Liturgia diária Eu vim ao mundo como luz!

4ª Semana da Páscoa – Ano Litúrgico C

20 de abril de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, como discípulo da luz, quero deixar-me sempre guiar por teu Filho. Só, assim, as ciladas do demônio não prevalecerão sobre mim. Vem em meu auxílio!

PRIMEIRA LEITURA: At 12,24-13,5a

Leitura dos Atos dos Apóstolos – Naqueles dias, 24a palavra do Senhor crescia e se espalhava cada vez mais. 25Barnabé e Saulo, tendo concluído seu ministério, voltaram de Jerusalém, trazendo consigo João, chamado Marcos.
13,1Na Igreja de Antioquia, havia profetas e doutores. Eram eles: Barnabé, Simeão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado junto com Herodes, e Saulo.
2Um dia, enquanto celebravam a liturgia, em honra do Senhor, e jejuavam, o Espírito Santo disse: “Separai para mim Bar­nabé e Saulo, a fim de fazerem o trabalho para o qual eu os chamei”. 3Então eles jejuaram e rezaram, impuseram as mãos sobre Barnabé e Saulo, e deixaram-nos partir.
4Enviados pelo Espírito Santo, Barnabé e Saulo desceram a Se­lêucia e daí navegaram para Chi­pre. 5aQuando chegaram a Salamina, começaram a anunciar a Palavra de Deus nas Sinagogas dos judeus. Eles tinham João como ajudante. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 66

— Que as nações vos glorifiquem ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem.
— Que as nações vos glorifiquem ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem.

— Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, e sua face resplandeça sobre nós! Que na terra se conheça o seu caminho e a sua salvação por entre os povos.

— Exulte de alegria a terra inteira, pois julgais o universo com justiça; os povos governais com retidão, e guiais, em toda a terra, as nações.

— Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem! Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe, e o respeitem os confins de toda a terra!

EVANGELHO: Jo 12,44-50

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 44Jesus exclamou em alta voz: “Quem crê em mim não é em mim que crê, mas naquele que me enviou. 45Quem me vê, vê aquele que me enviou. 46Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.
47Se alguém ouvir as minhas palavras e não as observar, eu não o julgo, porque eu não vim para julgar o mundo, mas para salvá-lo. 48Quem me rejeita e não aceita as minhas palavras já tem o seu juiz: a palavra que eu falei o julgará no último dia. 49Porque eu não falei por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, ele é quem me ordenou o que eu devia dizer e falar. 50Eu sei que o seu mandamento é vida eterna. Portanto, o que eu digo, eu o digo conforme o Pai me falou”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Não é apenas curiosidade. É admiração pelo evangelista que medita as Sagradas Escrituras, pensa em Jesus e escreve. Na busca da exatidão, lia os textos hebraicos, os textos gregos e as traduções aramaicas. Por que escreve que o Pai me ordenou o que devo dizer e falar? Por que “dizer” e “falar”? Não basta um dos dois verbos? O evangelista está meditando a passagem do Deuteronômio na qual Moisés diz que Deus vai enviar o profeta semelhante a ele, vai colocar suas palavras na boca desse profeta e vai ordenar o que ele deve dizer. No texto hebraico está escrito “dizer”. No texto grego está escrito “falar”. O evangelista colocou em seu texto os dois verbos para que não houvesse dúvida para ninguém de que o profeta por excelência é Jesus. Deus disse a Moisés que se alguém não ouvir as palavras do profeta, que são de Deus, o próprio Deus irá acertar contas com esse alguém. Jesus por sua vez disse que ele mesmo não julgaria, porque veio para salvar. A palavra dita, não aceita, não cumprida, julgará no último dia. Jesus, porém, salvará.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
No texto de hoje, percebemos a grande comunhão que existe entre Jesus e o Pai. Silenciemos nosso coração, neste momento, para também vivermos em comunhão com a Santíssima Trindade.
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
Rezemos: “Ó Espírito Santo, amor eterno do Pai, vem até nós e enche-nos com a chama do teu amor”. Que possamos abrir a nossa mente e o nosso coração, para compreendermos o Evangelho.

Leitura (Verdade)
Quando lemos o texto bíblico, descobrimos a verdade que ele guarda, ou seja, o que ele diz de si mesmo. Façamos, neste momento, a leitura do Evangelho do dia, recordando que ela deve ser feita pausadamente e que devemos destacar os verbos e os personagens da narrativa, buscando compreender o tema central do texto.
No Evangelho de hoje, vemos que Jesus se mostra plenamente em comunhão com o Pai e que tudo que Ele faz é com a sua permissão. Por isso, Ele nos diz que quem acredita no Pai deveria acreditar também nele.

Meditação (Caminho)
Deus, por meio de sua Palavra, nos mostra o caminho que devemos seguir. Por isso, neste momento de meditação, fique atento(a) ao que o Senhor lhe diz. Releia o texto, detendo-se nas palavras ou expressões que mais lhe chamam atenção, procurando perceber o que Deus quer lhe dizer.

Oração (Vida)
A Palavra de Deus dá qualidade à vida; se ela não transformar sua vida, é porque você não se deixou tocar por ela.
Neste momento em que você se sente tocado(a) pela Palavra, dirija a Deus seus pedidos e preces. Nesta etapa da leitura orante, você diz a Deus tudo o que está em seu coração, pois Ele já lhe disse o que desejava e agora está pronto para escutá-lo(a).

Contemplação (Vida e Missão)
Agora, silencie o seu coração e reflita sobre o que se passa nele e em sua mente. O que a Palavra de Deus o(a) leva a experimentar? Dê nome aos seus sentimentos e escolha um propósito para viver durante o dia.

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.