Oração diária, Que queres de nós, Jesus Nazareno? - Mc 1,21b-28

1ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

15 de janeiro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Senhor Jesus, leva-me a perceber, por trás de teus gestos e palavras, a presença do Pai agindo por meio de ti.

PRIMEIRA LEITURA: Hb 2,5-12

Leitura da Carta aos Hebreus – 5Não foi aos anjos que Deus submeteu o mundo futuro, do qual estamos falando. 6A este respeito, porém, houve quem afirmasse: “O que é o homem, para dele te lembrares, ou o filho do homem, para com ele te ocupares? 
7Tu o fizeste um pouco menor que os anjos, de glória e honra o coroaste, 8e todas as coisas puseste debaixo de seus pés”. Se Deus lhe submeteu todas as coisas, nada deixou que não lhe fosse submisso. Atualmente, porém, ainda não vemos que tudo lhe esteja submisso. 9Jesus, a quem Deus fez pouco menor do que os anjos, nós o vemos coroado de glória e honra, por ter sofrido a morte. Sim, pela graça de Deus em favor de todos, ele provou a morte. 
10Convinha de fato que aquele, por quem e para quem todas as coisas existem, e que desejou conduzir muitos filhos à glória, levasse o iniciador da salvação deles à consumação, por meio de sofrimentos. 11Pois tanto Jesus, o Santificador, como os santificados são descendentes do mesmo ancestral; por esta razão, ele não se envergonha de os chamar irmãos, 12dizendo: “Anunciarei o teu nome a meus irmãos; e no meio da assembleia te louvarei”.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 8

          — Destes domínio ao vosso Filho sobre tudo o que criastes.
— Destes domínio ao vosso Filho sobre tudo o que criastes.

— Ó Senhor, nosso Deus, como é grande vosso nome por todo o universo! Perguntamos: “Senhor, que é o homem, para dele assim vos lembrardes e o tratardes com tanto carinho?”

— Pouco abaixo de Deus o fizestes, coroando-o de glória e esplendor; vós lhe destes poder sobre tudo, vossas obras aos pés lhe pusestes:

— as ovelhas, os bois, os rebanhos, todo o gado e as feras da mata; passarinhos e peixes dos mares, todo ser que se move nas águas.

EVANGELHO: Mc 1,21b-28

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
          – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Marcos.
          – Glória a vós, Senhor.

21bEstando com seus discípulos em Cafarnaum, Jesus, num dia de sábado, entrou na sinagoga e começou a ensinar. 22Todos ficavam admirados com o seu ensinamento, pois ensinava como quem tem autoridade, não como os mestres da Lei.
23Estava então na sinagoga um homem possuído por um espírito mau. Ele gritou: 24“Que queres de nós, Jesus Nazareno? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus”. 25Jesus o intimou: “Cala-te e sai dele”!
26Então o espírito mau sacudiu o homem com violência, deu um grande grito e saiu. 27E todos ficaram muito espantados e perguntavam uns aos outros: “Que é isso? Um ensinamento novo dado com autoridade: Ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem!” 28E a fama de Jesus logo se espalhou por toda parte, em toda a região da Galileia.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Era o Shabbat dos judeus. Jesus entra na sinagoga de Cafarnaum e ensina. Seu ensinamento causa admiração. Ele ensina com autoridade e não como os escribas. Um homem possesso começa a gritar: “Que queres de nós? Vieste nos destruir? Sei quem tu és!” “Cala-te”, lhe diz Jesus, “e sai dele!” O espírito sai com um grande grito. O que é isto? Um ensinamento novo e com autoridade? Jesus ensina com autoridade, e não como os escribas. Os escribas não tinham autoridade? Tinham, e muita. O ensinamento de Jesus, porém, é um ensinamento novo, feito com autoridade. Não é simplesmente novo. É novo, autêntico e verdadeiro, por isso é feito com autoridade. Seria então falso o ensinamento dos escribas? Não era falso. Era falsificado. Partindo de um ponto verdadeiro, os escribas se enredaram e se perderam no meio de tradições e preceitos humanos. Feitos por ser humanos, tais preceitos desumanizaram os escribas. Se fossem divinos, o ser humano estaria no centro de suas considerações. A situação desumana do possesso é resultado de um ensinamento desajustado.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
“Todos ficaram admirados com o ensinamento de Jesus.” É um ensinamento novo, diferente, que busca fazer a vontade de Deus. Jesus é livre para fazer a vontade do Pai, e sua proposta provoca reações diversas. O Evangelho de hoje é um convite à escuta atenta das palavras de Jesus para conhecê-lo e segui-lo com liberdade.
Oremos: “Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, guia-me nos passos de Jesus, ajuda-me a compreendê-lo. Amém.”

Leitura (Verdade)
Leia atentamente o Evangelho observando as atitudes de Jesus e a reação das pessoas. O que diz o texto? Qual a atitude de Jesus? O que as pessoas expressam diante de seu ensinamento? Onde Jesus está ensinando?
“Um dos traços característicos do Jesus apresentado por Marcos é que ele ensina. O seu ensinamento é novo e feito com autoridade. Como nós teremos a oportunidade de ver, o seu ensinamento é novo porque ele representa uma nova interpretação da Lei que liberta o ser humano para a vida, e na qual é desvelado o rosto misericordioso de Deus. A autoridade do seu ensinamento, grosso modo, é a sua coerência interna, e porque ele comunica um ‘sopro’ de vida. Jesus é apresentado como um judeu piedoso. O sábado, dia de repouso para celebrar a obra de Deus na criação e na libertação do seu povo da escravidão do Egito, é o dia em que se manifesta o poder do Senhor sobre o mal. Esta é a finalidade do nosso relato: apresentar Jesus como vitorioso sobre o mal. Se o mal procura se esconder na sombra, a presença daquele que é a ‘Luz do mundo’, o ‘Santo de Deus’, desvela, para destruí-lo, o mal presente no ser humano e que o desfigura” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“Jesus participava da sua comunidade. Era assíduo nas orações. Dá-nos um testemunho e um exemplo: também precisamos da vivência comunitária e sacramental. Seu ensinamento era sustentado pelo seu exemplo, por isso, todos sentiam que ele pregava com autoridade. Mas quem é esse jovem, tão entusiasmado e de palavras tão profundas e tocantes? Enquanto a dúvida pairava naquele ambiente, o ‘espírito imundo’ já sabia de quem se travava: o Santo de Deus. Não basta saber quem é Jesus, é preciso ter a coragem de ser discípulo missionário. Não basta conhecer, intelectualmente, quem é Jesus; é necessário experimentá-lo. Jesus não queria fãs, mas discípulos. Os fãs, Jesus dispensa. Os discípulos, Jesus necessita! Sou fã ou discípulo?” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
“Jesus, Mestre no ensinamento e no cumprimento da vontade do Pai, ajuda-me a ser livre para fazer também a vontade do Pai e para colaborar no serviço aos irmãos e irmãs que necessitam de libertação. Que eu não seja apenas um fã de tuas palavras, mas um autêntico discípulo de tua Palavra. Amém!”

Contemplação (Vida e Missão)
O que esta Palavra o(a) convida a viver? Qual novo olhar despertou em você?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas