Oração diária, A festa das Bodas de Caná - Jo 2,1-11

Nossa Senhora da Conceição Aparecida, solenidade – Ano Litúrgico B

12 de outubro de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que o testemunho de Maria cale fundo no meu coração, transformando-me em perfeito discípulo de Jesus. E que eu possa conduzir muitas outras pessoas a crerem em teu Filho

PRIMEIRA LEITURA: Es 5,1b-2; 7,2b-3

Livro de Ester – 1bEster revestiu-se com vestes de rainha e foi colocar-se no vestíbulo interno do palácio real, frente à residência do rei. O rei estava sentado no trono real, na sala do trono, frente à entrada. 2Ao ver a rainha Ester parada no vestíbulo, olhou para ela com agrado e estendeu-lhe o cetro de ouro que tinha na mão, e Ester aproximou-se para tocar a ponta do cetro.
7,2bEntão, o rei lhe disse: “O que me pedes, Ester; o que queres que eu faça? Ainda que me pedisses a metade do meu reino, ela te seria concedida”.
3Ester respondeu-lhe: “Se ganhei as tuas boas graças, ó rei, e se for de teu agrado, concede-me a vida — eis o meu pedido! — e a vida do meu povo — eis o meu desejo!”

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 45

— Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:/ que o Rei se encante com vossa beleza!
— Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:/ que o Rei se encante com vossa beleza!

— Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:/ “Esquecei vosso povo e a casa paterna!/ Que o Rei se encante com vossa beleza!/ Prestai-lhe homenagem: é vosso Senhor!

Ass.: Escutai, minha filha, olhai, ouvi isto:/ que o Rei se encante com vossa beleza!

— O povo de Tiro vos traz seus presentes,/ os grandes do povo vos pedem favores./ Majestosa, a princesa real vem chegando,/ vestida de ricos brocados de ouro.

— Em vestes vistosas ao Rei se dirige,/ e as virgens amigas lhe formam cortejo;/ entre cantos de festa e com grande alegria,/ ingressam, então, no palácio real”.

SEGUNDA LEITURA: Ap 12,1.5.13a.15-16a

Livro do Apocalipse de São João – 1Apareceu no céu um grande sinal: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas. 5E ela deu à luz um filho homem, que veio para governar todas as nações com cetro de ferro. Mas o filho foi levado para junto de Deus e do seu trono. 13aQuando viu que tinha sido expulso para a terra, o dragão começou a perseguir a mulher que tinha dado à luz o menino.
15A serpente, então, vomitou como um rio de água atrás da mulher, a fim de a submergir. 16aA terra, porém, veio em socorro da mulher.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Jo 2,1-11

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1houve um casamento em Caná da Galileia. A mãe de Jesus estava presente. 2Também Jesus e seus discípulos tinham sido convidados para o casamento. 3Como o vinho veio a faltar, a mãe de Jesus lhe disse: “Eles não têm mais vinho”.
4Jesus respondeu-lhe: “Mulher, por que dizes isto a mim? Minha hora ainda não chegou”.
5Sua mãe disse aos que estavam servindo: “Fazei o que ele vos disser”.
6Estavam seis talhas de pedra colocadas aí para a purificação que os judeus costumam fazer. Em cada uma delas cabiam mais ou menos cem litros.
7Jesus disse aos que estavam servindo: “Enchei as talhas de água”. Encheram-nas até a boca. 8Jesus disse: “Agora tirai e levai ao mestre-sala”. E eles levaram. 9O mestre-sala experimentou a água que se tinha transformado em vinho. Ele não sabia de onde vinha, mas os que estavam servindo sabiam, pois eram eles que tinham tirado a água.
10O mestre-sala chamou então o noivo e lhe disse: “Todo mundo serve primeiro o vinho melhor e, quando os convidados já estão embriagados, serve o vinho menos bom. Mas tu guardaste o vinho bom até agora!”
11Este foi o início dos sinais de Jesus. Ele o realizou em Caná da Galileia e manifestou a sua glória, e seus discípulos creram nele.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Maria pede, Jesus atende e nós somos os beneficiados. Nas Bodas de Caná ela percebeu que os noivos estavam com algum problema. O vinho tinha acabado e a festa ainda não tinha acabado. Conhecemos os gestos de Maria. Ela se empenha para resolver o problema. Sua sensibilidade percebeu que os noivos estavam constrangidos, e a mesma sensibilidade quis aliviá-los do constrangimento. Maria podia ter ficado quieta no seu lugar. Sendo, porém, quem era, não podia, tinha que se mexer e fazer alguma coisa. E fez. Provocou o primeiro sinal de Jesus, pelo que parece antes da hora. E assim ela agora intercede pelo povo brasileiro.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Solenidade de Nossa Senhora da Conceição Aparecida, Padroeira do Brasil. Queremos viver este dia iluminados pela Palavra de Deus e em comunhão com os peregrinos que hoje se encontram na Casa da Mãe Aparecida e todos os devotos de Nossa Senhora.
Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
Leia o texto pausadamente e procure imaginar a narrativa. Faça uma segunda leitura e se detenha nos personagens. O que diz o texto? Qual apelo o Evangelho nos faz?
“O relato das bodas de Caná da Galileia é um episódio fortemente simbólico. Situado na parte do evangelho segundo João denominada ‘livro dos sinais’ (Jo 1–11), o relato das bodas de Caná é, para o próprio evangelista, um sinal fundamental para compreender os demais sinais. No centro do relato está a pessoa de Jesus, que inaugura os tempos messiânicos; é ele quem dá o excelente vinho da salvação prometida. Característico do relato das bodas de Caná é que se trata, como dissemos, de uma narração simbólica que exige do leitor o esforço de ultrapassar a materialidade do que é narrativamente descrito e do imediatamente dito. As bodas evocam a Aliança de Deus com o seu povo (cf. Os 2,18-21; Ez 16,8; Is 62,3-5), Aliança passada e reiterada ao longo da história (Noé, Abraão, Moisés) e a Aliança nova e definitiva em Jesus (cf. Mc 14,22-25; Mt 26,26-29; Lc 22,19-20). O vinho, símbolo da alegria e da prosperidade (Sl 104,15; Jz 9,13; Eclo 31,27-28; Zc 10,7), oferecido por Jesus é melhor do que o primeiro. Isto significa que, em Jesus Cristo, a Aliança atingiu a sua plenitude. A mãe de Jesus é símbolo de Israel, povo da Aliança que espera, confia e vê realizada a promessa de salvação feita por Deus a seu povo” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“No seu Evangelho, João confere a Maria dois lugares-chave: Caná, onde Jesus oficializa o começo da sua vida pública com o primeiro sinal, o do vinho da melhor qualidade; e a Cruz, onde Jesus conclui a sua vida pública. A presença de Maria no primeiro sinal e, depois, no sinal da Cruz forma o conjunto da vida pública de Jesus. Isso é intencional no evangelista, que, entre esses dois sinais, tece muitos laços. Em Caná e na Cruz, Maria é a primeira citada. Em Caná e na Cruz, Maria é chamada, por três vezes, de Mãe de Jesus e uma vez de mulher. Em Caná ainda não era a hora, mas na Cruz era exatamente A HORA. Em Caná, trata-se de água e vinho, ao passo que, na Cruz, do coração do Senhor jorram sangue e água. Em Caná, os convidados recebem de Jesus vinho do melhor para estancar a sede. Na Cruz, é Jesus quem tem sede e dão-lhe de beber vinagre. Em Caná, Jesus espera a fé de Maria; na Cruz, essas coisas foram escritas ‘para que vós acrediteis’ (Jo 19,35). Em Caná, Maria vem em auxílio da fé dos discípulos, ela se põe entre o Filho e os discípulos. No Calvário, ela se acha ao pé da Cruz de Jesus, e o discípulo amado se encontra ao lado dela. Esses laços todos atestam bem que não é por acaso que João coloca Maria no começo e no fim da vida pública de Jesus. Ele a quer como a personagem por excelência para ser testemunha e modelo” (Reflexão do livro “Maria dos Evangelhos”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
“Ó Maria Santíssima, que em vossa querida imagem de Aparecida espalhais inúmeros benefícios sobre todo o Brasil, eu, embora indigno(a) de pertencer ao número de vossos filhos, mas cheio(a) do desejo de participar dos benefícios de vossa misericórdia, prostrado(a) a vossos pés, consagro-vos o meu entendimento, para que sempre pense no amor que mereceis; consagro-vos a minha língua, para que sempre vos louve e propague a vossa devoção; consagro-vos o meu coração, para que, depois de Deus, vos ame sobre todas as coisas. Recebei-me, ó Rainha incomparável, no ditoso número de vossos filhos; acolhei-me debaixo de vossa proteção; socorrei-me em todas as minhas necessidades espirituais e temporais e, sobretudo, na hora de minha morte. Abençoai-me, ó Mãe celestial, e com vossa poderosa intercessão fortalecei-me em minha fraqueza, a fim de que, servindo-vos fielmente nesta vida, possa louvar-vos, amar-vos e dar-vos graças no céu, por toda a eternidade. Assim seja! Nossa Senhora Aparecida, rogai por nós!”

Contemplação (Vida e Missão)
Qual é a aplicação da Palavra em sua vida? O que você se propõe a viver? Como pretende atingir esse propósito?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas