos discípulos, porque ainda não compreendiam o sentido do sacrifício de Jesus. Dos discípulos, um olhar apenas humano sobre o fato da morte do Mestre. Jesus era um fiel cumpridor da lei. Então, pagava todos os impostos. Quem queria colocar o Senhor Jesus em embaraços ficou contrariado. Como Jesus, sejamos cumpridores da vontade de Deus!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? Este é o momento de fazer sua oração, por isso, abra o seu coração e expresse ao Senhor o que a Palavra despertou em você.
O mês de agosto é o Mês Vocacional na Igreja. Juntamente com a sua oração, apresente ao Senhor todos os vocacionados, rezando: “Senhor, pelo Batismo, Vós nos chamastes à santidade e à cooperação generosa na salvação do mundo. Na messe, que é tão grande, auxiliai-nos a corresponder à nossa missão de membros do Povo de Deus. Qualquer que seja o chamado, que cada um de nós seja verdadeiramente outro Cristo no mundo. Ó Senhor, por intercessão de Maria, Mãe da Igreja, concedei-nos o dom misericordioso de muitas e santas vocações sacerdotais, religiosas e missionárias de que a Igreja necessita. Amém” (Liturgia Deus Conosco).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? O que a Palavra de Deus o(a) fez experimentar? Neste momento, você é convidado(a) a identificar os seus sentimentos, o que está em seu coração, os apelos despertados pela Palavra, para transformá-los em atitudes a serem tomadas durante o dia.

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas