Oração diária O discípulo não está acima do Mestre Lc 6,39-42

23ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

10 de setembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, concede-me suficiente autocrítica que me predisponha a corrigir meu semelhante, sem incorrer na malícia dos hipócritas

PRIMEIRA LEITURA: 1Tm 1,1-2.12-14

Início da Primeira Carta de São Paulo a Timóteo – 1Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, por ordem de Deus, nosso Salvador, e de Cristo Jesus, nossa esperança, 2a Timóteo, verdadeiro filho na fé: a graça, a misericórdia e a paz de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor.
12Agradeço àquele que me deu força, Cristo Jesus, nosso Senhor, pela confiança que teve em mim ao designar-me para o seu serviço, 13a mim, que antes blasfemava, perseguia e insultava. Mas encontrei misericórdia, porque agia com a ignorância de quem não tem fé. 14Transbordou a graça de nosso Senhor com a fé e o amor que há em Cristo Jesus 

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 15(16)

— O Senhor é a porção da minha herança!
— O Senhor é a porção da minha herança!

— Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! Digo ao Senhor: “Somente vós sois meu Senhor. Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, meu destino está seguro em vossas mãos!”

— Eu bendigo o Senhor, que me aconselha, e até de noite me adverte o coração. Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, pois se o tenho a meu lado não vacilo.

— Vós me ensinais vosso caminho para a vida; junto a vós, felicidade sem limites, delícia eterna e alegria ao vosso lado!

EVANGELHO: Lc 6,39-42

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 39Jesus contou uma parábola aos discípulos: “Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois num buraco? 40Um discípulo não é maior do que o mestre; todo discípulo bem formado será como o mestre. 41Por que vês tu o cisco no olho do teu irmão, e não percebes a trave que há no teu próprio olho?
42Como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o cisco do teu olho, quando tu não vês a trave no teu próprio olho? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho, e então poderás enxergar bem para tirar o cisco do olho do teu irmão”. 

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

O discípulo não está acima do mestre, mas pode superá-lo. O próprio Jesus disse no Evangelho de João: “Quem crê em mim fará as obras que eu faço e fará até maiores do que elas”. As obras podem ser maiores, não o discípulo. O mestre será sempre o mestre. O discípulo bem formado poderá ser como ele. Hillel, o grande mestre do judaísmo, dizia que “o aluno tímido que não sabe perguntar não aprende nada, e o mestre irascível ensina mal”, ou “o tímido não aprende, o irascível não pode ensinar”. O discípulo deve saber perguntar, enquanto o mestre verdadeiro será manso e humilde de coração. Assim ouvimos de Jesus, no Evangelho de São Mateus: “Aprendei de mim porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para as vossas almas”. O mestre é Jesus e o discípulo sou eu. Qual é a lição de hoje? Ele me ensina a deixar a vida dos outros em paz. A não criticar o irmão por ter um cisco no olho, quando eu mesmo tenho uma trave no meu. Isto é hipocrisia, mas pode não ser se nossa ação for positiva. A correção fraterna será obra de amizade e caridade. Já se disse que “alguns não conseguem afrouxar suas próprias cadeias e, não obstante, conseguem libertar seus amigos”.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Memória litúrgica de São João Crisóstomo. Pela escuta e meditação da Palavra, somos convidados pelo Senhor a viver duas de suas exortações: não julgar os outros e combater a hipocrisia. Que o Espírito Santo venha em nosso auxílio e nos mostre o que a Palavra deseja realizar na vida de cada um de nós.
Rezemos: “Senhor Jesus Cristo, envia sobre nós, como prometeste, teu Espírito Santo. Que Ele nos conceda a vida e nos ensine a plenitude da verdade. Que nele encontremos a salvação, felicidade e plenitude de amor. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? A quem Jesus está instruindo? Quais são as suas exortações? Onde você percebe que o julgamento e a hipocrisia estão presentes? Qual é o caminho apontado por Jesus?
“A parábola que nos é proposta hoje deve ser compreendida à luz das exigências precedentes que formam o conteúdo do sermão da planície, centrado fundamentalmente sobre a exigência do amor e da misericórdia. O ‘guia cego’ é o discípulo que não aceita a sua condição de servo e não se submete ao ensinamento do seu Mestre, e que, por isso, não vê os seus semelhantes com o olhar de misericórdia de Jesus; além disso, resiste à identificação com o Senhor. A cegueira é, ainda, um modo de falar da incredulidade. O texto reflete um problema interno à comunidade dos discípulos, mas que podemos estender a todos os âmbitos da vida humana: a crítica aos outros desprovida de autocrítica e de verdadeira misericórdia. A parábola da palha e da trave apela para a necessidade de autocrítica e de misericórdia. A trave não permite enxergar bem, distorce e diminui a visão, e até mesmo a impede. Um comportamento desses cria uma situação ainda pior. Certamente, a preocupação que o evangelho traduz é a tensão interna à comunidade cristã entre os cristãos comuns e aqueles que se sentem mais iluminados e pretendem instruir os outros na vida espiritual e na ética cristã. Para poder ajudar alguém é preciso humildade e consciência dos próprios limites” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Como você acolhe os ensinamentos de Jesus em sua vida? Qual é o caminho para o não julgamento dos outros? E para combater a hipocrisia? O que leva o ser humano a julgar o outro e a agir com hipocrisia? O que o Senhor o(a) convida a viver hoje? Quais sentimentos a Palavra despertou em seu coração?
“Só pode ser discípulo quem se identifica com seu mestre. Do contrário, será uma grande perda de tempo ou mesmo um grande problema para o mestre ter de administrar alguém que não comunga de suas ideias e pensamentos. A esse discípulo, Jesus chama de cego. Essa cegueira é um fechamento do coração, muito mais do que dos olhos, em relação aos ensinamentos recebidos. Toda crítica desprovida de autocrítica é sempre um veneno terrível. Qualquer pessoa com ciscos nos olhos é incapacitada de enxergar plenamente. Aí se dão as visões distorcidas de si mesmo e, consequentemente, dos outros. Por isso, só o amor e a misericórdia darão parâmetros para um comportamento humanizante e sem julgamentos prévios” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Peçamos que o Espírito Santo transforme o nosso coração: “Ó Espírito Santo! Dai-me um coração grande, aberto à vossa silenciosa e forte palavra inspiradora; fechado a todas as ambições mesquinhas, alheio a qualquer desprezível competição humana, compenetrado do sentido da Santa Igreja! Um coração grande, desejoso de se tornar semelhante ao Coração do Senhor Jesus. Um coração grande e forte, para amar a todos, para servir a todos, para sofrer por todos. Um coração grande e forte, para superar todas as provações, todo tédio, todo cansaço, toda ofensa, toda desilusão. Um coração grande e forte e constante até o sacrifício, quando for necessário. Um coração cuja felicidade é palpitar com o coração de Cristo e cumprir, humilde e fielmente, a vontade do Pai. Amém” (Papa São Paulo VI).

Contemplação (Vida e Missão)
Como você pretende viver concretamente, durante o dia, os apelos que o Senhor lhe revelou?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas