Oração diária, Ninguém poderá tirar a vossa alegria - Jo 16,20-23a

6ª Semana da Páscoa – Ano Litúrgico B

11 de maio de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Espírito de felicidade, que a certeza da ressurreição me ajude a suportar as dores e os sofrimentos, sem desfalecer.

PRIMEIRA LEITURA: At 18,9-18

Leitura dos Atos dos Apóstolos –

Estando Paulo em Corinto, 9uma noite, o Senhor disse-lhe em visão: “Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, 10porque eu estou contigo. Ninguém te porá a mão para fazer mal. Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence”. 11Assim Paulo ficou um ano e meio entre eles, ensinando-lhes a Palavra de Deus.
12Na época em que Galião era procônsul na Acaia, os judeus insurgiram-se em massa contra Paulo e levaram-no diante do tribunal, 13dizendo: “Este homem induz o povo a adorar a Deus de modo contrário à Lei”.
14Paulo ia tomar a palavra, quando Galião falou aos judeus, dizendo: “Judeus, se fosse por causa de um delito ou de uma ação criminosa, seria justo que eu atendesse a vossa queixa. 15Mas, como é questão de palavras, de nomes e da vossa Lei, tratai disso vós mesmos. Eu não quero ser juiz nessas coisas”. 16E Galião mandou-os sair do tribunal.
17Então todos agarraram Sóstenes, o chefe da sinagoga, e espancaram-no diante do tribunal. E Galião nem se incomodou com isso. 18Paulo permaneceu ainda vários dias em Corinto. Despedindo-se dos irmãos, embarcou para a Síria, em companhia de Priscila e Áquila. Em Cencreia, Paulo rapou a cabeça, pois tinha feito uma promessa.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 47(46)

           O Senhor é o grande Rei de toda a terra.
— O Senhor é o grande Rei de toda a terra.

— Povos todos do universo, batei palmas, gritai a Deus aclamações de alegria! Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo, o soberano que domina toda a terra.

— Os povos sujeitou ao nosso jugo e colocou muitas nações aos nossos pés. Foi ele que escolheu a nossa herança, a glória de Jacó, seu bem-amado.

— Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta. Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei!

EVANGELHO: Jo 16,20-23a

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São João.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
20“Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. 21A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos, por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo.
22Também vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. 23aNaquele dia, não me perguntareis mais nada”

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus está para partir. A Ascensão se aproxima. “Vocês vão chorar, vão sentir tristeza, mas eu verei vocês de novo.” Assim falou Jesus aos seus amigos para consolá-los. “Verei vocês de novo, o seu coração se alegrará, naquele dia não me perguntarão mais nada.” Já sabemos que ele virá no Espírito Santo, que é o Espírito da Verdade. Ele nos ensinará todas as coisas, e assim não teremos mais o que perguntar. Quando disse isso, Jesus devia estar se referindo à sua vinda no fim dos tempos, porque, no céu, não teremos mais nada para perguntar, pois estaremos na visão da glória de Deus. No entanto, enquanto estamos por aqui, mesmo depois de Pentecostes, temos ainda muitas coisas para perguntar. Vivemos com dúvidas. Tomamos decisões sem estar seguros do que estamos fazendo. O próprio papa recebe questionamentos em forma de dúvidas. É verdade que temos uma Igreja, temos um papa para confirmar a nossa fé, temos teólogos de todo tipo que nos ajudam com suas reflexões, e temos a nossa consciência. No meio de tudo isso, o que de fato garante a autenticidade da nossa vida cristã são as obras de misericórdia. A autenticação de nossa fé e de tudo o que fazemos e dizemos é feita pela caridade, que dissipa todas as dúvidas.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Com a imagem da mulher que sofre as dores de parto, mas depois vive uma grande alegria por ter dado à luz, Jesus compara a tristeza dos discípulos pela sua paixão e morte e a alegria pela sua ressurreição. Para bem compreendermos a Palavra que vamos meditar, peçamos: “Divino Espírito Santo, necessitamos muito de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir. Temos necessidade de vós, para que o nosso coração, inundado pela vossa consolação, se abra e que, muito além das palavras e dos conceitos, possamos perceber a vossa presença. Iluminai a nossa mente, movei o nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Faça uma leitura atenta e procure compreender o contexto da narrativa. A quem Jesus se dirige? Qual é o pensamento central do texto? Quais palavras mais chamaram sua atenção?
“A tristeza do discípulo ocupa um bom espaço no longo discurso de despedida de Jesus. Tristeza causada pela paixão e morte de Jesus, mas também pela perseguição da qual a Igreja de fiéis do primeiro século é vítima. A tristeza que abate e imobiliza não é de Deus. A tristeza que provém de indignação, ao contrário, vem de Deus, pois ela move o coração do ser humano a ser solidário com os que sofrem. A alegria, dom do Ressuscitado, é a que deve fortalecer os discípulos em meio às perseguições e ameaças. O sofrimento dos discípulos é comparado à mulher que dá à luz (cf. v. 21). A vida para vir à luz passa pelo sofrimento. A irrupção da vida transfigura o sofrimento, enxuga as lágrimas e dá a alegria, que ninguém, nem mesmo o sofrimento causado pela fidelidade a Deus, pode tirar (cf. v. 22). Para quem vive segundo o Espírito de Deus, é possível manter a alegria e a paz no sofrimento e na perseguição. Isto é um dos efeitos da Ressurreição de Cristo em nossa vida” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto lhe diz? Como você acolhe a tristeza e o sofrimento que experimenta ou já experimentou em algum momento da sua vida? É possível manter a alegria e a paz no sofrimento e nas dificuldades?

Oração (Vida)
Confie ao Senhor os frutos da sua oração, da sua meditação e da contemplação da Palavra. Apresente o desejo que brotou em seu coração e peça a graça de vivê-lo durante o dia. Faça sua prece de agradecimento ou pedido.

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? Quais apelos ela despertou em seu coração? Quais compromissos você deseja assumir hoje?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas