Liturgia diária O que Deus uniu o homem não separe - Mc 10,1-12

7ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

01 de março de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que os casais cristãos, unidos pelo sacramento do matrimônio, saibam reconhecer e realizar o mistério de comunhão que os chama a viver.

PRIMEIRA LEITURA: Eclo 6,5-17

Leitura do Livro do Eclesiástico – 5Uma palavra amena multiplica os amigos e acalma os inimigos; uma língua afável multiplica as saudações. 6Sejam numerosos os que te saúdam, mas teus conselheiros, um entre mil. 7Se queres adquirir um amigo, adquire-o na provação; e não te apresses em confiar nele. 8Porque há amigo de ocasião, que não persevera no dia da aflição. 9Há amigo que passa para a inimizade, e que revela as desavenças para te envergonhar.
10Há amigo que é companheiro de mesa e que não persevera no dia da necessidade. 11Quando fores bem-sucedido, ele será como teu igual e, sem cerimônia, dará ordens a teus criados. 12Mas, se fores humilhado, ele estará contra ti e se esconderá da tua presença.
13Afasta-te dos teus inimigos e toma cuidado com os amigos. 14Um amigo fiel é poderosa proteção: quem o encontrou, encontrou um tesouro. 15Ao amigo fiel não há nada que se compare, é um bem inestimável. 16Um amigo fiel é um bálsamo de vida; os que temem o Senhor vão encontrá-lo. 17Quem teme o Senhor, conduz bem a sua amizade: como ele é, tal será o seu amigo.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 118

          — Guiai-me pela estrada do vosso ensinamento!
— Guiai-me pela estrada do vosso ensinamento!

— Ó Senhor, vós sois bendito para sempre; os vossos mandamentos ensinai-me!

— Minha alegria é fazer a vossa vontade; eu não posso esquecer vossa palavra.

— Abri meus olhos, e então contemplarei as maravilhas que encerra a vossa lei!

— Fazei-me conhecer vossos caminhos, e então meditarei vossos prodígios!

— Dai-me o saber, e cumprirei a vossa lei, e de todo o coração a guardarei.

— Guiai meus passos no caminho que traçastes, pois só nele encontrarei felicidade.

EVANGELHO:  Mc 10,1-12

          – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Marcos.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Jesus foi para o território da Judeia, do outro lado do rio Jordão. As multidões se reuniram de novo em torno de Jesus. E ele, como de costume, as ensinava. 2Alguns fari­seus se aproximaram de Jesus. Para pô-lo à prova, perguntaram se era permitido ao homem divorciar-se de sua mulher.
3Jesus perguntou: “O que Moisés vos ordenou?” 4Os fari­seus responderam: “Moisés permitiu escrever uma certidão de divórcio e despedi-la”. 5Jesus então disse: “Foi por causa da dureza do vosso coração que Moi­sés vos escreveu este mandamento. 6No entanto, desde o começo da criação, Deus os fez homem e mulher. 7Por isso, o homem deixará seu pai e sua mãe e os dois serão uma só carne. 8Assim, já não são dois, mas uma só carne. 9Portanto, o que Deus uniu, o homem não separe!”
10Em casa, os discípulos fizeram, novamente, perguntas sobre o mesmo assunto. 11Jesus respondeu: “Quem se divorciar de sua mulher e casar com outra, cometerá adultério contra a primeira. 12E se a mulher se divorciar de seu marido e casar com outro, cometerá adultério”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Sempre dentro da questão “quem é o maior”, Jesus aborda a situação da mulher no matrimônio. O homem é biologicamente diferente da mulher, mas os dois têm a mesma dignidade, os mesmos direitos e os mesmos deveres. São iguais. Um não é maior que o outro. Entre os judeus, o homem podia despedir sua mulher. O contrário não acontecia. Jesus, no entanto, defendendo a unidade do matrimônio e prevenindo o adultério, levanta a possibilidade de também a mulher poder despedir o seu marido. Isso não significa permissão para se divorciar ou cometer adultério. Partindo da pergunta inicial sobre quem é o maior, a resposta é: homem e mulher são iguais. Um não é maior do que o outro.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Primeira sexta-feira do mês, Sagrado Coração de Jesus. O Evangelho de hoje nos convida a meditarmos sobre o amor indissolúvel e sobre a dignidade do matrimônio e da família.
Oremos: “Divino Espírito Santo, amor eterno do Pai e do Filho, ajuda-me a compreender as palavras e gestos de Jesus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Faça a leitura do Evangelho pausadamente, destacando os verbos, as palavras que mais lhe chamam atenção e os personagens que surgem na narrativa. Repita a leitura quantas vezes julgar necessário, buscando identificar o tema central do texto.
“O nosso texto do evangelho de hoje é um ‘diálogo didático’, cuja finalidade é instruir os discípulos a se comportarem em conformidade com os ensinamentos de Jesus. A questão posta pelos fariseus a Jesus é mal-intencionada, pois querem colocá-lo à prova (v. 2) e encontrar um motivo para condená-lo à morte. A questão está baseada em Dt 24,1-3. Recorrendo ao projeto original de Deus (Mc 10,6-9; cf. Gn 1,27; 2,24; 5,2), Jesus rejeita uma interpretação em favor do divórcio. A incapacidade de perdoar e de reconciliação diz respeito à ‘dureza do coração’ que ameaça o povo de Deus. Jesus põe em pé de igualdade a condição do homem e da mulher. Mas a resposta de Jesus desconcerta os que queriam colocá-lo à prova, pois ela protege a parte mais frágil em semelhantes casos. Jesus recentra a questão, não sobre a ordem jurídica, mas sobre a ordem da criação, sobre o Reino de Deus. Portanto, a questão fundamental é reconciliar tudo com o ideal do Reino de Deus, com o ideal cristão. Trata-se de entrar na dinâmica do olhar divino sobre o ser humano, tal qual pode ser apreendido pelos relatos da criação” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Leia-o novamente, atualizando a Palavra e ligando-a a sua vida. Que mensagem Jesus lhe transmite por meio do Evangelho?
“Os fariseus se apegavam ao ensinamento de Moisés que permitia o divórcio em alguns casos específicos. Jesus não se coloca em rota de colisão com Moisés e diz que esse ensinamento foi por causa da dureza do coração deles. Em Jesus, revelador de toda verdade, a questão tem sua decisão conclusiva: não é permitido o divórcio em nenhuma circunstância. E traz as propriedades do matrimônio cristão: indissolubilidade (para sempre, até que a morte separe) e unidade (uma só carne, um só coração). E Jesus conclui: ‘O que Deus uniu, o homem não separe’. Essa é a orientação que ainda prevalece em nossos tempos. No entanto, todas as situações familiares devem ser acolhidas e acompanhadas na Igreja” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? Neste momento de oração, tendo compreendido o que o Evangelho diz, apresente a Deus suas orações e seus pedidos.

Contemplação (Vida e Missão)
O que a medição deste texto o(a) leva a viver? O que Jesus o(a) convida a praticar a partir de hoje?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas