Oração diária, Jesus em oração na montanha - Lc 6,12-19

23ª Semana Comum – Ano Litúrgico B

11 de setembro de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, transforma-me em apóstolo de teu Filho Jesus para que, movido pelo Espírito, eu possa ser sinal da presença dele neste mundo tão carente de salvação.

PRIMEIRA LEITURA: 1Cor 6,1-11

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios – Irmãos, 1quando um de vós tem uma questão com um outro, como se atreve a entrar na justiça perante os injustos, em vez de recorrer aos santos? 2Será que ignorais que os santos julgarão o mundo? Ora, se o mundo está sujeito a vosso julgamento, seríeis acaso indignos de deliberar e julgar sobre questões tão insignificantes?
3Ignorais que julgaremos os anjos? Quanto mais, coisas desta vida! 4No entanto, se tendes dessas questões a resolver, recorrereis a juízes que a Igreja não pode recomendar. 5Digo isso, para confusão vossa! Será, então, que aí entre vós não se encontra ninguém sensato e prudente que possa ser juiz entre irmãos? 6Ao invés disso, irmão contra irmão vai a juízo, e isso perante infiéis! 7Aliás, já é uma grande falta haver processos entre vós.
8Por que não suportais, antes, a injustiça? Por que não tolerais, antes, ser prejudicados? Pelo contrário, vós é que cometeis injustiças e fraudes, e isso contra irmãos! 9Porventura ignorais que pessoas injustas não terão parte no reino de Deus? Não vos iludais: nem imorais, nem idólatras, nem adúlteros, nem efeminados, nem pederastas, 10nem ladrões, nem avarentos, nem beberrões, nem insolentes, nem salteadores terão parte no reino de Deus.
11E vós, isto é, alguns de vós, éreis isso! Mas fostes lavados, fostes santificados, fostes justificados pelo nome do Senhor Jesus Cristo e pelo Espírito de nosso Deus.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 149

— O Senhor ama seu povo de verdade.
— O Senhor ama seu povo de verdade.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, e o seu louvor na assembleia dos fiéis! Alegre-se Israel em quem o fez, e Sião se rejubile no seu Rei!

— Com danças glorifiquem o seu nome, toquem harpa e tambor em sua honra! Porque, de fato, o Senhor ama seu povo e coroa com vitória os seus humildes.

— Exultem os fiéis por sua glória, e cantando se levantem de seus leitos, com louvores do Senhor em sua boca. Eis a glória para todos os seus santos.

EVANGELHO: Lc 6,12-19

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

12Naqueles dias, Jesus foi à montanha para rezar. E passou a noite toda em oração a Deus. 13Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu o nome de apóstolos:14Simão, a quem impôs o nome de Pedro, e seu irmão André; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu; 15Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelota; 16Judas, filho de Tiago, e Judas Iscariotes, aquele que se tornou traidor.
17Jesus desceu da montanha com eles e parou num lugar plano. Ali estavam muitos dos seus discípulos e grande multidão de gente de toda a Judeia e de Jerusalém, do litoral de Tiro e Sidônia. 18Vieram para ouvir Jesus e ser curados de suas doenças. E aqueles que estavam atormentados por espíritos maus também foram curados. 19A multidão toda procurava tocar em Jesus, porque uma força saía dele, e curava a todos.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Lembra-nos o Concílio Vaticano II, na Constituição Lumen Gentium sobre a Igreja, de que Jesus, depois de ter rezado ao Pai, escolheu, dentre os discípulos, Doze, que ele chamou de Apóstolos. Foram constituídos em forma de grupo estável, com a presidência de Pedro. Foram confirmados pelo Espírito Santo no dia de Pentecostes e pregaram o Evangelho por toda parte. A missão divina que Jesus confiou a eles deve durar até o fim dos tempos. Por isso os Apóstolos cuidaram de constituir os seus sucessores. Como a Igreja primitiva não usava nomes religiosos nem hierárquicos para as suas funções, os imediatos sucessores dos Apóstolos foram chamados de anciãos e de supervisores. O nome grego para supervisor é epíscopo ou bispo; e para ancião ou mais velho é presbítero. Aí está toda essa gente que, por sua palavra e sua vida, anuncia o Evangelho de Jesus e mantém viva essa Comunidade chamada Igreja. Professamos, pois, a fé na Igreja que é apostólica pela sua origem.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
No Evangelho, depois de passar um tempo em oração, Jesus chama seus discípulos e escolhe doze entre eles. Que ao longo do dia, ao ouvirmos o convite do Senhor, nós tenhamos a coragem de nos colocarmos no seu seguimento como discípulos missionários.
Peçamos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Relembre outros textos bíblicos em que Jesus se encontra em oração. Observe os elementos presentes na narrativa: oração, montanha, noite, amanhecer, Doze, descer da montanha, multidão… Quem são os Doze escolhidos por Jesus? O que busca a multidão que vai ao encontro do Senhor?
“Jesus tem longos tempos de oração. Ele sabe, e nos ensina, que sem essa intimidade com Deus não há como conhecer a sua vontade nem se manter firme, sem se desviar, na missão confiada por Deus. O chamado dos Doze não aconteceu de uma só vez. É por isso que, no evangelho, temos três relatos da vocação dos primeiros discípulos: o primeiro, junto ao mar da Galileia, o segundo, sobre a montanha e, ainda, o chamado de Levi, sentado na coletoria de impostos. Que tenha constituído um grupo de doze apóstolos revela a intenção de significar com isso o novo Israel, ou, se preferirem, o Israel transfigurado. Segundo o nosso relato, a escolha dos Doze é fruto de uma revelação e eleição divinas. A montanha é o lugar do encontro e da revelação de Deus (Ex 3,1-6.13-15) e dos desígnios de Deus (Ex 3,6-12). É na oração de Jesus que é concebida a escolha dos Doze entre os discípulos. O autor do relato já conhece o desfecho da história terrestre de Jesus, por isso ao nome de Judas ele acrescenta o motivo do seu mal: traiu Jesus entregando-o nas mãos dos chefes do povo. Descendo da montanha com os Doze e os demais discípulos, Jesus se depara com a carência e a miséria da multidão que o espera. Todos queriam tocá-lo, pois dele saía uma força que curava a todos. Trata-se da comunicação do Espírito Santo pelo qual o ser humano é santificado” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Todo cristão é convidado ao seguimento de Jesus nas suas diversas expressões. O seguimento é um processo de chamado, adesão e resposta. É, ao mesmo tempo, um caminho de identificação com o Mestre, e para isso é preciso assumir algumas exigências próprias do seguimento. Neste momento do encontro da Palavra de Deus com a vida, procure identificar o que o texto pode trazer de iluminação à sua experiência de fé, para enriquecê-la. Que luz nos dá Jesus com sua pessoa e sua mensagem? O que diz o texto a você hoje? Qual palavra mais chamou sua atenção? Que sentimentos o texto desperta em seu coração? Permaneça em silêncio por alguns instantes e deixe a Palavra de Deus encontrar espaço em sua vida. Examine sua consciência, reveja suas ações, confronte suas atitudes com a mensagem de Jesus.

Oração (Vida)
Permaneça em silêncio e reflita sobre sua vida à luz da Palavra de Deus que foi meditada. Vivendo o Ano do Laicato na Igreja, renovemos com todos os leigos o chamado de sermos sal e luz no mundo: “Ó Trindade Santa, Amor pleno e eterno, que estabelecestes a Igreja como vossa ‘imagem terrena’: nós vos agradecemos pelos dons, carismas, vocações, ministérios e serviços que todos os membros do vosso povo realizam como ‘Igreja em saída’, para o bem comum, a missão evangelizadora e a transformação social, no caminho do vosso Reino. Nós vos louvamos pela presença e organização dos cristãos leigos e leigas no Brasil, sujeitos eclesiais, testemunhas de fé, santidade e ação transformadora. Nós vos pedimos que os batizados atuem como sal da terra e luz do mundo: na família, no trabalho, na política e na economia, nas ciências e nas artes, na educação, na cultura e nos meios de comunicação; na cidade, no campo e em todo o planeta, nossa ‘casa comum’. Nós vos rogamos que todos contribuam para que os cristãos leigos e leigas compreendam sua vocação e identidade, espiritualidade e missão, e atuem de forma organizada na Igreja e na sociedade à luz da evangélica opção preferencial pelos pobres. Isto vos suplicamos pela intercessão da Sagrada Família, Jesus, Maria e José, modelos para todos os cristãos. Amém!”

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? Quais compromissos você deseja assumir em sua vida?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas