Oração diária, Maria unge os pés de Jesus - Jo 12,1-11

Semana Santa – Ano Litúrgico B

26 de março de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, tira de mim toda malícia que me impede de compreender, em profundidade, os gestos de Jesus, o qual se fez pobre entre os pobres, e morreu como um deles.

PRIMEIRA LEITURA: Is 42,1-7

Leitura do Livro do Profeta Isaías

1“Eis o meu servo — eu o recebo; eis o meu eleito — nele se compraz minh’alma; pus meu espírito sobre ele, ele promoverá o julgamento das nações. 2Ele não clama nem levanta a voz, nem se faz ouvir pelas ruas.
3Não quebra uma cana rachada nem apaga um pavio que ainda fumega; mas proverá o julgamento para obter a verdade. 4Não esmorecerá nem se deixará abater, enquanto não estabelecer a justiça na terra; os países distantes esperam seus ensinamentos”.
5Isto diz o Senhor Deus, que criou o céu e o estendeu, firmou a terra e tudo que dela germina, que dá a respiração aos seus habitantes e o sopro da vida ao que nela se move: 6“Eu, o Senhor, te chamei para a justiça e te tomei pela mão; eu te formei e te constituí como o centro de aliança do povo, luz das nações, 7para abrires os olhos dos cegos, tirar os cativos da prisão, livrar do cárcere os que vivem nas trevas.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 27(26)

          — O Senhor é minha luz e salvação.
— O Senhor é minha luz e salvação.

— O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção da minha vida; perante quem eu temerei?

— Quando avançam os malvados contra mim, querendo devorar-me, são eles, inimigos e opressores, que tropeçam e sucumbem.

— Se contra mim um exército se armar, não temerá meu coração; se contra mim uma batalha estourar, mesmo assim confiarei.

— Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos videntes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor!

EVANGELHO:  Jo 12,1-11

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

1Seis dias antes da Páscoa, Jesus foi a Betânia, onde morava Lázaro, que ele havia ressuscitado dos mortos. 2Ali ofereceram a Jesus um jantar; Marta servia e Lázaro era um dos que estavam à mesa com ele. 3Maria, tomando quase meio litro de perfume de nardo puro e muito caro, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos. A casa inteira ficou cheia do perfume do bálsamo.
4Então, falou Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de entregar: 5“Por que não se vendeu este perfume por trezentas moedas de prata, para dá-las aos pobres?” 6Judas falou assim, não porque se preocupasse com os pobres, mas porque era ladrão; ele tomava conta da bolsa comum e roubava o que se depositava nela.
7Jesus, porém, disse: “Deixa-a; ela fez isto em vista do dia da minha sepultura. 8Pobres, sempre os tereis convosco, enquanto a mim, nem sempre me tereis”.
9Muitos judeus, tendo sabido que Jesus estava em Betânia, foram para lá, não só por causa de Jesus, mas também para verem Lázaro, que Jesus ressuscitara dos mortos. 10Então, os sumos sacerdotes decidiram matar também Lázaro, 11porque por causa dele, muitos deixavam os judeus e acreditavam em Jesus.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Maria, irmã de Marta e de Lázaro, prepara o corpo de Jesus para a sepultura. Ela unge os pés de Jesus com um perfume caro. Judas Iscariotes a critica pelo desperdício. Jesus a defende. Lázaro, que Jesus fizera voltar a esta vida, estava na casa. Muitos judeus iam a Betânia por causa de Jesus, mas também para ver Lázaro, o que começou a preocupar os chefes dos sacerdotes. Decidiram então matar Lázaro. Lázaro acabara de morrer e de voltar à vida e já devia morrer de novo. Diz a tradição que ele viveu ainda muitos anos e depois morreu ou em Chipre ou em Marselha. A ressurreição de Lázaro não é a que queremos para nós.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Nesta Semana Santa, “somos convidados a parar um pouco e pensar nos acontecimentos que marcaram a vida de Jesus antes de sua morte. Com as celebrações desta semana, queremos procurar o sentido da Paixão e Morte de Jesus em nossas vidas” (“A vida em Cristo e na Igreja”, n. 56).
Peçamos: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Oremos: Senhor, nosso Deus, que pela luz do Espírito Santo instruístes o coração dos vossos fiéis, fazei-nos dóceis ao mesmo Espírito, para apreciarmos o que é justo e nos alegrarmos sempre com a sua presença. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Leia-o e procure compreender o contexto do relato: lugares, pessoas, acontecimentos… Quais são as palavras ou gestos de Jesus? Qual tema perpassa a narrativa?
“Com esse trecho entramos na segunda parte do evangelho segundo João, denominada ‘livro da glória’. A ambientação são os dias que antecedem a Páscoa dos judeus, e o contexto é o da paixão de Jesus. Estamos, segundo o relato, nos últimos seis dias da vida terrestre de Jesus. Lázaro, Marta e Maria são amigos de Jesus; é na casa deles que Jesus para antes de entrar para a sua paixão e morte em Jerusalém. A acolhida, o serviço e o amor dispensados a Jesus naquela casa são traços característicos e indissociáveis da comunidade cristã (cf. Ct 1,12; 7,6). A refeição na casa dos amigos é sinal de comunhão, e a evocação do episódio de Lázaro indica que se trata, também, da alegria da vida recebida como dom. A unção, Jesus mesmo a interpreta como uma antecipação de sua sepultura. Judas é o personagem que entra na história como contraste de todo o acima dito. É tratado negativa e duramente pelo narrador como sendo traidor e ladrão. Mas há um outro traço de Judas: ele é incapaz de reconhecer e acolher um gesto de pura gratuidade. Quem não é capaz de gestos de gratuidade não é, igualmente, capaz de amar; quem não é capaz de verdadeiro amor não busca senão o seu próprio interesse, abrindo, assim, a possibilidade de trair, inclusive, o Senhor da vida” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Como você compreende a acolhida de Jesus na casa de Lázaro, Marta e Maria neste momento de sua vida? O que lhe diz o gesto de Maria? Quais sentimentos o texto despertou em seu coração?
O gesto de Maria de ungir os pés de Jesus também é entendido como o amor que a comunidade é chamada a viver. A casa de Lázaro, Marta e Maria se transforma na comunidade que ama e serve, característica da comunidade cristã. Da mesma forma como Jesus foi recebido na casa de Lázaro, que nossa casa e nossa vida tenham sempre espaço para o Filho de Deus.

Oração (Vida)
A Paixão, o sofrimento e a morte de Jesus continuam presentes na humanidade. Através dos sofrimentos, os homens estão unidos a Jesus e em Jesus participam da salvação que Ele veio nos trazer com a morte na cruz. Rezemos hoje, além de nossas orações pessoais, pelas pessoas que sofrem, pelos que carregam pesadas cruzes todos os dias, pelos que padecem, pelos que são condenados a viver sem dignidade, sem esperança, sem trabalho, sem amor…
“Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho unigênito de Deus, vindo ao mundo para dar aos homens a vida em plenitude. Nós vos louvamos e agradecemos, porque morrestes na cruz para obter-nos a vida divina que nos comunicais no Batismo e alimentais com a Eucaristia e os outros sacramentos. Vivei em nós, Jesus, pelo vosso Espírito, para que vos amemos com todo o nosso ser e amemos o próximo como a nós mesmos, no vosso amor. Fazei crescer em nós esse amor, para que um dia, ressuscitados, partilhemos convosco a alegria do Reino dos céus. Amém.”

Contemplação (Vida e Missão)
Como você deseja viver a Semana Santa? Qual atitude se propõe a viver hoje?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.