Liturgia diária, O Templo é casa de oração e de ensino - Lc 19,45-48

33ª Semana Comum – Ano Litúrgico B

23 de novembro de 2018

ORAÇÃO DO DIA

texto

PRIMEIRA LEITURA:

texto

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO

texto

EVANGELHO: 

texto

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Depois de ter lamentado a sorte de Jerusalém, Jesus entrou na cidade e foi ao Templo. Viu os vendedores e acusou-os de transformar a Casa de Oração em covil de ladrões. E todos os dias Jesus ia ao Templo para ensinar o povo. O povo o ouvia com gosto, o que se tornava um problema para os sacerdotes e os escribas que queriam matar Jesus. A purificação do Templo foi certamente uma ação profética de Jesus, ligada à lamentação proferida anteriormente sobre a destruição de Jerusalém. Esse Templo, que deveria ser Casa de Oração para todos os povos, transformou-se necessariamente em casa de comércio pelo volume de atividades requeridas pelos sacrifícios a serem oferecidos, incluindo câmbio de moedas. O que Deus quer, porém, é amor e conhecimento de Deus, e não sacrifícios e holocaustos. Ao relatar seu próprio chamado, Mateus cita esta afirmação do profeta Oseias e a repete quando os discípulos arrancam espigas para comer num dia de sábado. A misericórdia vai substituir tudo o que se fazia no Templo. A multiplicação de leis e preceitos, as minúcias na organização dos ritos, as exigências da qualidade do material dos sacrifícios; enfim, todas as normas litúrgicas da época transformaram a Casa de Oração em covil de ladrões. Ladrões de dinheiro e ladrões de consciência. Os mais simples levam a sério o que lhes dizem que é vontade de Deus.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Jesus é o Messias enviado para libertar o povo de todo jugo do poder e da escravidão. Por isso, seu anúncio e sua prática se chocam com os interesses dos sumos sacerdotes e escribas, como veremos no Evangelho.
Silenciando o coração, repita algumas vezes a oração: “Jesus Mestre, iluminai minha mente, movei meu coração, para que esta meditação produza em mim frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Procure identificar o contexto do relato: lugar, pessoas, ação de Jesus… Por que Jesus expulsa os vendedores do Templo? O que significa: “Minha casa será casa de oração”? Por que os sacerdotes, escribas e notáveis do povo querem matar Jesus?
“O texto da purificação do Templo encontra-se nos quatro evangelhos (Mt 21,12-13; Mc 11,11.15-17; Lc 19,45-46; Jo 2,14-16). O que acontece no Templo, por ocasião da Páscoa, é escandaloso. As pessoas ligadas ao Templo, aproveitando-se da obrigatoriedade de oferecer sacrifícios e da distância que os peregrinos percorriam a pé para chegar a Jerusalém, comercializam todo tipo de animais prescritos pela Lei para o sacrifício. Além disso, havia uma moeda própria do Templo, por isso devia ser pura, isto é, sem nenhuma efígie; o câmbio, que todas as pessoas tinham que fazer, acontecia no próprio Templo. O texto de Lucas se limita a dizer que Jesus expulsa os comerciantes do Templo, sem mencionar, ao contrário de João, Marcos e Mateus, como Jesus o fez. O cuidado do Templo é responsabilidade do rei. Jesus entra em Jerusalém como rei. O seu ensinamento não é feito somente de palavras; o gesto que ele acaba de fazer ensina: ‘minha casa será casa de oração’. O espaço do Templo, lugar da habitação de Deus, é usado em benefício de grupos; Deus é instrumentalizado em benefício de uma ordem estabelecida. O cerco sobre Jesus vai se fechando cada vez mais; seus adversários querem eliminá-lo” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você, hoje? Leia o Evangelho novamente, procurando identificar a mensagem que Jesus quer comunicar à sua vida.
“A casa de oração tinha se tornado casa de negociação. Isso Jesus não deixa passar em vão no exercício do seu ministério e expulsa os vendilhões do Templo. Quando o poder econômico dita as regras do louvor e da oração, é sinal de que a idolatria se instalou no coração dos sacerdotes e, por extensão, chega ao povo. A casa do Senhor deve ser casa de oração. Cuidemos para que as nossas igrejas não sejam lugar de espertezas ou enriquecimentos vergonhosos, mas um sinal do amor e da misericórdia do nosso Deus, que acolhe a todos que têm a coragem de entrar nelas ou mesmo participar da sua vida e de sua dinâmica pastoral. Deus nos livre de uma religiosidade vazia e de uma fé de negócios!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
“Ó Espírito Santo! Dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora, fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da Santa Igreja! Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao Coração do Senhor Jesus. Um coração grande e forte, para amar a todos, para servir a todos, para sofrer por todos. Um coração grande e forte, para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda ofensa, toda desilusão. Um coração grande e forte e constante até o sacrifício, quando for necessário. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir humilde e fielmente a vontade do Pai. Amém” (Papa Paulo VI).

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra de Deus na mente e no coração, qual atitude você se propõe a viver hoje? Se for possível, visite uma igreja e faça um momento de oração.

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas