Liturgia diária, A rede lançada ao mar - Mt 13,47-53

Santo Afonso Maria de Ligório – Ano Litúrgico C

01 de agosto de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, concede-me suficiente realismo para perceber que teu Reino se constrói em meio a perdas e ganhos, e que só tu podes garantir o sucesso final.

PRIMEIRA LEITURA: Ex 40,16-21.34-38

Leitura do Livro do Êxodo

Naqueles dias, 16Moisés fez tudo o que o Senhor lhe havia ordenado. 17No primeiro mês do segundo ano, no primeiro dia do mês, o santuário foi levantado. 18Moisés levantou o santuário, colocou as bases e as tábuas, assentou as vigas e ergueu as colunas. 19Estendeu a tenda sobre o santuário, pondo em cima a cobertura da tenda, como o Senhor lhe havia mandado. 20Depois, tomando o documento da aliança, depositou-o dentro da arca e colocou sobre ela o propiciatório. 21E, introduzindo a arca no santuário, pendurou diante dela o véu de proteção, como o Senhor tinha prescrito a Moisés.
34Então a nuvem cobriu a Tenda da Reunião e a glória do Senhor encheu o santuário. 35Moisés não podia entrar na Tenda da Reunião, porque a nuvem permanecia sobre ela, e a glória do Senhor tomava todo o santuário.
36Em todas as etapas da viagem, sempre que a nuvem se elevava de cima do santuário, os filhos de Israel punham-se a caminho; 37e nunca partiam antes que a nuvem se levantasse. 38Pois, de dia, a nuvem do Senhor repousava sobre o santuário, e de noite aparecia sobre ela um fogo, que todos os filhos de Israel viam, em todas as suas etapas

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 83(84)

         —Quão amável, ó Senhor, é vossa casa!
— Quão amável, ó Senhor, é vossa casa!

— Minha alma desfalece de saudades e anseia pelos átrios do Senhor! Meu coração e minha carne rejubilam e exultam de alegria no Deus vivo!

— Mesmo o pardal encontra abrigo em vossa casa, e a andorinha ali prepara o seu ninho, para nele seus filhotes colocar; vossos altares, ó Senhor Deus do universo! Vossos altares, ó meu Rei e meu Senhor!

— Felizes os que habitam em vossa casa; para sempre haverão de vos louvar! Felizes os que em vós têm sua força, caminharão com um ardor sempre crescente.

— Na verdade, um só dia em vosso templo vale mais do que milhares fora dele! Prefiro estar no limiar de vossa casa, a hospedar-me na mansão dos pecadores!

EVANGELHO: Mt 13,47-53

        – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 47“O Reino dos Céus é ainda como uma rede lançada ao mar e que apanha peixes de todo tipo. 48Quando está cheia, os pescadores puxam a rede para a praia, sentam-se e recolhem os peixes bons em cestos e jogam fora os que não prestam.
49Assim acontecerá no fim dos tempos: os anjos virão para separar os homens maus dos que são justos, 50e lançarão os maus na fornalha de fogo. E aí, haverá choro e ranger de dentes. 51Com­preendestes tudo isso?” Eles responderam: “Sim”.
52Então Jesus acrescentou: “Assim, pois, todo mestre da Lei, que se torna discípulo do Reino dos Céus, é como um pai de família que tira do seu tesouro coisas novas e velhas”. 53Quando Jesus terminou de contar essas parábolas, partiu dali.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

São Mateus conclui o Sermão das Parábolas com a parábola da rede. O Reino dos Céus é como uma rede de pesca cheia de peixes que vão ser selecionados. Os peixes bons, que se aproveitam, são postos num cesto, os que não se aproveitam são jogados fora. Assim também no fim dos tempos, os justos serão separados dos maus. Naquele dia se revelará a verdadeira comunidade dos filhos de Deus, a comunidade dos justos. Os que não foram justos serão jogados na fornalha de fogo. Que Deus conceda tempo de conversão para os injustos e ninguém seja lançado na fornalha de fogo. A noção do inferno contém uma forte advertência. Quem não busca a justiça por amor, livre-se da injustiça ao menos por temor da condenação eterna. Mas quem é o justo, que floresce como a palmeira e cresce como o cedro do Líbano? São os amigos dos necessitados que se encontram em qualquer necessidade. Justo é também o escriba, como Mateus, que se tornou discípulo do Reino de Deus e soube juntar as duas Alianças, a primeira e a nova, fazendo delas uma só fonte de tesouros, velhos e novos.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Memória litúrgica de Santo Afonso de Ligório. Jesus costumava ensinar o povo por meio de parábolas. Também hoje a liturgia nos traz uma parábola sobre o Reino dos Céus. O Reino agora é comparado a uma rede lançada ao mar que pegou peixes de todos os tipos. Peçamos ao Espírito Santo que nos oriente para bem compreendermos os ensinamentos de Jesus.
Rezemos: “Senhor Jesus Cristo, envia sobre nós, como prometeste, teu Espírito Santo. Que Ele nos conceda a vida e nos ensine a plenitude da verdade. Que nele encontremos a salvação, felicidade e plenitude de amor. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Com que imagens Jesus compara o Reino dos Céus? O que representa a separação dos peixes bons dos que não prestavam, a separação dos maus e dos justos, as coisas novas e velhas tiradas do baú? Em que momento se dará esta separação?
“A parábola da rede é a última das parábolas do Reino dos céus do capítulo 13. A paciência instruída pelo discernimento é a atitude exigida dos discípulos. Há um tempo para a pesca e um tempo para a triagem da pesca realizada. Isso significa que, enquanto se é peregrino neste mundo, se impõe uma dupla atitude: suportar que, no Reino, mal e bem estão mesclados e confiar que Deus no tempo oportuno fará a triagem, separando os bons dos maus. Essa mesma ideia está presente na parábola do joio e do trigo e no discurso escatológico de 25,31-46. A parábola não deixa nenhuma margem ao equívoco: a triagem acontecerá no fim do mundo. Os versículos 51 e 52 são a conclusão de todo o discurso de Jesus em parábolas. À pergunta de Jesus sobre a compreensão, os discípulos respondem afirmativamente. Isso significa que eles compreenderam a natureza do Reino dos céus e a sua situação neste mundo, o seu desenvolvimento e as exigências que ele impõe. A resposta positiva dos discípulos à pergunta de Jesus mostra que eles reconhecem que Jesus é quem revela o mistério de Deus” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Sobre o que o texto bíblico o(a) leva a refletir? Qual ensinamento a Palavra revela para sua vida? Como você acolhe os ensinamentos de Jesus?
“No Reino dos Céus existem peixes (pessoas) de todos os tipos, temperamentos, compromissos, comportamentos. Mas a separação só acontecerá quando a rede for recolhida para a praia, isto é, no dia do julgamento final. No mais, é aprender a conviver com todo tipo de gente e buscar não se contaminar pelo que há de ruim nessas trocas. Não adianta reclamar que em determinados ambientes existem pessoas de todo tipo, por exemplo, na igreja. Lembre-se: o Reino é como uma rede lançada ao mar, há peixes bons e ruins. Isso faz parte da dinâmica concreta, real, do Reino. O que precisamos cuidar é de não pertencer ao grupo dos peixes ruins, porque aí o final é a condenação eterna!” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Apresente ao Senhor a oração que brotou em seu coração depois da leitura e meditação da Palavra. Faça a sua prece de agradecimento ou pedido.

Contemplação (Vida e Missão)
Com a Palavra de Deus na mente e no coração, qual atitude você se propõe a viver hoje?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas