Oração diária, Fez os surdos ouvirem e os mudos falarem - Mc 7,31-37

5ª Semana Comum – Ano Litúrgico B

09 de fevereiro de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, livra-me do isolamento a que o pecado quer me reduzir. Só assim irei recuperar a plena capacidade de estar em comunicação profunda contigo e com o meu próximo.

PRIMEIRA LEITURA: 1Rs 11,29-32; 12,19

Leitura do Primeiro Livro dos Reis – 11,29Aconteceu, naquele tempo, que, tendo Jeroboão saído de Jerusalém, veio ao seu encontro o profeta Aías, de Silo, coberto com um manto novo. Os dois achavam-se sós no campo. 30Aías, tomando o manto novo que vestia, rasgou-o em doze pedaços 31e disse a Jeroboão: ‘Toma para ti dez pedaços. Pois assim fala o Senhor, Deus de Israel: Eis que vou arrancar o reino das mãos de Salomão e te darei dez tribos.
32Mas ele ficará com uma tribo, por consideração para com meu servo Davi e para com Jerusalém, cidade que escolhi dentre todas as tribos de Israel”. 12,19Israel rebelou-se contra a casa de Davi até o dia de hoje

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 80

          — Ouve, meu povo, porque eu sou o teu Deus!
— Ouve, meu povo, porque eu sou o teu Deus!

— Em teu meio não exista um deus estranho nem adores a um deus desconhecido! Porque eu sou o teu Deus e teu Senhor, que da terra do Egito te arranquei.

— Mas meu povo não ouviu a minha voz, Israel não quis saber de obedecer-me. Deixei, então, que eles seguissem seus caprichos, abandonei-os ao seu duro coração.

— Quem me dera que meu povo me escutasse! Que Israel andasse sempre em meus caminhos! Seus inimigos, sem demora, humilharia e voltaria minha mão contra o opressor.

EVANGELHO: Mc 7,31-37

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Marcos.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 31Jesus saiu de novo da região de Tiro, passou por Sidônia e continuou até o mar da Galileia, atravessando a região da Decápole. 32Trouxeram então um homem surdo, que falava com dificuldade, e pediram que Jesus lhe impusesse a mão. 33Jesus afastou-se com o homem, para fora da multidão; em seguida, colocou os dedos nos seus ouvidos, cuspiu e com a saliva tocou a língua dele. 34Olhando para o céu, suspirou e disse: “Efatá!”, que quer dizer: “Abre-te!” 35Imediatamente seus ouvidos se abriram, sua língua se soltou e ele começou a falar sem dificuldade.
36Jesus recomendou com insistência que não contassem a ninguém. Mas, quanto mais ele recomendava, mais eles divulgavam. 37Muito impressionados, diziam: “Ele tem feito bem todas as coisas: Aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Tudo o que Jesus fazia era benfeito. Fez os surdos ouvirem e os mudos falarem. Os evangelistas contam que Jesus fazia curas milagrosas. Em relação ao surdo-gago que lhe apresentaram, ele pôs o dedo nos seus ouvidos e com a saliva tocou-lhe a língua. Não precisava fazer gestos, mas ele os fez. Fez até mais. Levou-o respeitosamente para um lugar longe da multidão e pediu-lhe para não divulgar o milagre. Hoje é possível estabelecer comunicação com surdos e mudos falando-lhes em “Libras”. Eis aí um milagre da inteligência humana solidária, criada por Deus e colocada pelo Espírito no ser humano. Uma categoria de surdos e mudos são as pessoas que falam e ouvem, mas não entendem. Não entendem a linguagem e não entendem o contexto. São presas fáceis de exploradores até mesmo em nível religioso. Alguém poderia ouvir e falar por eles, ensinando-lhes muitas coisas como Jesus fazia, ensinando-os a se defender, a ficar de pé num mundo de ventos contrários.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
A multidão reconhece que Jesus “tem feito bem todas as coisas: aos surdos faz ouvir e aos mudos falar”. Peçamos ao Espírito Santo a graça de compreendermos o mistério da vida de Cristo que a Palavra hoje nos apresenta.
Rezemos: “Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Que a Palavra transforme o meu coração através da fé e confiança que eu deposito em ti. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o contexto da narrativa? Por que o homem surdo precisou ser conduzido até Jesus? Quais são os gestos e as palavras utilizados por Jesus para curar o homem? Como a multidão reage diante do acontecido?
“A universalidade da missão da Igreja está enraizada na universalidade da salvação oferecida por Deus em Jesus. A missão da Igreja é missão de Jesus Cristo, portanto, deve ultrapassar as fronteiras para se encontrar com o ser humano onde quer que ele esteja e na situação em que ele se encontra. Nosso texto deixa no anonimato o nome dos que conduzem o cego a Jesus. Seja como for, são pessoas que confiam no poder curativo de Jesus. Dois gestos: Jesus põe os dedos nos ouvidos do cego e saliva nos olhos. Os dedos transmitem o poder (cf. Ex 8,15) que abre os ouvidos; quanto à saliva, seu poder terapêutico, cicatrizante, é conhecido na antiguidade. É somente do céu que vem o nosso socorro; por isso, Jesus olha para o céu com um gemido suplicante. O significado dos dois gestos é esclarecido pela ordem: “Abre-te!” O espanto da multidão evoca o relato da criação. Em Cristo Jesus se dá uma nova criação, pois ele devolve à criatura a possibilidade de se encantar e de reconhecer que Deus fez tudo muito bem” (Reflexão de Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual palavra do Evangelho encontrou profunda sintonia com a sua vida, com as suas atitudes? Em sua vida, trabalho, relacionamento com as pessoas, como você procura viver os ensinamentos de Jesus? Quais sentimentos o texto despertou em você?

Oração (Vida)
Oração para pedir a graça da fé
“Senhor, eu creio. Eu quero crer em ti. Eu te louvo pelo dom da fé e reconheço que estou ainda longe de ter a mesma fé de Abraão e Sara, de Tobit, de tantos profetas e reis; e o quanto sonho em experimentar também a mesma fé da Virgem Maria. Renova em mim o dom da fé recebido no Batismo, confirmado na Crisma e reanimado em cada Eucaristia. Que eu viva alicerçado(a) na tua Palavra e que por ela me sinta exortado à fidelidade. Diante de tua presença, professo que creio, mas aumenta a minha fé. Senhor, faze que minha fé seja total, sem reservas; que ela penetre no meu pensamento e na minha maneira de julgar as coisas divinas e as coisas humanas. Senhor, faze que minha fé seja livre, quero aceitar livremente a tua vontade com todas as renúncias e deveres que ela comporta. Senhor, tu disseste que felizes são os que creem sem ter visto. Dá-me a graça de crer, mesmo nos momentos em que não vejo caminho ou solução, reconhecendo que Tu és o caminho e solução, sempre! Senhor, faze que minha fé seja forte. Que eu possa caminhar sobre as águas revoltas e em teu nome eu possa remover montanhas; dá-me a fé que não vacila, que é garantia de vida eterna e que proclama teu poder, agindo, curando e libertando. Que eu permaneça com os olhos fixos no teu coração transpassado, para que, te vendo, eu receba a salvação e a anuncie a todos. Amém” (Papa Paulo VI).

Contemplação (Vida e Missão)
Revivendo esta oração com a Palavra de Deus, estabeleça um compromisso para este dia.

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.