Liturgia diária, A correção fraterna - Mt 18,15-20

19ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

14 de agosto de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que a presença de teu Filho ressuscitado na comunidade cristã seja um incentivo para que nós busquemos pautar nossa ação pela tua santa vontade

PRIMEIRA LEITURA: Dt 34,1-12

Leitura do Livro do Deuteronômio

– Naqueles dias, 1Moisés subiu das estepes de Moab ao monte Nebo, ao cume do Fasga que está defronte de Jericó. E o Senhor mostrou-lhe todo o país, desde Galaad até Dã, 2o território de Neftali, a terra de Efraim e Manassés, toda a terra de Judá até o mar ocidental, 3o Negueb e a região do vale de Jericó, cidade das palmeiras, até Segor.
4O Senhor lhe disse: “Eis aí a terra pela qual jurei a Abraão, Isaac e Jacó, dizendo: “Eu a darei à tua descendência. Tu a viste com teus olhos, mas nela não entrarás”.
5E Moisés, servo do Senhor, morreu ali, na terra de Moab, conforme a vontade do Senhor. 6E ele o sepultou no vale, na terra de Moab, defronte de Bet-Fegor. E ninguém sabe até hoje onde fica a sua sepultura. 7Ao morrer, Moisés tinha cento e vinte anos. Sua vista não tinha enfraquecido, nem seu vigor se tinha esmorecido. 8Os filhos de Israel choraram Moisés nas estepes de Moab, durante trinta dias, até que terminou o luto por Moisés. 9Josué filho de Nun estava cheio do espírito de sabedoria, porque Moisés lhe tinha imposto as mãos. E os filhos de Israel lhe obedeceram e agiram, como o Senhor tinha ordenado a Moisés.
10Em Israel nunca mais surgiu um profeta como Moisés, a quem o Senhor conhecesse face a face, 11nem quanto aos sinais e prodígios que o Senhor lhe mandou fazer na terra do Egito, contra o Faraó, os seus servidores e todo o seu país, 12nem quanto à mão poderosa e a tantos e tão terríveis prodígios, que Moisés fez à vista de todo Israel.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 65(66)

         — Bendito seja o Senhor Deus que me escutou, é ele que dá vida à nossa vida.
— Bendito seja o Senhor Deus que me escutou, é ele que dá vida à nossa vida.

— Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, cantai salmos a seu nome glorioso, dai a Deus a mais sublime louvação! Dizei a Deus: “Como são grandes vossa obras!”

— Vinde ver todas as obras do Senhor: seus prodígios estupendos entre os homens! Todos vós que a Deus temeis, vinde escutar: vou contar-vos todo bem que ele me fez! Quando a ele o meu grito se elevou, já havia gratidão em minha boca!

EVANGELHO: Mt 18,15-20

          – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 15“Se teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, mas em particular, à sós contigo! Se ele te ouvir, tu ganhaste o teu irmão. 16Se ele não te ouvir, toma contigo mais uma ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas. 17Se ele não vos der ouvido, dize-o à Igreja. Se nem mesmo à Igreja ele ouvir, seja tratado como se fosse um pagão ou um pecador público.
18Em verdade vos digo, tudo o que ligardes na terra será ligado no céu, e tudo o que des­ligardes na terra será desligado no céu. 19De novo, eu vos digo: se dois de vós estiverem de acordo na terra sobre qualquer coisa que quiserem pedir, isto vos será concedido por meu Pai que está nos céus. 20Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome eu estou ali, no meio deles”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

O que significa estar reunido em nome de Jesus? Segundo a tradição judaica, quando dois se reúnem e se dedicam ao estudo da Torá, a Glória do Senhor está com ele. A Glória do Senhor, que pairava sobre a Arca da Aliança, é a presença de Deus no meio do seu povo. O estudo da Torá tem como resultado o conhecimento da vontade de Deus. Cristãos reunidos em nome de Jesus estão procurando discernir a vontade de Deus em suas vidas. No Evangelho de Mateus já lemos que não basta dizer “Senhor, Senhor” para entrar no Reino dos Céus. É preciso fazer a vontade de Deus. Podemos nos reunir para estar juntos e cantar hinos. No entanto, só estaremos reunidos em nome de Jesus se estivermos animados pela disposição de realizar o que Deus espera de nós. Então nossa oração será atendida. Uma expressão da vontade de Deus é a correção fraterna, feita por amor a Deus e ao próximo. Porque queremos o bem do nosso irmão, nós o corrigimos. Porque amamos a Deus e queremos estar unidos a ele, aceitamos a correção.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Memória litúrgica de São Maximiliano Kolbe, presbítero e mártir. Maximiliano doou sua vida em favor de um pai de família no campo de extermínio nazista. Grande devoto de Nossa Senhora, foi o fundador da Milícia da Imaculada. “Se teu irmão pecar contra ti, vai corrigi-lo, tu e ele a sós!” Esse é o convite que Jesus nos faz hoje. Que o pedido do Senhor encontre espaço em nossa vida e se torne concreto em nosso dia.
Rezemos: “Divino Espírito Santo, necessitamos muito de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir. Temos necessidade de vós, para que o nosso coração, inundado pela vossa consolação, se abra e que, muito além das palavras e dos conceitos, possamos perceber a vossa presença. Iluminai a nossa mente, movei o nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? A quem Jesus está se dirigindo? Qual desafio a comunidade é convidada a enfrentar? Qual desejo de Deus o evangelista nos transmite por meio da narrativa? Qual é o apelo principal que o texto nos faz?
“Sem o perdão e o esforço de reconciliação, não é possível uma comunidade cristã. No trecho anterior do discurso sobre a Igreja, duas características da comunidade eclesial foram ressaltadas: o serviço e o cuidado de uns para com os outros, de modo especial por aqueles que se sentem, por algum motivo, desprezados. O evangelho de hoje é, por assim dizer, a aplicação prática do desejo de Deus de que nenhum membro da comunidade se perca. A atitude exigida para realizar o desejo de Deus é a iniciativa que cada um deve tomar no que diz respeito à reconciliação, tendo presente que a comunidade cristã é uma comunidade de irmãos. O pecado divide a comunidade. Se acontecer a alguém ser vítima do pecado de outro membro da comunidade, trata-se, aqui, de tomar a iniciativa de ajudar o pecador no seu processo de conversão, desde que ele aceite livremente. É Deus quem toma a iniciativa de vir em socorro de nossa humanidade e é ele quem oferece, gratuitamente, o seu perdão. A comunidade cristã é chamada a ser reflexo da misericórdia divina (Mt 5,48; Lc 6,36; 15). O amor fraterno e, consequentemente, a comunidade cristã são construídos através desse esforço permanente de reconciliação” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual convite a Palavra lhe faz? Como você vive o perdão e a reconciliação? Você recorda experiências em que foi perdoado(a) e perdoou? O que o(a) motiva a buscar a reconciliação com pessoas que o(a) ofenderam ou que você ofendeu?
“A correção fraterna é um dos mais belos caminhos de caridade e de conversão. Caridade porque não se deixa o irmão morrer em seus próprios erros. Conversão porque ao outro é dada a chance de um olhar para dentro de si, para seus erros, para suas fraquezas, e mudar o rumo da sua vida. Mas correção sem amor é mais uma ferida que se abre na vida de quem está no erro. O pecado cega a pessoa, desvirtua os sentimentos, engana as emoções, destrói a pessoa e seus relacionamentos. A maior dificuldade na correção fraterna é o modo de abordar a pessoa ou mesmo a coragem de ir ao seu encontro. Nunca faça isso sozinho! Antes, peça a força do Espírito Santo. Mas não deixe que o irmão se perca por sua omissão!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Agradeçamos ao Senhor seu amor e sua misericórdia para conosco e por ter nos ensinado a perdoar. Entreguemos a Ele as pessoas que sofrem a dor da falta do perdão e da reconciliação. Peçamos ainda: “Senhor, concede-nos um coração aberto à tua graça e ensina-nos a perdoar a quem ainda não amamos com verdadeiro amor fraterno. Amém”.

Contemplação (Vida e Missão)
De que forma a Palavra de Deus estará presente neste seu dia? O que você deseja colocar em prática, segundo os ensinamentos de Jesus?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas