Oração diária, Parábola da figueira - Lc 13,1-9

3º Domingo da Quaresma – Ano Litúrgico C

24 de março de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, que a minha vida seja uma contínua busca de comunhão contigo, por meio de um arrependimento sincero e de minha conversão urgente para ti.

PRIMEIRA LEITURA: Ex 3,1-8a.13-15

Livro do Êxodo – Naqueles dias, 1Moisés apascentava o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote de Madiã. Levou, um dia, o rebanho deserto adentro e chegou ao monte de Deus, o Horeb.
2Apareceu-lhe o anjo do Senhor numa chama de fogo, do meio de uma sarça. Moisés notou que a sarça estava em chamas, mas não se consumia, e disse consigo: 3“Vou aproximar-me desta visão extraordinária, para ver por que a sarça não se consome”.
4O Senhor viu que Moisés se aproximava para observar e chamou-o do meio da sarça, dizendo: “Moisés! Moisés!” Ele respondeu: “Aqui estou”.
5E Deus disse: “Não te aproximes! Tira as sandálias dos pés, porque o lugar onde estás é uma terra santa”.
6E acrescentou: “Eu sou o Deus de teus pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó”.
Moisés cobriu o rosto, pois temia olhar para Deus.
7E o Senhor lhe disse: “Eu vi a aflição do meu povo que está no Egito e ouvi o seu clamor por causa da dureza de seus opressores. Sim, conheço os seus sofrimentos. 8aDesci para libertá-los das mãos dos egípcios, e fazê-los sair daquele país para uma terra boa e espaçosa, uma terra onde corre leite e mel”.
13Moisés disse a Deus: “Sim, eu irei aos filhos de Israel e lhes direi: ‘O Deus de vossos pais enviou-me a vós’. Mas, se eles perguntarem: ‘Qual é o seu nome?’, o que lhes devo responder?”
14Deus disse a Moisés: “Eu Sou aquele que sou”. E acrescentou: “Assim responderás aos filhos de Israel: ‘Eu Sou’ enviou-me a vós’”.
15E Deus disse ainda a Moisés: “Assim dirás aos filhos de Israel: ‘O Senhor, o Deus de vossos Pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó enviou-me a vós’. Este é o meu nome para sempre, e assim serei lembrado de geração em geração”. 

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 102

— O Senhor é bondoso e compassivo!
— O Senhor é bondoso e compassivo!

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor,/ e todo o meu ser, seu santo nome!/ Bendize, ó minha alma, ao Senhor,/ não te esqueças de nenhum de seus favores!

— Pois ele te perdoa toda culpa,/ e cura toda a tua enfermidade;/ da sepultura ele salva a tua vida/ e te cerca de carinho e compaixão.

— O Senhor é indulgente, é favorável,/ é paciente, é bondoso e compassivo./ Quanto os céus por sobre a terra se elevam,/ tanto é grande o seu amor aos que o temem.

SEGUNDA LEITURA: 1Cor 10,1-6.10-12

Primeira Carta de São Paulo apóstolo aos Coríntios – 1Irmãos, não quero que ignoreis o seguinte: Os nossos pais estiveram todos debaixo da nuvem e todos passaram pelo mar; 2todos foram batizados em Moisés, sob a nuvem e pelo mar; 3e todos comeram do mesmo alimento espiritual, 4e todos beberam da mesma bebida espiritual; de fato, bebiam de um rochedo espiritual que os acompanhava — e esse rochedo era Cristo —.
5No entanto, a maior parte deles desagradou a Deus, pois morreram e ficaram no deserto.
6Esses fatos aconteceram para serem exemplos para nós, a fim de que não desejemos coisas más, como fizeram aqueles no deserto. 10Não murmureis, como alguns deles murmuraram, e, por isso, foram mortos pelo anjo exterminador. 12Portanto, quem julga estar de pé tome cuidado para não cair

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

EVANGELHO: Lc 13,1-9

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

1Naquele tempo, vieram algumas pessoas trazendo notícias a Jesus a respeito dos galileus que Pilatos tinha matado, misturando seu sangue com o dos sacrifícios que ofereciam.
2Jesus lhes respondeu: “Vós pensais que esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus, por terem sofrido tal coisa? 3Eu vos digo que não. Mas se vós não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo.
4E aqueles dezoito que morreram, quando a torre de Siloé caiu sobre eles? Pensais que eram mais culpados do que todos os outros moradores de Jerusalém? 5Eu vos digo que não. Mas, se não vos converterdes, ireis morrer todos do mesmo modo”.
6E Jesus contou esta parábola: “Certo homem tinha uma figueira plantada na sua vinha. Foi até ela procurar figos e não encontrou. 7Então disse ao vinhateiro: ‘Já faz três anos que venho procurando figos nesta figueira e nada encontro. Corta-a! Por que está ela inutilizando a terra?’
8Ele, porém, respondeu: ‘Senhor, deixa a figueira ainda este ano. Vou cavar em volta dela e colocar adubo. 9Pode ser que venha a dar fruto. Se não der, então tu a cortarás’”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

A Quaresma nos chama à conversão e nos coloca diante da paciência de Deus. Deus nos dá tempo para uma verdadeira penitência e espera. Um homem tinha uma figueira que havia três anos não produzia nenhum fruto. Mandou então cortá-la, porque estava ocupando inutilmente a terra. Quem cuidava da planta pediu ainda um ano para poder adubar a terra e esperar que a figueira desse fruto. Uma pequena história para mostrar a paciência de Deus. Se não mudei de caminho até hoje, tenho tempo de fazê-lo agora. É o tempo de espera que Deus me dá. Os galileus que Pilatos mandou matar e os que pereceram quando caiu a torre de Siloé não morreram por que Deus os pegou de surpresa ou porque eram mais pecadores dos que os outros. No entanto, se continuarmos ocupando inutilmente a terra e não apresentarmos nenhum fruto de conversão, vamos perecer como eles. Os frutos de conversão se mostram na solidariedade humana. Na solidariedade com os galileus e os dezoito da torre de Siloé, vítimas da prepotência do governador romano e da incúria dos vigias da torre. Se não houver alguma mudança, alguma conversão, governador e torre continuarão matando inocentes. A conversão pessoal tem forte alcance social. Na carta aos Coríntios lemos que o que aconteceu no passado foi escrito para a nossa advertência. Estamos no fim dos tempos, por isso “quem julga estar de pé tome cuidado para não cair”. Não é época de desânimo. Ainda estamos vivos. Podemos começar a nos preocupar com os outros e desenvolver alguma ação que revele a vitalidade da figueira. Pense também em ser o agricultor e cuide da figueira que nada produziu. Dedique-se a adubar a terra e a criar condições para que algum fruto comece a aparecer. Não deixe que ela ocupe a terra inutilmente.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Liturgia do 3º domingo da Quaresma. Na liturgia de hoje Jesus nos convida à conversão: “Se vós não vos converterdes, perecereis todos do mesmo modo”. Peçamos a graça de acolher a Palavra de Deus neste dia e de nos deixarmos conduzir pelo Senhor de nossa vida.
Rezemos: “Senhor Jesus Cristo, envia sobre nós, como prometeste, teu Espírito Santo. Que Ele nos conceda a vida e nos ensine a plenitude da verdade. Que nele encontremos a salvação, felicidade e plenitude de amor. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o contexto da narrativa? Sobre qual assunto discutem os personagens? O que Jesus ensina por meio da parábola da figueira estéril?
“Subindo para Jerusalém, Jesus encontra uma grande diversidade de pessoas e de situações. A todos ele acolhe, e às mais variadas situações dá a sua resposta. Para ele, é ocasião de instruir intensamente os seus discípulos. Caminhando para a morte ele vai semeando a vida em todos os que encontra. A perícope do evangelho proposta para hoje é própria a Lucas. Independentemente da dificuldade de verificar historicamente os fatos evocados no relato, o importante é o valor da interpelação que os fatos suscitam, a saber, a conversão. A morte dos galileus e a dos habitantes de Jerusalém é um convite à conversão e ao reconhecimento do tempo presente como tempo da visita salvífica de Deus. Para a tradição rabínica, a figueira é símbolo do estudo da Torá. Ela está plantada na vinha, assim como a Torá está plantada no coração do povo de Israel. O fruto da meditação da Lei deveria ser a conversão. A figueira estéril pode, assim, ser símbolo da infidelidade do povo que não internalizou a Lei de Deus. A figueira será, então, cortada e arrancada do meio da vinha? Não! Deus não desiste facilmente do seu povo. A parábola acentua a bondade de Deus e afirma que a maldade humana não impede Deus de ser bom” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você? Você acolhe em sua vida o convite à conversão? Reconhece a bondade e a misericórdia de Deus em sua vida? Quais sentimentos a Palavra desperta em você?
“Jesus usa uma linguagem dura para falar daqueles que não se converterem e não o aceitarem como Salvador e Libertador. O castigo será tão sofrido quanto foram as mortes dos galileus que Pilatos mandou matar e como os que sofreram o acidente na torre de Siloé e morreram também. Quem não mudar de vida perecerá da mesma forma. É claro que o Senhor quer que seu povo tenha vida em abundância. Nosso Deus não é da morte, mas da vida. Porém, as opções de cada um, no exercício de sua liberdade, podem libertá-lo ou condená-lo. Por isso, é preciso mudar de vida e fazer o caminho do Evangelho, que é sempre de alegria e felicidade para quem o abraça” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Momento de oração. Agradeça a riqueza da Palavra de Deus e os ensinamentos escondidos em cada palavra. Agradeça os convites, apelos, desafios que o Senhor o(a) convida a viver neste dia. Peça ao Senhor a graça de viver o despojamento, a humildade, a simplicidade do coração, a graça da conversão.

Contemplação (Vida e Missão)
O que você se propõe a viver neste dia? O que é pedido à sua vida, aqui e agora?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas