Liturgia diária O discípulo está sempre disposto a seguir Jesus - Mt 8,23-27

13ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

02 de julho de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, põe no meu coração a certeza de que o Ressuscitado está comigo e me dá força nos momentos de tribulação. E, assim, eu dê provas de que a minha fé é sólida.

PRIMEIRA LEITURA: Gn 19,15-29

Leitura do livro do Gênesis  – Naqueles dias, 15Ao amanhecer, os anjos instavam com Lot, dizendo: “Levanta-te, toma tua mulher e tuas duas filhas que estão em tua casa, para que não pereças também no castigo da cidade.” 16E, como ele demorasse, aqueles homens tomaram pela mão a ele, a sua mulher e as suas duas filhas, porque o Senhor queria salvá-los, e o levaram para fora da cidade. 17Quando já estavam fora, um dos anjos disse-lhe: “Salva-te, se queres conservar tua vida. Não olhes para trás, e não te detenhas em parte alguma da planície; mas foge para a montanha senão perecerás.” 18Lot disse-lhes: “Oh, não, Senhor! 19Já que vosso servo encontrou graça diante de vós, e usastes comigo de grande bondade, conservando-me a vida, vede, eu não me posso salvar na montanha, porque o flagelo me atingiria antes, e eu morreria. 20Eis uma cidade bem perto onde posso abrigar-me. É uma cidade pequena e eu poderei refugiar-me nela. Permiti que o faça à ela é pequena à e terei a vida salva.” 21Ele disse-lhe: “Concedo-te ainda esta graça: não destruirei a cidade a favor da qual me pedes. 22Apressa-te e refugia-te lá porque nada posso fazer antes que lá tenhas chegado.” Por isso, puseram àquela cidade o nome de Segor. 23O sol levantava-se sobre a terra quando Lot entrou em Segor. 24O Senhor fez então cair sobre Sodoma e Gomorra uma chuva de enxofre e de fogo, vinda do Senhor, do céu. 25E destruiu essas cidades e toda a planície, assim como todos os habitantes das cidades e a vegetação do solo. 26A mulher de Lot, tendo olhado para trás, transformou-se numa coluna de sal. 27Abraão levantou-se muito cedo e foi ao lugar onde tinha estado antes com o Senhor. 28Voltando os olhos para o lado de Sodoma e Gomorra e sobre toda a extensão da planície, viu subir da terra um fumo espesso como a fumaça de uma grande fornalha. 29Quando Deus destruiu as cidades da planície, lembrou-se de Abraão e livrou Lot do flagelo com que destruiu as cidades onde ele habitava.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 25(26)

        — Tenho sempre vosso amor ante meus olhos.
— Tenho sempre vosso amor ante meus olhos.

— Provai-me, ó Senhor, e exa­minai-me, sondai meu coração e o meu íntimo! Pois tenho sempre vosso amor ante meus olhos; vossa verdade escolhi por meu caminho.

— Não junteis a minha alma à dos malvados, nem minha vida à dos homens sanguinários; eles têm as suas mãos cheias de crime; sua direita está repleta de suborno.

— Eu, porém, vou caminhando na inocência; libertai-me, ó Senhor, tende piedade! Está firme o meu pé na estrada certa; ao Senhor eu bendirei nas assembleias.

EVANGELHO: Mt 8,23-27

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
          – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, 23Subiu ele a uma barca com seus discípulos. 24De repente, desencadeou-se sobre o mar uma tempestade tão grande, que as ondas cobriam a barca. Ele, no entanto, dormia. 25Os discípulos achegaram-se a ele e o acordaram, dizendo: Senhor, salva-nos, nós perecemos! 26E Jesus perguntou: Por que este medo, gente de pouca fé? Então, levantando-se, deu ordens aos ventos e ao mar, e fez-se uma grande calmaria. 27Admirados, diziam: Quem é este homem a quem até os ventos e o mar obedecem?

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Houve uma grande tempestade no mar da Galileia. Jesus dormia. Os discípulos o acordaram. Eles estavam com muito medo, e com razão. Estavam perecendo. Por que tanto medo? Eles não tinham fé? Jesus não estava com eles? Estava dormindo, mas era ele quem estava lá. Jesus acorda, fala com os discípulos e fala com o vento e o mar. Repreende os ventos e o mar como se fossem pessoas, e eles se acalmam. Repreende também os discípulos pelo grande medo e pela fé pequena que demonstraram. Quem é esse Jesus que tem autoridade sobre os ventos e o mar? Quem é ele, vamos descobrindo aos poucos, mas já sabemos que ele tem autoridade sobre os elementos da natureza. E quando a tempestade acontece dentro de nós? Os relacionamentos vão mal e não me sinto bem! Posso também gritar: “Senhor, salva-me, que estou perecendo”? No lago, o vento e o mar se acalmaram. Haverá também calmaria em nosso coração? Dizia Santo Agostinho que, enquanto não descansar em Deus, o nosso coração estará irrequieto. Precisamos ouvir a voz de Jesus, mesmo se for de repreensão pela nossa pouca fé. Bom será ouvir: “Sou eu. Não tenha medo”. Mesmo se estiver dormindo, ele está por perto. Diz o salmista que “não dorme nem cochila aquele que guarda Israel”. Jesus parece dormir, mas está atento.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Na leitura orante de hoje somos convidados a crescer na fé. Crescer na fé foi o convite que Jesus fez aos seus discípulos quando o medo do mar agitado os apavorava. Com fé, possamos acolher as palavras de Jesus e permitir que elas nos guiem e nos encorajem quando sentirmos que nosso “barco está sendo coberto pelas ondas”.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o contexto da narrativa? Onde se encontram Jesus e seus discípulos? Que experiência vivem os discípulos? Qual questionamento Jesus lhes faz? Como reagem as pessoas diante do acontecido?
“Entre a ordem de Jesus de passarem para a outra margem (v. 18) e sua entrada no barco com os discípulos (v. 23), há o episódio dos dois casos de vocação (vv. 19-22). Durante a travessia para a outra margem, os discípulos são surpreendidos pelo vento contrário que agita o lago, levantando verdadeiras ondas que invadem a embarcação. Para o universo bíblico, o mar evoca o mal e a morte. Enquanto os discípulos se apavoram, Jesus dorme (Jn 1,4-6). Dos discípulos que se apavoram é exigida a confiança (v. 26). O medo é contrário à fé. Não nos esqueçamos: o discípulo de Jesus Cristo só será livre para segui-lo quando superar o medo da morte e do mal. Há em nossa perícope uma afirmação implícita da divindade de Jesus: assim como Deus domina e faz acalmar o mar (Sl 68,2; 89,10), Jesus, acordado do seu sono, repreende o vento e o mar como se estivesse expulsando um demônio (Mc 1,21-28). À sua voz se faz grande calmaria. Se o sono pode evocar a morte, Jesus despertado do sono lembra a ressurreição, da qual surge vitorioso sobre o mal e a morte, e aos discípulos ensina que, na turbulência própria da travessia, o Senhor está presente e atento às ameaças que a sua Igreja sofre. Ele é o seu socorro e salvação” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? O que o Senhor pede a você? O que significa ser uma pessoa de fé?
“O barco é a nossa vida, a nossa família, o nosso emprego, as nossas seguranças, a nossa caminhada de fé. As tempestades são as dificuldades que esse barco encontra ao longo de sua travessia. Quando o problema é grande, as ondas tentam cobrir esse barco. Jesus dormia porque a natureza não o assustava. Ele é Senhor das coisas criadas! Ao grito desesperado dos discípulos (estamos perecendo!), Jesus dirá: ‘homens de pouca fé’. Estendendo suas mãos, ele fez a tempestade parar. Quando Jesus está no nosso barco, não temos motivos para temer mal algum. Com Jesus, toda tempestade se acalma. Por isso, continuemos firmes em nossa caminhada, porque Deus cuida de nós!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
“Jesus, princípio e realização do homem novo, convertei a vós os nossos corações, para que, deixando as sendas do erro, sigamos os vossos passos no caminho que conduz à vida. Fazei que, fiéis às promessas do batismo, vivamos, com coerência, a nossa fé, testemunhando com solicitude a vossa palavra, para que, na família e na sociedade, resplandeça a luz vivificante do Evangelho. Jesus, poder e sabedoria de Deus, acendei em nós o amor à Sagrada Escritura, onde ressoa a voz do Pai, que ilumina e abrasa, nutre e consola. Vós, Palavra de Deus Vivo, renovai na Igreja o ardor missionário, para que todos os povos cheguem a conhecer-vos como verdadeiro Filho de Deus e verdadeiro Filho do homem, único Mediador entre o homem e Deus. Jesus, fonte de unidade e de paz, fortalecei a comunhão na vossa Igreja, para que, pela força do vosso Espírito, todos os vossos discípulos sejam um só. Vós que nos destes como regra de vida o mandamento novo do amor, tornai-nos construtores de um mundo solidário, onde a guerra seja suplantada pela paz, a cultura da morte, pelo empenho em favor da vida. Amém” (São João Paulo II).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você a partir da Palavra? Quais compromissos você deseja assumir em sua vida?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas