Oração diária, Por causa da fraqueza de vossa fé... - Mt 17,14-20

18ª Semana Comum – Ano Litúrgico B

11 de agosto de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, vem em meu auxílio e reforça minha fé a fim de que eu possa pôr em prática a missão recebida, realizando as tarefas que Jesus me confiou para o serviço do Reino.

PRIMEIRA LEITURA: Hab 1,12–2,4

Leitura da Profecia de Habacuc – 1,12Acaso não existes desde o princípio, Senhor, meu Deus, meu Santo, que não haverás de morrer? Senhor, puseste essa gente como instrumento de tua justiça; criaste-a, ó meu rochedo, para exercer punição. 13Teus olhos são puros para não veres o mal; não podes aceitar a visão da iniquidade. Por que, então, olhando para os malvados, e vendo-os devorar o justo, ficas calado?
14Tratas os homens como os peixes do mar, como os répteis, que não têm dono. 15O pescador pega tudo com o anzol, puxa os peixes com a rede varredoura e recolhe-os na outra rede; com isso, alegra-se e faz a festa.
16Faz imolação por causa da sua malha, oferece incenso por causa da sua rede, porque com elas cresceu a captura de peixes e sua comida aumentou. 17Será por isso que ele sempre desembainhará a espada, para matar os povos, sem dó nem piedade?
2,1Vou ocupar meu posto de guarda e estarei de atalaia, atento ao que me será dito e ao que será respondido à minha denúncia. 2Respondeu-me o Senhor, dizendo: “Escreve esta visão, estende seus dizeres sobre tábuas, para que possa ser lida com facilidade. 3A visão refere-se a um prazo definido, mas tende para um desfecho, e não falhará; se demorar, espera, pois ela virá com certeza, e não tardará. 4Quem não é correto, vai morrer, mas o justo viverá por sua fé”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 9a

          — Vós nunca abandonais quem vos procura, ó Senhor.
— Vós nunca abandonais quem vos procura, ó Senhor.

— Mas Deus sentou-se para sempre no seu trono, preparou o tribunal do julgamento; julgará o mundo inteiro com justiça, e as nações há de julgar com equidade.

— O Senhor é o refúgio do oprimido, seu abrigo nos momentos de aflição. Quem conhece o vosso nome, em vós espera, porque nunca abandonais quem vos procura.

— Cantai hinos ao Senhor Deus de Sião, celebrai seus grandes feitos entre os povos! Pois não esquece o clamor dos infelizes, deles se lembra e pede conta do seu sangue.

EVANGELHO: Mt 17,14-20

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14chegando Jesus e seus discípulos junto da multidão, um homem aproximou-se de Jesus, ajoelhou-se e disse: 15“Senhor, tem piedade do meu filho. Ele é epiléptico, e sofre ataques tão fortes que muitas vezes cai no fogo ou na água. 16Levei-o aos teus discípulos, mas eles não conseguiram curá-lo!”
17Jesus respondeu: “Ó gente sem fé e perversa! Até quando deverei ficar convosco? Até quando vos suportarei? Trazei aqui o menino”.
18Então Jesus o ameaçou e o demônio saiu dele. Na mesma hora, o menino ficou curado. 19Então, os discípulos aproximaram-se de Jesus e lhe perguntaram em particular: “Por que nós não conseguimos expulsar o demônio?”
20Jesus respondeu: “Porque a vossa fé é demasiado pequena. Em verdade vos digo, se vós tiverdes fé do tamanho de uma semente de mostarda, direis a esta montanha: ‘Vai daqui para lá’ e ela irá. E nada vos será impossível”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Jesus insiste em dizer que, com fé, podemos fazer coisas extraordinárias. Os apóstolos não conseguiram curar o menino epilético, que diziam estar possuído pelo demônio. Jesus o curou rapidamente e mostrou-se incomodado com os seus discípulos. Chamou-os de geração sem fé e perversa. E ainda perguntou: “Até quando vou ficar com vocês? Até quando vou suportá-los?”. Chegará o momento em que Jesus partirá e não estará fisicamente entre nós. Nesse momento os seus seguidores dependerão da fé. Acreditarão ou não acreditarão que podem dizer à montanha: “Vai daqui para lá”? Com fé do tamanho do grão de mostarda, nada lhes será impossível. Ter fé significa adesão incondicional a Jesus, aceitando-o como ele é. Os discípulos não conseguiram expulsar o demônio do menino epilético porque aceitavam Jesus pela metade. Com ideias mundanas, pensavam em um Jesus poderoso, semelhante aos reis deste mundo.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Memória litúrgica de Santa Clara, cofundadora da Ordem das Clarissas. Guiados pela Palavra de Deus, vamos ao encontro do Senhor, que nos convida a crescer na fé. A fraqueza de fé dos discípulos não permitiu que eles realizassem a cura do jovem com crises de epilepsia. Jesus então os adverte para que cresçam e amadureçam na fé. Em nossa meditação, tenhamos em mente esse convite que Jesus faz também a cada um de nós.
Peçamos: “Senhor Jesus Cristo, envia sobre nós, como prometeste, teu Espírito Santo. Que Ele nos conceda a vida e nos ensine a plenitude da verdade. Que nele encontremos salvação, felicidade e plenitude de amor. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o tema central da narrativa? O que Jesus pede aos seus discípulos? Por que a necessidade de crescerem na fé?
“O tema fundamental do evangelho de hoje é a fé. O tema da fé já esteve presente nos dois episódios anteriores: confissão de fé de Pedro (16,13-20) e transfiguração de Jesus (17,1-13). Ao descer da montanha, com Pedro, Tiago e João, Jesus é abordado por um pai que suplica por seu filho acometido de epilepsia. Antes de recorrer a Jesus, aquele pai anônimo havia pedido aos discípulos que curassem o seu filho, mas eles não puderam fazê-lo. O pai apela, então, à compaixão de Jesus. Trata-se de uma verdadeira oração (vv. 14-15). Tudo o que Jesus faz não é para projetar-se ou com a intenção de ser reconhecido. O que ele faz é por compaixão, que é um sentimento divino que abre o coração para socorrer os outros em suas necessidades. Diante do pedido do pai, a reação de Jesus parece ser de cansaço e indignação por causa da incredulidade. A falta de fé é o grande mal da geração do tempo de Jesus. Nossa perícope é uma lição aos discípulos: a fé deles deve amadurecer e se fortificar. A fé de Pedro, como uma rocha, e a revelação da transfiguração devem conduzir os discípulos e mover suas vidas” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“‘Por causa da fraqueza de vossa fé!’ A fé fraca de um crente é uma péssima atitude. Sem fé, nada tem sentido para nossa vida. Sem fé, Jesus é uma fantasia e o Evangelho, uma ideologia. É a fé que nos abre o caminho para o coração do nosso Deus, que é pleno de amor e de misericórdia. Jesus lamenta a falta de fé dos discípulos de ontem. O que ele diria da fé dos discípulos de hoje? A minha fé e a sua fé são fracas ou fortes? Temos fé capaz de transpor montanhas? A fé do tamanho do grão de mostarda nos mostra a qualidade da fé que Jesus nos pede. Se for pequena, mas sólida e sem hesitação de dúvidas, o crente é capaz de transpor montanhas. A fé nos faz maiores do que somos, aos olhos de Deus” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
É o momento do diálogo com Deus, em resposta ao que Ele revelou por meio de sua Palavra. Silencie o coração e faça a sua prece.
Conclua com a oração: “Pela intercessão de Santa Clara, o Senhor todo-poderoso me abençoe e me proteja; volte para mim os seus olhos misericordiosos, me dê a paz, a tranquilidade; derrame sobre mim as suas copiosas graças; e, depois desta vida, me aceite no céu em companhia de Santa Clara e de todos os santos. Amém” (“Orações e devoções para todos os momentos”, da Paulinas Editora).

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você a partir da Palavra? Que compromissos você deseja assumir em sua vida?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas