Oração diária Quem rejeita a cruz, não pode ser meu discípulo - Lc 14,25-33

22ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

08 de setembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, reforça minha disposição a ser discípulo de teu Reino, afastando tudo quanto possa abalar a solidez de minha adesão a ti e a teu Filho Jesus.

PRIMEIRA LEITURA: Sb 9,13-18

Leitura do Livro da Sabedoria – 13Qual é o homem que pode conhecer os desígnios de Deus? Ou quem pode imaginar o desígnio do Senhor?
14Na verdade, os pensamentos dos mortais são tímidos e nossas reflexões incertas: 15porque o corpo corruptível torna pesada a alma, e tenda de argila oprime a mente que pensa.
16Mal podemos conhecer o que há na terra, e com muito custo compreendemos o que está ao alcance de nossas mãos; quem, portanto, investigará o que há nos céus?
17Acaso alguém teria conhecido o teu desígnio, sem que lhe desses Sabedoria e do alto lhe enviasses teu santo espírito? 18Só assim se tornaram retos os caminhos dos que estão na terra, e os homens aprenderam o que te agrada, e pela Sabedoria foram salvos. 

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 89(90)

          — Vós fostes, ó Senhor, um refúgio para nós!
— Vós fostes, ó Senhor, um refúgio para nós!

— Vós fazeis voltar ao pó todo mortal,/ quando dizeis: “Voltai ao pó, filhos de Adão!”/ Pois mil anos para vós são como ontem,/ qual vigília de uma noite que passou.

— Eles passam como o sono da manhã,/ são iguais à erva verde pelos campos:/ De manhã ela floresce vicejante,/ mas à tarde é cortada e logo seca.

— Ensinai-nos a contar os nossos dias,/ e dai ao nosso coração sabedoria!/ Senhor, voltai-vos! Até quando tardareis?/ Tende piedade e compaixão de vossos servos!

— Saciai-nos de manhã com vosso amor,/ e exultaremos de alegria todo o dia!/ Que a bondade do Senhor e nosso Deus/ repouse sobre nós e nos conduza!/ Tornai fecundo, ó Senhor, nosso trabalho.

SEGUNDA LEITURA: Fm 9b-10.12-17

Carta de São Paulo apóstolo a Filêmon – Caríssimo: 9bEu, Paulo, velho como estou, e agora também prisioneiro de Cristo Jesus, 10faço–te um pedido em favor do meu filho, que fiz nascer para Cristo na prisão, Onésimo. 12Eu o estou mandando de volta para ti. Ele é como se fosse o meu próprio coração. 13Gostaria de tê-lo comigo, a fim de que fosse teu representante para cuidar de mim nesta prisão, que eu devo ao Evangelho.
14Mas eu não quis fazer nada sem o teu parecer, para que a tua bondade não seja forçada, mas espontânea. 15Se ele te foi retirado por algum tempo, talvez seja para que o tenhas de volta para sempre, 16já não como escravo, mas, muito mais do que isso, como um irmão querido, muitíssimo querido para mim quanto mais ele o for para ti, tanto como pessoa humana quanto como irmão no Senhor. 17Assim, se estás em comunhão de fé comigo, recebe-o como se fosse a mim mesmo.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 14,25-33

        – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 25grandes multidões acompanhavam Jesus. Voltando-se, ele lhes disse: 26“Se alguém vem a mim, mas não se desapega de seu pai e sua mãe, sua mulher e seus filhos, seus irmãos e suas irmãs e até da sua própria vida, não pode ser meu discípulo. 27Quem não carrega sua cruz e não caminha atrás de mim, não pode ser meu discípulo.
28Com efeito, qual de vós, querendo construir uma torre, não se senta primeiro e calcula os gastos, para ver se tem o suficiente para terminar? Caso contrário, 29ele vai lançar o alicerce e não será capaz de acabar. E todos os que virem isso começarão a caçoar, dizendo: 30‘Este homem começou a construir e não foi capaz de acabar!’
31Ou ainda: Qual o rei que, ao sair para guerrear com outro, não se senta primeiro e examina bem se com dez mil homens poderá enfrentar o outro que marcha contra ele com vinte mil? 32Se ele vê que não pode, enquanto o outro rei ainda está longe, envia mensageiros para negociar as condições de paz.
33Do mesmo modo, portanto, qualquer um de vós, se não renunciar a tudo o que tem, não pode ser meu discípulo!

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Estamos na quarta etapa da viagem de Jesus para Jerusalém, segundo o Evangelho de Lucas. O ensinamento desta etapa consiste no desapego dos bens deste mundo, sobretudo, do dinheiro. O discípulo humilde de domingo passado é o discípulo sábio no início desta etapa. Depois se mostrará convertido, esperto e radical. Jesus faz uma “propaganda vocacional” difícil de ser compreendida. O chamado que Jesus faz para que as pessoas o sigam nada tem a ver com benefícios, progresso na vida, prosperidade material. Para seguir Jesus, é preciso se desapegar de tudo, dos familiares e até da própria vida. É preciso carregar a cruz e caminhar com ele.
O seguimento de Jesus Cristo é um valor maior do que o bom e afetuoso relacionamento com os pais, os irmãos, os esposos e os filhos. O seguimento de Jesus está ligado à cruz, à humilhação, ao sofrimento, à morte, ao último lugar. A proposta está feita. Antes de acatá-la é bom calcular se é possível começar e ir até o fim. Podemos ao menos perceber que a proposta é séria e pode não ser para todo mundo. Quem pode tomar tal decisão e seguir Jesus dessa forma?

Quem pode conhecer os planos de Deus? Nosso pensamento é fraco, com dificuldade entendemos as coisas da terra; como poderemos compreender o que vem de Deus? Só é possível compreender alguma coisa do plano de Deus para nós e para o mundo, se ele mesmo nos der o seu Espírito de Sabedoria. É o único jeito de saber o que Deus quer de nós e então dar uma resposta inteligente.

É preciso ser sábio para se decidir por uma vocação tão radical. O discípulo sábio saboreia com a Sabedoria que lhe é dada o gosto que tem as coisas de Deus, nem sempre compreensíveis para nós da terra. “Ensinai-nos a contar os nossos dias, Senhor, e dai aos nossos corações Sabedoria” para nos movermos sempre na direção certa, nem sempre compreensível para quem não vê com os olhos da fé. São Paulo pede a Filêmon, na segunda leitura, que ele aja com sabedoria em relação a seu antigo escravo Onésimo. Filêmon não pode reagir como todo mundo, não pode seguir simplesmente o que parece claro, lógico e compreensível.

E por que Filêmon tem que ser diferente? Exatamente porque é seguidor de Jesus Cristo. Há certas coisas que parecem absurdas, ou pelo menos incompreensíveis. De fato, não são. O que importa é ter uma visão clara do que se está fazendo e não querer outra coisa a não ser aquilo que Deus quer. No seguimento de Jesus, queira realmente seguir Jesus e não suporte ser diferente dele. O discípulo que inicia a quarta etapa da viagem é sábio porque sabe o que quer.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Liturgia do 23º domingo do Tempo Comum. No Evangelho, Jesus instrui seus discípulos e a cada um de nós sobre as disposições necessárias para o seu seguimento. O discípulo de Jesus, a exemplo de seu Mestre, é convidado a tomar a sua cruz todos os dias e viver o desapego, da própria vida e dos bens terrenos.
Peçamos: “Jesus Mestre, cremos com viva fé que estais aqui presente, para indicar-nos o caminho que leva ao Pai. Iluminai nossa mente, movei nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)
Faça uma leitura atenta do Evangelho. O que o texto diz? Liste as instruções que Jesus dá aos discípulos e aos que desejam segui-lo. Retome as expressões que mais chamaram sua atenção. O que significa “tomar a cruz” no seguimento de Jesus? E o que significa “perder a vida” por causa de Jesus?


“O seguimento de Jesus exige discernimento e desapego. Jesus deixa a casa de um dos chefes dos fariseus, onde ele tinha sido convidado para uma refeição. Multidões o acompanham para escutá-lo e serem curadas de seus males. A ocasião é propícia para apresentar as exigências do seguimento. É preciso como ponto de partida uma atitude radical de desapego. Para seguir Jesus é preciso fazer uma escolha fundamental. Como dissemos acima, é necessário dispor-se e esforçar-se por desapegar-se, inclusive da própria vida.

A liberdade diante dos laços afetivos é requerida, pois os familiares não podem se constituir em obstáculo para o seguimento. Se a família assim procedesse, já não seria amor, mas possessão. Trata-se, ainda, do desapego da própria vida e da aceitação do risco do seguimento, a saber, a perseguição e o sofrimento. É preciso renunciar à segurança dos bens terrenos para ter em Deus sua única segurança e esperança. Para seguir Jesus é preciso optar pela liberdade e o desapego a fim de estar sempre disponível para o serviço do Reino de Deus” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? O que o Senhor lhe pede neste dia? Quais são suas disposições para o seguimento de Jesus?
“O seguimento de Jesus é uma vida de renúncias, inclusive daqueles a quem mais amamos. Jesus nos pede tudo, mas não nos tira nada. Quando nos pede amor incondicional e diz que ele deve ter preferência em relação aos familiares, não nos tira a família nem quer que a abandonemos. A questão é a liberdade do seguimento, que não pode ficar parado porque temos outras demandas prioritárias. Uma certeza todos devemos ter: quando cuidamos das coisas de Deus, ele cuida das nossas. Assim, ele cuida da nossa família, dos nossos amores, dos nossos projetos, da nossa própria vida. Que a família não seja uma barreira entre o chamado de Deus e a nossa resposta! A palavra do dia é confiança” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? O que você deseja dizer ao Senhor neste momento de oração?

Contemplação (Vida e Missão)
De que forma a Palavra de Deus estará presente neste seu dia? O que você deseja colocar em prática, segundo os ensinamentos de Jesus?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas