Liturgia diária, Não vim abolir a Lei e os profetas. - Mt 5,17-19

10ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

12 de junho de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Ó Deus, fonte de todo bem, atendei ao nosso apelo e fazei-nos, por vossa inspiração, pensar o que é certo e realizá-lo com vossa ajuda.

PRIMEIRA LEITURA: 2Cor 3,4-11

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios –

Irmãos, 4é por Cristo que temos tal confiança perante Deus, 5não porque sejamos capazes por nós mesmos de ter algum pensamento, como de nós mesmos, mas essa nossa capacidade vem de Deus. 6Ele é que nos tornou capazes de exercer o ministério de uma aliança nova. Esta não é uma aliança da letra, mas do Espírito. Pois a letra mata, mas o Espírito comunica a vida. 7Se o ministério da morte, gravado em pedras com letras, foi cercado de tanta glória, que os israelitas não podiam fitar o rosto de Moisés, por causa do seu fulgor, ainda que passageiro, 8quanto mais glorioso não será o ministério do Espírito? 9Pois, se o ministério, da condenação foi glorioso, muito mais glorioso há de ser o ministério ao serviço da justificação. 10Realmente em comparação com uma glória, tão eminente, já não se pode chamar glória o que então tinha sido glorioso. 11Pois se o que era passageiro foi marcado de glória, muito mais glorioso será o que permanece.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 98(99)

        —Santo é o Senhor nosso Deus!
— Santo é o Senhor nosso Deus!

— Exaltai o Senhor nosso Deus e prostrai-vos perante seus pés, pois é santo o Senhor nosso Deus!

— Eis Moisés e Aarão entre os seus sacerdotes. E também Samuel invocava seu nome, e ele mesmo, o Senhor, os ouvia.

— Da coluna de nuvem falava com eles. E guardavam a lei e os preceitos divinos, que o Senhor nosso Deus tinha dado.

— Respondíeis a eles, Senhor nosso Deus, porque éreis um Deus paciente com eles, mas sabíeis punir seu pecado.

— Exaltai o Senhor nosso Deus e prostrai-vos perante seu monte, pois é santo o Senhor nosso Deus!

EVANGELHO: Mt 5,17-19

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo; disse Jesus aos seus discípulos: 17“Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra. 19Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

O evangelista São Mateus não desvincula Jesus da Primeira Aliança. Ele não veio abolir a Lei e os Profetas. O que está nas Escrituras Sagradas é para ser cumprido e ensinado. Quem assim proceder, será considerado grande no Reino dos Céus. Jesus veio cumprir o que está escrito. Evidentemente, Jesus tem a sua compreensão do que está escrito, que nem sempre coincide com a compreensão dos Mestres da Lei, tanto da Primeira quanto da Nova Aliança. Sem romper com o passado, a atitude de Jesus mostra a importância e as dificuldades das interpretações. Os Mestres da Lei de todos os tempos não podem anular o que é vontade de Deus com os seus preceitos e suas hermenêuticas. A expressão “Lei e Profetas” significa toda a Sagrada Escritura do Antigo Testamento. Dizer que Jesus não veio abolir as Escrituras antigas significa que elas devem ser conhecidas, praticadas e ensinadas. Assim está escrito: “Quem praticar os mandamentos e os ensinar, será considerado grande no Reino dos Céus”. Ler a Bíblia e meditá-la, Antigo e Novo Testamento, faz parte do programa diário do cristão. Para compreender o Novo Testamento é preciso conhecer o Antigo. Antigo não quer dizer ultrapassado ou abolido. Antigo Testamento significa Primeira Aliança, a que Deus fez com o povo de Israel e que perdura até hoje.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Por meio da escuta e meditação da Palavra, renovemos o nosso compromisso de sermos promotores do Reino de paz, justiça e fraternidade. Deixemo-nos conduzir pela ação do Espírito Santo que reza em nós, dizendo: Ó divino Espírito, ensina-me tudo quanto Jesus ensinou. Dá-me inteligência para entender; memória para lembrar; vontade dócil para praticar e coração generoso para corresponder aos teus convites. Amém.

Leitura (Verdade)
Leia o texto. Retome novamente cada palavra e procure compreender seu significado. Qual a importância da Lei e dos Profetas? O que significa o Reino de Deus?
“O modo como Jesus interpreta e põe em prática a lei de Moisés levou muitos de seus contemporâneos a pensar que ele abolia toda a Escritura (a Lei e os Profetas). Certamente, esse juízo se estendeu, ao menos, no embate com o judaísmo rabínico do primeiro século, para a primeira geração de cristãos. Nossa perícope visa dirimir o equívoco. Em Jesus, toda a Escritura encontra a sua realização e no Ressuscitado, a sua luz e o seu sentido pleno. Para o cristão que lê essas linhas do evangelho é dado um critério de interpretação do Antigo Testamento: é a partir de Jesus Cristo que a lei e os Profetas devem ser lidos, pois apontam para Ele. Para o cristão, a Lei é pensada a partir do mistério de Jesus Cristo. A centralidade de Jesus Cristo faz com que a exigência primordial do amor e da misericórdia se imponham como condição de autenticidade ou não de determinada interpretação e prática da Lei. O que tem precedência sobre quaisquer outras prescrições legais é o mandamento do amor (cf. Lc 10,25-37). Desse modo, para o cristão a lei de Moisés é válida enquanto ela passa pela interpretação de Jesus” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Trazendo a meditação da Palavra para a nossa vida, podemos então pensar: Reconheço que o Reino de Deus está em nosso meio? Preciso de sinais espetaculares para crer no Reino de Deus? Em quais gestos de Jesus reconheço o Reino de Deus acontecendo? E de que forma o Reino de Deus continua acontecendo hoje, em nossa vida, em nossa sociedade? Permita alguns instantes de silêncio, escute profundamente esta Palavra e deixe que o Senhor lhe fale ao coração.
“Mandamento não é imposição, mas um projeto de santificação. Deus não impõe, propõe. Quando começamos a olhar os mandamentos como cerceamento da liberdade pessoal, tomamos o pior rumo possível para nossa vida. Os mandamentos expressam o cuidado de Deus pela vida, pelas relações, pela sociedade, pelo crescimento pessoal e comunitário. É uma vida pautada na ética. Assim, Jesus não veio para abolir a lei e os profetas, mas para dar-lhes pleno cumprimento. Jesus não foi um subversivo, mas um homem totalmente obediente à vontade do Pai. Portanto, quem quiser ser grande aos olhos de Deus, viva e pratique seus ensinamentos, seus mandamentos. A plenitude da lei é o amor” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Em sua oração, apresente ao Senhor as diversas realidades presentes na sociedade. E após cada pedido reze: Venha a nós o vosso Reino! Conclua com a oração que Jesus nos deixou, o Pai nosso.

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra na mente e no coração, qual atitude me proponho a viver no dia de hoje?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas