Liturgia diária Jesus é tentado no deserto - Mt 4,1-11

1º Domingo da Quaresma – Ano Litúrgico A

05 de março de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Pai, como Jesus, quero ser fiel a ti, sem jamais exigir manifestações extraordinárias de teu amor por mim. Basta-me estar ciente de ser teu filho.

PRIMEIRA LEITURA:  Gn 2,7-9; 3,1-7

Leitura do Livro do Gênesis – 7O Senhor Deus formou o homem do pó da terra, soprou-lhe nas narinas o sopro da vida e o homem tornou-se um ser vivente. 8Depois, o Senhor Deus plantou um jardim em Éden, ao oriente, e ali pôs o homem que havia formado. 9E o Senhor Deus fez brotar da terra toda sorte de árvores de aspecto atraente e de fruto saboroso ao paladar, a árvore da vida no meio do jardim e a árvore do conhecimento do bem e do mal.
3,1A serpente era o mais astuto de todos os animais dos campos que o Senhor Deus tinha feito. Ela disse à mulher: “É verdade que Deus vos disse: ‘Não comereis de nenhuma das árvores do jardim?’”
2E a mulher respondeu à serpente: “Do fruto das árvores do jardim nós podemos comer. 3Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, Deus nos disse: ‘Não comais dele, nem sequer o toqueis, do contrário, morrereis’”.
4A serpente disse à mulher: “Não, vós não morrereis. 5Mas Deus sabe que, no dia em que dele comerdes, vossos olhos se abrirão e vós sereis como Deus, conhecendo o bem e o mal”.
6A mulher viu que seria bom comer da árvore, pois era atraente para os olhos e desejável para se alcançar o conhecimento. E colheu um fruto, comeu e deu também ao marido, que estava com ela, e ele comeu. 7Então, os olhos dos dois se abriram; e, vendo que estavam nus, teceram tangas para si com folhas de figueira. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 50

          — Piedade, ó Senhor, tende piedade,/ pois pecamos contra vós.
— Piedade, ó Senhor, tende piedade,/ pois pecamos contra vós.

— Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia!/ Na imensidão do vosso amor, purificai-me!/ Lavai-me todo inteiro do pecado,/ e apagai completamente a minha culpa!

— Eu reconheço toda a minha iniquidade,/ o meu pecado está sempre à minha frente./ Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei,/ e pratiquei o que é mau aos vossos olhos!

— Criai em mim um coração que seja puro,/ dai-me de novo um espírito decidido./ Ó Senhor, não me afasteis de vossa face,/ nem retireis de mim o vosso Santo Espírito!

— Dai-me de novo a alegria de ser salvo e confirmai-me com espírito generoso!/ Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, e minha boca anunciará vosso louvor!

SEGUNDA LEITURA:  Rm 5,12.17-19

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos: 12Consideremos o seguinte: O pecado entrou no mundo por um só homem. Através do pecado, entrou a morte. E a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram.
17Por um só homem, pela falta de um só homem, a morte começou a reinar. Muito mais reinarão na vida, pela mediação de um só, Jesus Cristo, os que recebem o dom gratuito e superabundante da justiça. 18Como a falta de um só acarretou condenação para todos os homens, assim o ato de justiça de um só trouxe, para todos os homens, a justificação que dá a vida.
19Com efeito, como pela desobediência de um só homem a humanidade toda foi estabelecida numa situação de pecado, assim também, pela obediência de um só, toda a humanidade passará para uma situação de justiça.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 4,1-11

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

          Naquele tempo, 1o Espírito conduziu Jesus ao deserto, para ser tentado pelo diabo. 2Jesus jejuou durante quarenta dias e quarenta noites, e, depois disso, teve fome. 3Então, o tentador aproximou-se e disse a Jesus: “Se és Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães!” 4Mas Jesus respondeu: “Está escrito: ‘Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus’”.
5Então o diabo levou Jesus à Cidade Santa, colocou-o sobre a parte mais alta do Templo, 6e lhe disse: “Se és Filho de Deus, lança-te daqui abaixo! Porque está escrito: ‘Deus dará ordens aos seus anjos a teu respeito, e eles te levarão nas mãos, para que não tropeces em alguma pedra’”. 7Jesus lhe respondeu: “Também está escrito: ‘Não tentarás o Senhor teu Deus!’”
8Novamente, o diabo levou Jesus para um monte muito alto. Mostrou-lhe todos os reinos do mundo e sua glória, 9e lhe disse: “Eu te darei tudo isso, se te ajoelhares diante de mim, para me adorar”. 10Jesus lhe disse: “Vai-te embora, Satanás, porque está escrito: ‘Adorarás ao Senhor, teu Deus, e somente a ele prestarás culto’”. 11Então o diabo o deixou. E os anjos se aproximaram e serviram a Jesus.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus chamou os apóstolos para serem pescadores de gente, por isso a preocupação da Igreja é sempre, em primeiro lugar, com o ser humano e, juntamente com o ser humano, com o ambiente em que ele vive. É preciso cuidar da nossa casa comum e de tudo o que ela contém, porque nela é que vivemos e nos desenvolvemos.
No mundo inteiro e em nosso país não seria diferente: há espaços geográficos caracterizados de acordo com o tipo de vegetação, do solo, da altitude, das plantas, dos animais. Em tais espaços pode haver presença humana. Daí a preocupação com o ser humano e com o ambiente em que ele vive. A Quaresma é um tempo de conversão pessoal e também um tempo de conversão social. A Campanha da Fraternidade nos desperta para a conversão social. Fraternidade, solidariedade e harmonia andam juntas na construção de um ambiente saudável no qual a vida humana pode ser verdadeiramente humana, segundo o plano criador de Deus.
Nesta Quaresma estaremos com Jesus no Deserto da Tentação, no Monte da Transfiguração, no Poço de Jacó, na rua, no Túmulo de Lázaro. Em cada lugar e situação Jesus nos revela quem ele é, qual é a vontade do Pai e o que espera de nós. Em todos os momentos ele nos leva ao diálogo para a construção da fraternidade solidária. O mal se apresenta sempre como algo saboroso e bonito, útil para o conhecimento. Não é fácil resistir-lhe. No entanto, é um antiprojeto. Vai no sentido contrário do projeto de Deus. O diabo coloca seu antiprojeto diante de Jesus no deserto com a provocação da comida, da afirmação pessoal, do poderio universal. Jesus dialoga com o provocador e o enfrenta com ideias claras da Sagrada Escritura. A Quaresma começa com um grande diálogo, exatamente com o demônio, e continua o diálogo na permanente tarefa da construção da fraternidade.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Celebramos hoje o primeiro domingo da quaresma. Acompanharemos Jesus que é conduzido pelo Espírito ao deserto.
O mesmo Espírito que fez Jesus sair para o deserto, nos conduz e fortalece na nossa caminhada quaresmal. Rezemos: Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.

Leitura (Verdade)
Num primeiro momento, leia o texto acolhendo cada palavra em seu coração. Leia novamente com calma, fazendo pequenas paradas para repetir a palavra que chama a sua atenção durante a leitura. Qual é a temática do texto? Quais são as palavras ditas por Jesus? O que nos lembra o deserto? Qual é a experiência que Jesus vive no deserto?
Para a compreensão do texto, vamos ter presente que não é com a finalidade de ser tentado que Jesus vai para o deserto. Para o evangelista, o deserto é o lugar da proximidade com Deus.

Meditação (Caminho)
Silencie e procure perceber o que o texto diz para sua vida. Qual foi a palavra que encontrou maior sintonia com os apelos do seu coração? Deixe a Palavra de Deus encontrar espaço em sua vida. Examine sua consciência, reveja suas ações, confronte suas atitudes com a mensagem de Jesus. O que compreendo por tentações? Como ecoa em mim as palavras ditas por Jesus? O texto nos mostra o caminho a ser percorrido durante este tempo litúrgico: acolher a Boa-Nova do Reino, que é o próprio Cristo, e viver em contínua conversão, voltando-nos, mente, vontade e coração para o Senhor.

Oração (Vida)
Peça ao Senhor a graça de viver com profundidade este tempo de graça que a liturgia nos apresenta. A graça do encontro com o Pai misericordioso. A graça do despojamento, da humildade, da simplicidade do coração. A graça da conversão pessoal. Reze também pela Igreja que vive a Campanha da Fraternidade.
“Deus, nosso Pai e Senhor, nós vos louvamos e bendizemos, por vossa infinita bondade. Criastes o universo com sabedoria e o entregastes em nossas frágeis mãos para que dele cuidemos com carinho e amor. Ajudai-nos a ser responsáveis e zelosos pela Casa Comum. Cresça, em nosso imenso Brasil, o desejo e o empenho de cuidar mais e mais da vida das pessoas, e da beleza e riqueza da criação, alimentando o sonho do novo céu e da nova terra que prometestes. Amém!”

Contemplação (Vida e Missão)
Recolha em poucas palavras o apelo que você sentiu para colocar em prática durante o dia.

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.