Oração diária, O vosso mestre não paga o imposto do templo? - Mt 17,22-27

19ª Semana Comum – Ano Litúrgico B

13 de agosto de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que eu saiba desfrutar minha condição de filho, que me faz livre diante das imposições injustas dos poderes deste mundo, pois só a ti devo submeter-me.

PRIMEIRA LEITURA: Ez 1,2-5.24-28c

Leitura da Profecia de Ezequiel – 2No dia cinco do mês – esse era o quinto ano do exílio do rei Joaquim –, 3a palavra do Senhor foi dirigida a Ezequiel, filho do sacerdote Buzi, na terra dos caldeus, junto ao rio Cobar. Foi ali que a mão do Senhor esteve sobre ele. 4Eu vi que um vento impetuoso vinha do norte, uma grande nuvem envolta em claridade e relâmpagos; no meio brilhava algo como se fosse ouro incandescente. 5No centro aparecia a figura de quatro seres vivos. Este era o seu aspecto: cada um tinha a figura de homem. 24E eu ouvi o rumor de suas asas: Era como um estrondo de muitas águas, como a voz do Poderoso. Quando se moviam, o seu ruído era como o barulho de um acampamento; quando paravam, eles deixavam pender as asas. 25O ruído vinha de cima do firmamento, que estava sobre suas cabeças. 26Acima do firmamento que estava sobre as cabeças, havia algo parecido com safira, uma espécie de trono, e sobre essa espécie de trono, bem no alto, uma figura com aparência humana.
27E eu vi como que um brilho de ouro incandescente, envolvendo essa figura como se fosse fogo, acima daquilo que parecia ser a cintura; abaixo daquilo que parecia ser a cintura vi algo como fogo e, em sua volta, um círculo luminoso. 28cEsse círculo luminoso tinha o mesmo aspecto do arco-íris, que se forma nas nuvens em dia de chuva. Tal era a aparência visível da glória do Senhor. Ao vê-la, caí com o rosto no chão.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 148

— Da vossa glória estão cheios o céu e a terra.
— Da vossa glória estão cheios o céu e a terra.

— Louvai o Senhor Deus nos altos céus, louvai-o no excelso firmamento! Louvai-o, anjos seus, todos louvai-o, louvai-o, legiões celestiais!

— Reis da terra, povos todos, bendizei-o, e vós, príncipes e todos os juízes; e vós, jovens, e vós, moças e rapazes, anciãos e criancinhas, bendizei-o!

— Louvem o nome do Senhor, louvem-no todos, porque somente o seu nome é excelso! A majestade e esplendor de sua glória ultrapassam em grandeza o céu e a terra.

— Ele exaltou seu povo eleito em poderio, ele é o motivo de louvor para os seus santos. É um hino para os filhos de Israel, este povo que ele ama e lhe pertence.

EVANGELHO: Mt 17,22-27

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 22quando Jesus e os seus discípulos estavam reunidos na Galileia, ele lhes disse: “O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens. 23Eles o matarão, mas no terceiro dia ele ressuscitará”. E os discípulos ficaram muito tristes. 24Quando chegaram a Cafarnaum, os cobradores do imposto do Templo aproximaram-se de Pedro e perguntaram: “O vosso mestre não paga o imposto do Templo?”
25Pedro respondeu; “Sim, paga”. Ao entrar em casa, Jesus adiantou-se, e perguntou: “Simão, que te parece: Os reis da terra cobram impostos ou taxas de quem: dos filhos ou dos estranhos?” 26Pedro respondeu: “Dos estranhos!” Então Jesus disse: “Logo os filhos são livres. 27Mas, para não escandalizar essa gente, vai ao mar, lança o anzol, e abre a boca do primeiro peixe que pescares. Ali encontrarás uma moeda; pega então a moeda e vai entregá-la a eles, por mim e por ti”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus não diz para não pagar o imposto do Templo, que, em princípio, não era injusto. Perigo de desvio e de mau aproveitamento do que é arrecadado sempre existiu e existe onde circula dinheiro. Os judeus do mundo inteiro mandavam a Jerusalém sua moeda para a manutenção do Templo do Senhor. Era a Casa do Senhor, amada e venerada por todos. Jesus mesmo pagou o seu tributo, quando questionado. O evangelista recolhe uma lenda que se construiu mais tarde, da moeda na boca do peixe. O que o texto está dizendo aos seus leitores é que Jesus não precisa pagar o imposto do Templo porque é de casa. Os reis cobravam imposto dos estrangeiros, não dos “seus filhos”, assim está escrito. Jesus não é estrangeiro no Templo. É Filho! Foi também uma explicação dada a Pedro, porque Jesus ainda não tinha pagado o imposto.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Estamos iniciando uma nova semana, e nela celebramos a Semana Nacional da Família. O tema deste ano é: “O Evangelho da Família, alegria para o mundo”. Coloquemo-nos na presença de Deus, silenciando o nosso coração e pedindo ao Senhor a graça de escutar bem sua Palavra.
Rezemos: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Oremos: Senhor, nosso Deus, que pela luz do Espírito Santo instruístes o coração dos vossos fiéis, fazei-nos dóceis ao mesmo Espírito, para apreciarmos o que é justo e nos alegrarmos sempre com a sua presença. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.”

Leitura (Verdade)
Nesta primeira parte da leitura orante, você é convidado(a) a fazer a leitura do Evangelho e a responder à pergunta: o que diz o texto bíblico? Leia o texto quantas vezes julgar necessário e identifique seu tema central. Destaque os verbos e os personagens que aparecem na narrativa e relembre outros textos que possam ajudá-lo(a) a compreender o Evangelho de hoje.
“Ante o segundo anúncio da paixão-morte-ressurreição, ‘os discípulos ficaram extremamente tristes’. De que tristeza se trata? Tristeza da incompreensão. Talvez se fixem somente nas palavras paixão-morte e se esqueçam de que a ressurreição passa pela paixão e morte do Senhor. O episódio do imposto devido ao Templo é próprio do primeiro evangelho. A obrigação de pagar um imposto para o Templo se encontra em Neemias 10,33ss. No entanto, a questão legal, aqui, é menos importante. Jesus amplia a questão, perguntando a Simão: ‘Os reis da terra cobram impostos ou tributos de quem, do próprio povo ou dos estranhos?’. Ao que Pedro respondeu: ‘Dos estranhos!’. Jesus ultrapassa, assim, um primeiro nível de sentido: os filhos, aqui, são filhos do Rei, isto é, os que reconhecem em Jesus o Filho bem-amado do Pai. Desse modo, os discípulos estariam liberados do imposto. E Jesus? Ora, Jesus não é só maior que o Templo, mas onde aprouve a Deus habitar com a plenitude de sua graça. A moeda na boca do peixe é um modo de sugerir a Simão pagar o imposto com o fruto do seu trabalho, isto é, a pesca” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você? Repasse o Evangelho, mentalmente ou fazendo uma nova leitura, com bastante atenção, deixando-se tocar pela Palavra de Deus.

Oração (Vida)
O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? Este é o momento da oração, por isso, abra o seu coração e expresse ao Senhor o que a Palavra despertou em você.
O mês de agosto é o Mês Vocacional na Igreja. Juntamente com a sua oração, apresente ao Senhor todos os vocacionados, rezando: “Senhor, pelo Batismo, vós nos chamastes à santidade e à cooperação generosa na salvação do mundo. Na messe, que é tão grande, auxiliai-nos a corresponder à nossa missão de membros do Povo de Deus. Qualquer que seja o chamado, que cada um de nós seja verdadeiramente outro Cristo no mundo. Ó Senhor, por intercessão de Maria, Mãe da Igreja, concedei-nos o dom misericordioso de muitas e santas vocações sacerdotais, religiosas e missionárias de que a Igreja necessita. Amém” (Liturgia Deus Conosco).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? O que a Palavra de Deus o(a) fez experimentar? Neste momento, você é convidado(a) a identificar os seus sentimentos, o que está em seu coração, os apelos despertados pela Palavra, para transformá-los em atitudes a serem tomadas neste dia.

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas