Liturgia diária Deixai as crianças virem a mim - Mc 10,13-16

7ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

02 de março de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, coloca no meu coração o mesmo carinho e afeto que Jesus demonstrou às criancinhas, pois a simplicidade delas me ensina como devo acolher o teu Reino.

PRIMEIRA LEITURA: Eclo 17,1-13

Leitura do Livro do Eclesiástico – 1Da terra Deus criou o homem, e o formou à sua imagem. 2E à terra o faz voltar novamente, embora o tenha revestido de poder, semelhante ao seu. 3Concedeu-lhe dias contados e tempo determinado, deu-lhe autoridade sobre tudo o que está sobre a terra. 4Em todo ser vivo infundiu o temor do homem, fazendo-o dominar sobre as feras e os pássaros.
5Deu aos homens discer­nimento, língua, olhos, ouvidos, e um coração para pensar; encheu-os de inteligência e de sabedoria. 6Deu-lhes ainda a ciência do espírito, encheu o seu coração de bom senso e mostrou-lhes o bem e o mal. 7Infundiu o seu temor em seus corações, mostrando-lhes as grandezas de suas obras. 8Concedeu-lhes que se gloriassem de suas maravilhas, louvassem o seu Nome Santo e proclamassem as grandezas de suas obras.
9Concedeu-lhes ainda a instrução e entregou-lhes por herança a lei da vida. 10Firmou com eles uma aliança eterna e mostrou-lhes sua justiça e seus julgamentos. 11Seus olhos viram as grandezas da sua glória e seus ouvidos ouviram a glória da sua voz. Ele lhes disse: “Tomai cuidado com tudo o que é injusto!” 12E a cada um deu mandamentos em relação a seu próximo. 13Os caminhos dos homens estão sempre diante do Senhor e não podem ficar ocultos a seus olhos

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 102

   — O amor do Senhor por quem o respeita, é de sempre e para sempre.
— O amor do Senhor por quem o respeita, é de sempre e para sempre.

— Como um pai se compadece de seus filhos, o Senhor tem compaixão dos que o temem. Porque sabe de que barro somos feitos, e se lembra de que apenas somos pó.

— Os dias do homem se parecem com a erva, ela floresce como a flor dos verdes campos; mas apenas sopra o vento ela se esvai, já nem sabemos onde era o seu lugar.

— Mas o amor do Senhor Deus por quem o teme é de sempre e perdura para sempre; e também sua justiça se estende por gerações até os filhos de seus filhos, aos que guardam fielmente sua Aliança

EVANGELHO: Mc 10,13-16

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Marcos.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 13traziam crianças para que Jesus as tocasse. Mas os discípulos as repreendiam. 14Vendo isso, Jesus se aborreceu e disse: “deixai vir a mim as crianças. Não as proibais, porque o Reino de Deus é dos que são como elas.
15Em verdade vos digo: quem não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele”. 16Ele abraçava as crianças e as abençoava, impondo-lhes as mãos.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Crianças podem incomodar, por isso os discípulos tentam afastá-las de Jesus. Jesus, porém, não aprova a atitude dos discípulos e se aborrece. Jesus trata as crianças com verdadeiro carinho. Ele as acolhe, as abraça, as abençoa, impõe-lhes as mãos. Que elas venham até ele. Para ele, são modelo de vida espiritual no Reino de Deus. Delas é o Reino dos Céus, que deve ser recebido com simplicidade e espontaneidade. Santa Teresinha do Menino Jesus e outros santos de nossa Igreja viveram o que chamamos de “infância espiritual”. A expressão está contida nas palavras de Jesus: “Das crianças é o Reino dos Céus”. As crianças dependem de seus pais até que se possam sustentar. Na infância espiritual, o cristão permanece sempre dependente do amor e dos cuidados do Pai. Ainda dentro do contexto da pergunta “quem é o maior”, esta passagem do Evangelho ressalta a presença das crianças na vida familiar. Elas não podem ser esquecidas. Nos desentendimentos domésticos, não podem ser tratadas como se não existissem. Devem ser levadas em consideração quando se trata da estabilidade do casamento. A mulher tem o direito de defender a sua dignidade, e o homem também. No entanto, ao desviarem o olhar um do outro, não deixem de olhar para as crianças, que são mais frágeis. Na família, o bem de um é condicionado ao bem do outro.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
No Evangelho de hoje, somos convidados a refletir sobre as crianças, carinhosamente acolhidas por Jesus, pois também a elas pertence o Reino dos Céus. Com a simplicidade e a singeleza das crianças, acolhamos a Palavra para o nosso dia.
Peçamos: “Jesus Mestre, cremos com viva fé que estais aqui presente, para indicar-nos o caminho que leva ao Pai. Iluminai nossa mente, movei nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o tema central da narrativa? Qual ensinamento Jesus nos deixa ao acolher as crianças? O que as crianças nos ensinam? Como as crianças eram tratadas na época de Jesus?
“Depois da controvérsia sobre o divórcio e a necessidade de centrar a existência nos valores do Reino de Deus, o evangelho nos apresenta este episódio do acolhimento das crianças por Jesus e o seu consequente ensinamento. Toda situação é para Jesus ocasião de ensinar e transmitir algo do Reino de Deus, de sua pessoa e da situação ou condição do discípulo. No tempo de Jesus, as crianças gozavam de respeito e eram bem tratadas. Se tivermos presentes os relatos anteriores ao de hoje, podemos notar um contraste entre as crianças levadas a Jesus e a resistência dos discípulos. Papel dos discípulos é conduzir as pessoas a Jesus (cf. Mc 2,1-12), e não impedi-las de se aproximarem dele; por isso, a indignação de Jesus (cf. v. 13). A ocasião foi a oportunidade para ele ensinar aos seus discípulos que o Reino de Deus precisa ser acolhido como dom. O Reino de Deus está presente, em primeiro lugar, na pessoa de Jesus; é necessário acolhê-lo como dom do Pai sem opor qualquer resistência. O exemplo das crianças serve para interpelar os discípulos à abertura generosa ao novo (cf. Mc 2,21-22), que irrompe no seio da humanidade na pessoa de Jesus de Nazaré” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“É bonito e muito significativo o afeto de Jesus pelas crianças. De fato, as crianças enchem os ambientes onde se encontram. Criança é sinônimo de alegria, de pureza, de inocência, de vida. As crianças são amadas por Jesus e ele fez questão de abençoá-las. Mas o que as crianças nos ensinam no Evangelho de hoje? Muitos pensam na inocência, mas o foco é a confiança absoluta e irrestrita no pai. É preciso receber o Reino como uma criança, isto é, com disponibilidade e acolhimento, simplicidade e alegria. Adultos, facilmente, são chatos e cheios de questionamentos. As crianças são livres e sinceras. Uma criança não precisa virar adulto para ganhar o céu, mas um adulto, se não se tornar criança, nele não entrará” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Oração pelas famílias
“Ó Deus, de quem procede toda a paternidade no céu e na terra. Tu, Pai, que és Amor e Vida, faz com que nesta terra, por teu Filho, Jesus Cristo, ‘nascido de mulher’, e pelo Espírito Santo, fonte de caridade divina, cada família humana se torne um verdadeiro santuário de vida e de amor para as gerações que se renovam sem cessar. Que tua graça oriente os pensamentos e as ações dos esposos para o grande bem de sua família e de todas as famílias do mundo. Que as jovens gerações encontrem na família um apoio inquebrantável que as torne sempre mais humanas e as faça crescer na verdade e no amor. Que o amor, fortalecido pela graça do sacramento do Matrimônio, seja mais forte do que todas as fraquezas e do que todas as crises conhecidas às vezes pelas nossas famílias. Enfim, pedimos-te, por intercessão da Sagrada Família de Nazaré, que, em todas as nações da Terra, a Igreja possa cumprir com fruto a sua missão na família e pela família. Tu, que és a Vida, a Verdade e o Amor, na unidade do Filho e do Espírito Santo. Amém” (São João Paulo II).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual apelo você sente hoje em seu coração, para vivê-lo durante o dia? Pense em uma ação concreta como resposta a esse apelo e procure torná-la realidade. Conte com a graça de Deus.

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas