Liturgia diária, A oferta da viúva no templo - Lc 21,1-4

34ª Semana Comum – Ano Litúrgico B

26 de novembro de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, dá-me um coração de pobre, capaz de partilhar até do que me é necessário, porque confio totalmente no teu amor providente.

PRIMEIRA LEITURA: Ap 14,1-3.4b-5

Leitura do Livro do Apocalipse de São João – Eu, João, 1tive esta visão: O Cordeiro estava de pé sobre o monte Sião. Com ele, os cento e quarenta e quatro mil que tinham a fronte marcada com o nome dele e o nome do seu Pai. 2Ouvi uma voz que vinha do céu; parecia o barulho de águas torrenciais e o estrondo de um forte trovão. O ruído que ouvi era como o som de músicos tocando harpa. 3Estavam diante do trono, diante dos quatro Seres vivos e dos Anciãos, e cantavam um cântico novo. Era um cântico que ninguém podia aprender; só os cento e quarenta e quatro mil marcados, que foram resgatados da terra. 4bEles seguem o Cordeiro aonde quer que vá. Foram resgatados do meio dos homens, como primeira oferta a Deus e ao Cordeiro. 5Na sua boca nunca foi encontrada mentira. São íntegros!

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 23

— É assim a geração dos que buscam vossa face, ó Senhor, Deus de Israel.
— É assim a geração dos que buscam vossa face, ó Senhor, Deus de Israel.

— Ao Senhor pertence a terra e o que ela encerra, o mundo inteiro com os seres que o povoam; porque ele a tornou firme sobre os mares, e sobre as águas a mantém inabalável.

— “Quem subirá até o monte do Senhor, quem ficará em sua santa habitação?”

— “Quem tem mãos puras e inocente coração, quem não dirige sua mente para o crime.

— Sobre este desce a bênção do Senhor e a recompensa de seu Deus e Salvador”.

— “É assim a geração dos que o procuram, e do Deus de Israel buscam a face”.

EVANGELHO: Lc 21,1-4

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus ergueu os olhos e viu pessoas ricas depositando ofertas no tesouro do Templo. 2Viu também uma pobre viúva que depositou duas pequenas moedas. 3Diante disso, ele disse: “Em verdade vos digo que essa pobre viúva ofertou mais do que todos. 4Pois todos eles depositaram, como oferta feita a Deus, aquilo que lhes sobrava. Mas a viúva, na sua pobreza, ofertou tudo quanto tinha para viver”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Sempre com o os olhos no Templo, São Lucas conta o episódio da pobre viúva que depositou duas moedinhas no cofre das ofertas. Num texto muito breve, Lucas tinha relatado como Jesus expulsou os vendedores do Templo. Não relatou pormenores. Sabe-se, porém, que os cambistas tinham um papel importante no comércio do Templo, seja para a troca de moedas estrangeiras dos que vinham de fora, seja para a troca da moeda do tributo devido ao Templo. São Lucas é muito sensível em relação às questões financeiras, não como aqueles que só pensam em ter e amealhar, mas por saber que o dinheiro diminui a qualidade da vocação do discípulo, podendo até atrapalhá-lo. Não são, portanto, as duas moedinhas da pobre viúva que importam, nem a quantidade maior oferecida pelas pessoas ricas. O que importa é o significado da oferta, sua qualidade interior. O Templo antigo precisava das ofertas. O novo Templo precisará de amor e conhecimento de Deus, precisará da humilde dedicação da pobre viúva. O novo Templo é Jesus, e Jesus é cabeça de um corpo do qual somos membros. É evidente que, enquanto estamos no corpo perecível, precisamos de alimento e abrigo. Casa e Igreja fazem parte do nosso dia a dia, como fazem parte irmãos e irmãs que precisam comer e se cobrir. A oferta da viúva pode ajudar a cobrir o altar com uma bela toalha, e a nudez do irmão com alguma roupinha. É preciso fazer isto sem omitir aquilo.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Iniciamos uma nova semana iluminados pelo gesto da pobre viúva que depositou duas moedinhas no cofre do Templo. Acolhamos o convite que o Senhor hoje nos faz, tornando a nossa vida uma oferta generosa aos irmãos e de total confiança na providência de Deus.
“Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Que a Palavra transforme o meu coração através da fé e confiança que eu deposito em ti. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o contexto da narrativa? Qual ensinamento Jesus nos transmite com o exemplo da viúva? Qual é a crítica feita por Jesus? Detenha-se nas palavras que mais chamaram sua atenção e permaneça por alguns instantes em silêncio para compreendê-las melhor.
“O Templo de Jerusalém não somente era admirado por sua riqueza, mas havia se transformado num lugar de ostentação e exploração. O comércio no Templo era tão intenso que tinha, inclusive, uma moeda própria, que devia ser pura, sem nenhuma efígie. O câmbio de moeda para adquirir os animais para o sacrifício era feito no próprio Templo. A atitude de Jesus de expulsar do Templo os cambistas e vendedores visa devolver ao Templo a sua função de lugar de oração (cf. Lc 19,45-48). Em meio a tudo isso e às controvérsias com os sumos sacerdotes, escribas e anciãos do povo, Jesus elogia a atitude de uma mulher viúva. Havia no Templo cofres para a deposição de impostos do culto e para as ofertas voluntárias. Jesus observa que a viúva havia depositado apenas duas moedinhas, em contraposição a outras pessoas que depositavam parte do que tinham de sobra. A razão do elogio é que ela, na sua pobreza, deu tudo o que tinha para viver. No Reino inaugurado e presente em Jesus, a quantidade é absolutamente secundária, pois o que conta é a atitude de confiança e de entrega total. A atitude da viúva que deu tudo o que possuía deve ser um estímulo para os membros da comunidade cristã a oferecerem-se inteiramente ao serviço de Deus” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“Deus nos deu o que de melhor a Trindade possuía: seu próprio Filho, para nossa redenção. Jesus é a maior prova do amor de Deus pela humanidade. Por isso, não podemos ter reservas para com ele. Demos, igualmente, o que de melhor possuímos para o Senhor, isto é, nossa própria vida, consagrada e imolada pelo Reino. Foi essa doação da viúva que chamou a atenção de Jesus no Templo. Em suas duas moedas, ela ‘ofereceu tudo que tinha para viver’. Essa afirmação é muito forte! Que nós carreguemos essa lição sempre conosco: dar a Deus tudo o que temos para viver! Deus pode realizar maravilhas em nossa pobreza, basta doar-nos sem reservas. Qual o maior apego de que tenho de me libertar para ser discípulo?” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
É hora do diálogo direto com Deus. Apresente ao Senhor a oração que brotou em seu coração. Peça a graça de ter um coração generoso e disponível à partilha dos dons e da vida com os irmãos.

Contemplação (Vida e Missão)
O encontro com a Palavra, fonte de vida, gera novas relações e recria a comunhão. Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? Quais apelos você sentiu em seu coração? Quais compromissos deseja assumir em sua vida?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas