Oração diária, Orai por aqueles que vos perseguem - Mt 5,43-48

1ª Semana da Quaresma – Ano Litúrgico B

24 de fevereiro de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, faze-me teu imitador, e não me deixes cair na tentação de fazer acepção de pessoas. Que eu ame a todos, sem qualquer distinção.

PRIMEIRA LEITURA: Dt 26,16-19

Leitura do Livro do Deuteronômio

Moisés dirigiu a palavra ao povo de Israel e lhe disse: 16“Hoje, o Senhor teu Deus te manda cumprir esses preceitos e decretos. Guarda-os e observa-os com todo o teu coração e com toda a tua alma.
17Tu escolheste hoje o Senhor para ser o teu Deus, para seguires os seus caminhos, e guardares seus preceitos, mandamentos e decretos, e para obedecerdes à sua voz. 18E o Senhor te escolheu, hoje, para que sejas para ele um povo particular, como te prometeu, a fim de observares todos os seus mandamentos. 19Assim ele te fará ilustre entre todas as nações que criou, e te tornará superior em honra e glória, a fim de que sejas o povo santo do Senhor teu Deus, como ele disse”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 119(118)

          — Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!
— Feliz é quem na lei do Senhor Deus vai progredindo!

— Feliz o homem sem pecado em seu caminho, que na lei do Senhor Deus vai progredindo! Feliz o homem que observa seus preceitos, e de todo o coração procura Deus!

— Os vossos mandamentos vós nos destes, para serem fielmente observados. Oxalá seja bem firme a minha vida em cumprir vossa vontade e vossa lei!

— Quero louvar-vos com sincero coração, pois aprendi as vossas justas decisões. Quero guardar vossa vontade e vossa lei; Senhor, não me deixeis desamparado!

EVANGELHO:  Mt 5,43-48

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Marcos.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 43“Vós ouvistes o que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ 44Eu, porém, vos digo: Amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem!
45Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz cair a chuva sobre justos e injustos. 46Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa?
47E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? 48Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

É atitude quaresmal amar o próximo e amar o inimigo, porque, para isso, é preciso ter passado por uma profunda conversão. Já não é fácil amar o próximo, e Jesus manda que amemos também os inimigos! Ouvimos várias vezes que para Deus nada é impossível, então deve ser possível, com a graça de Deus, amar também o inimigo. Quem assim procede é perfeito como é perfeito o Pai celeste, que faz chover sobre justos e injustos. Ouvimos muitas vezes que é preciso ser perfeito como o Pai celeste é perfeito. Como é possível atingir a perfeição do Pai? O Deus que faz chover sobre justos e injustos é o Deus para quem a misericórdia não é apenas uma palavra, mas é o coroamento da justiça. O Papa Bento, comentando a oração de Abraão, falava de uma nova ideia de justiça, “não a que se limita a castigar os culpados, como os homens fazem, mas uma justiça diferente, que busca o bem e o cria através do perdão que transforma o pecador, converte-o e o salva”. E ainda: “Não se pode tratar os inocentes como os culpados, isso seria injusto; é necessário, no entanto, tratar os culpados como os inocentes, realizando um ato de justiça superior”. O amor converte o inimigo em amigo!

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
“Amai os vossos inimigos e orai por aqueles que vos perseguem.” Esse é o convite que Jesus nos faz hoje. Que o pedido do Senhor encontre espaço em nossa vida e se torne concreto em nosso dia.
Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o tema central do Evangelho? Quais questionamentos aparecem na narrativa? Quais palavras mais se repetem?
“As antíteses deste trecho do sermão da montanha de Mateus ajudam-nos a esclarecer o específico da vida cristã e dão aos discípulos um critério de ação. A ‘justiça maior’ exigida por Jesus aos seus discípulos é, na verdade, fruto da identificação do discípulo com ele. Essa ‘justiça’ acontece somente quando se ama sem fingimento. A exigência do amor ao próximo e ao inimigo é exigência da vida em Cristo. É a atitude de quem se experimentou amado por Deus, não obstante suas próprias faltas, e de quem tira para o seu relacionamento com os outros as consequências da misericórdia de Deus para com ele (ver: Mt 18,23-35). Essa é a atitude do misericordioso e do ‘fazedor de paz’, de quem sabe que o verdadeiro tesouro está em Deus, e a sua recompensa, nos bens futuros prometidos por Deus. O último versículo é a conclusão das seis antíteses. A perfeição consiste na superação do reducionismo legalista da Lei e na prática do amor fraterno que supera os laços afetivos. A perfeição de Deus consiste em que ele ama sem fazer acepção de pessoas. Ao dizer que ‘Deus é amor’ (1Jo 4,16), o autor está dizendo igualmente que Deus é perfeito” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que diz o texto para sua vida? O que Jesus lhe pede hoje? Quem são os seus inimigos ou as pessoas que o(a) perseguem? É possível amar essas pessoas? Você ora por elas? A vivência do amor é um traço que nos identifica como cristãos. Como você vive esse diferencial em sua vida?
“A força do cristão é a sua capacidade de amar. Amar especialmente aqueles que lhe fazem mal, aqueles que o odeiam. Não é um instinto natural, mas é o que Jesus nos pede se quisermos ficar mais próximos dele, que não se vingou de quem o traiu e pregou na cruz” (Papa Francisco).

Oração (Vida)
Amar os inimigos e rezar pelos que nos perseguem só é possível quando nosso coração está aberto ao movimento da graça de Deus em nós. Por isso, peçamos que o Espírito Santo nos ajude a amar.
“Ó Espírito Santo, dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora, fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da santa Igreja. Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao coração do Senhor Jesus. Um coração grande e forte para amar a todos, para servir a todos, para sofrer por todos. Um coração grande e forte para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda desilusão, toda ofensa. Um coração grande e forte, constante até o sacrifício, quando for necessário. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir humilde e fielmente a vontade do Pai. Amém” (Paulo VI).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você a partir da Palavra? Quais apelos ela despertou em seu coração? Quais compromissos você deseja concretizar em sua vida?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.