Liturgia diária A mulher samaritana - Jo 4,5-42

3º Domingo da Quaresma – Ano Litúrgico A

19 de março de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Pai, em Jesus, tu nos destes um dom precioso. Dá-me a graça de reconhecê-lo e acolhê-lo, cheio de fé, e deixar minha vida ser transformada por ele.

PRIMEIRA LEITURA:  Êx 17,3-7

Leitura do Livro do Êxodo – Naqueles dias, 3o povo, sedento de água, murmurava contra Moisés e dizia: “Por que nos fizeste sair do Egito? Foi para nos fazer morrer de sede, a nós, nossos filhos e nosso gado?”
4Moisés clamou ao Senhor, dizendo: “Que farei por este povo? Por pouco não me apedrejam!”
5O Senhor disse a Moisés: “Passa adiante do povo e leva contigo alguns anciãos de Israel. Toma a tua vara com que feriste o rio Nilo e vai. 6Eu estarei lá, diante de ti, sobre o rochedo, no monte Horeb. Ferirás a pedra e dela sairá água para o povo beber”.
Moisés assim fez na presença dos anciãos de Israel. 7E deu àquele lugar o nome de Massa e Meriba, por causa da disputa dos filhos de Israel e porque tentaram o Senhor, dizendo: “O Senhor está no meio de nós ou não?”

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 94

          — Hoje não fecheis o vosso coração,/ mas ouvi a voz do Senhor!
— Hoje não fecheis o vosso coração,/ mas ouvi a voz do Senhor!

— Vinde, exultemos de alegria no Senhor,/ aclamemos o Rochedo que nos salva!/ Ao seu encontro caminhemos com louvores,/ e com cantos de alegria o celebremos!

— Vinde, adoremos e prostremo-nos por terra,/ e ajoelhemos ante o Deus que nos criou!/ Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor,/ e nós somos o seu povo e seu rebanho,/ as ovelhas que conduz com sua mão.

— Oxalá ouvísseis hoje a sua voz:/ “Não fecheis os corações como em Meriba,/ como em Massa, no deserto, aquele dia,/ em que outrora vossos pais me provocaram,/ apesar de terem visto as minhas obras”.

SEGUNDA LEITURA:  Rm 5,1-2.5-8

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos – Irmãos: 1Justificados pela fé, estamos em paz com Deus, pela mediação do Senhor nosso, Jesus Cristo. 2Por ele tivemos acesso, pela fé, a esta graça, na qual estamos firmes e nos gloriamos, na esperança da glória de Deus.
5E a esperança não decepciona, porque o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.
6Com efeito, quando éramos ainda fracos, Cristo morreu pelos ímpios, no tempo marcado. 7Dificilmente alguém morrerá por um justo; por uma pessoa muito boa talvez alguém se anime a morrer. 8Pois bem, a prova de que Deus nos ama é que Cristo morreu por nós, quando éramos ainda pecadores.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Jo 4,5-15.19b-26.39a.40-42

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

          Naquele tempo, 5Jesus chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, perto do terreno que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6Era aí que ficava o poço de Jacó. Cansado da viagem, Jesus sentou-se junto ao poço. Era por volta do meio-dia. 7Chegou uma mulher da Samaria para tirar água. Jesus lhe disse: “Dá-me de beber”.
8Os discípulos tinham ido à cidade para comprar alimentos. 9A mulher samaritana disse então a Jesus: “Como é que tu, sendo judeu, pedes de beber a mim, que sou uma mulher samaritana?” De fato, os judeus não se dão com os samaritanos.
10Respondeu-lhe Jesus: “Se tu conhecesses o dom de Deus e quem é que te pede: ‘Dá-me de beber’, tu mesma lhe pedirias a ele, e ele te daria água viva”.
11A mulher disse a Jesus: “Senhor, nem sequer tens balde e o poço é fundo. De onde vais tirar água viva? 12Por acaso, és maior que nosso pai Jacó, que nos deu o poço e que dele bebeu, como também seus filhos e seus animais?”
13Respondeu Jesus: “Todo aquele que bebe desta água terá sede de novo. 14Mas quem beber da água que eu lhe darei, esse nunca mais terá sede. E a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água que jorra para a vida eterna”.
15A mulher disse a Jesus: “Senhor, dá-me dessa água, para que eu não tenha mais sede e nem tenha de vir aqui para tirá-la”. 19b“Senhor, vejo que és um profeta!” 20Os nossos pais adoraram neste monte, mas vós dizeis que em Jerusalém é que se deve adorar”.
21Disse-lhe Jesus: “Acredita-me, mulher: está chegando a hora em que nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. 22Vós adorais o que não conheceis. Nós adoramos o que conhecemos, pois a salvação vem dos judeus.
23Mas está chegando a hora, e é agora, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade. De fato, estes são os adoradores que o Pai procura. 24Deus é espírito, e aqueles que o adoram devem adorá-lo em espírito e verdade”.
25A mulher disse a Jesus: “Sei que o Messias (que se chama Cristo) vai chegar. Quando ele vier, vai nos fazer conhecer todas as coisas”. 26Disse-lhe Jesus: “Sou eu, que estou falando contigo”. 39aMuitos samaritanos daquela cidade abraçaram a fé em Jesus. 40Por isso, os samaritanos vieram ao encontro de Jesus e pediram que permanecesse com eles. Jesus permaneceu aí dois dias. 41E muitos outros creram por causa da sua palavra. 42E disseram à mulher: “Já não cremos por causa das tuas palavras, pois nós mesmos ouvimos e sabemos que este é verdadeiramente o salvador do mundo”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Na longa e penosa travessia do deserto, o povo de Deus experimentou as agruras da sede. Ficou zangado com Moisés e fez uma pergunta surpreendente: “Por que você nos fez sair do Egito? Para nos fazer morrer de sede?” A pergunta dá a entender que os israelitas não saíram do Egito de bom grado. Será que Moisés foi o único que se interessou verdadeiramente em deixar a escravidão antiga e procurar a liberdade, mesmo a duras penas? A discórdia aconteceu por causa da água, e continua acontecendo; por isso, aquele lugar ficou conhecido na história de Israel como Massa, que significa tentação, e Meriba, que significa discórdia ou contestação.
Junto ao poço de Jacó, Jesus e a samaritana conversam sobre a água, aquela de que todos precisamos, como os israelitas no deserto. Jesus, porém, lhe oferece algo mais. Oferece a água que jorra para a vida eterna e mata a sede dos adoradores em espírito e verdade. Estamos em paz porque fomos justificados pela fé, diz São Paulo. A samaritana fez o caminho da fé e conheceu o dom de Deus. Começou negando a possibilidade de Jesus ter acesso à água. Ele não tinha um balde para tirar água do poço. A samaritana, sim. O balde foi a sua segurança, até perceber que Jesus a conhecia mais do que ela pensava. Deixou então a falsa segurança, aderiu a Jesus e foi anunciá-lo aos seus conterrâneos.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Celebramos o terceiro domingo da nossa caminhada quaresmal. Juntamente com a samaritana, peçamos ao Senhor que nos conceda a Água da Vida, que sacia a nossa sede e restaura as nossas forças.

Peçamos: “Senhor Jesus, dá-me um coração simples para compreender a riqueza de ensinamentos escondida em tua Palavra. Envia teu Espírito Santo para que eu não tenha medo de escutá-la e vivê-la conforme a tua vontade. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Faça uma leitura atenta e coloque-se dentro do relato bíblico. Destaque os elementos da narrativa: lugares, pessoas, experiências, diálogos. Qual é a relação dos judeus com os samaritanos? O que representa a água nas diversas vezes em que é citada no texto? Qual é o tema central do Evangelho?

Meditação (Caminho)
“A graça de se encontrar com Jesus, no deserto, ao meio-dia, e poder mudar de vida. Eis o privilégio dessa samaritana. Jesus é a água viva que sacia a sede da humanidade. Mas ele tem sede do ser humano. Nessas belas páginas da Sagrada Escritura, uma lição para a vida toda: Jesus quer mudar o rumo da nossa vida; ele quer saciar nossa sede de vida plena; ele quer nos dar a conhecer o dom de Deus. Bendita mulher samaritana! Seu encontro com o Senhor é uma esperança para todos nós. Assim como o Mestre mudou a sua vida, ao meio-dia de sua existência, pode mudar a nossa também. Seu testemunho converteu muitos para a fé em Cristo. Por seu relato muitos foram ouvi-lo e creram por causa de sua palavra” (Reflexão de frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra 2017”, Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Peçamos neste dia que a Palavra da Vida que acabamos de meditar nos acompanhe. Que ela produza seus frutos em nós. E rezamos em comunhão com toda a Igreja a oração da Campanha da Fraternidade: “Deus, nosso Pai e Senhor, nós vos louvamos e bendizemos, por vossa infinita bondade. Criastes o universo com sabedoria e o entregastes em nossas frágeis mãos para que dele cuidemos com carinho e amor. Ajudai-nos a ser responsáveis e zelosos pela Casa Comum. Cresça, em nosso imenso Brasil, o desejo e o empenho de cuidar mais e mais da vida das pessoas e da beleza e riqueza da criação, alimentando o sonho do novo céu e da nova terra que prometestes. Amém!”

Contemplação (Vida e Missão)
Sintetize em poucas palavras o apelo que você sentiu em seu coração, para colocá-lo em prática durante o dia.

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.