Liturgia diária Oração, pedi e vos será dado - Mt 7,7-12

1ª Semana da Quaresma – Ano Litúrgico C

14 de março de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, dá-me um coração grande, capaz de demonstrar um amor imenso ao meu semelhante, na total gratuidade e sem interpor restrições.

PRIMEIRA LEITURA: Est 4,17n-r.aa-bb.gg-hh

Leitura do Livro de Ester – Naqueles dias, 17na rainha Ester, temendo o perigo de morte que se aproximava, buscou refúgio no Senhor. 17pProstrou-se por terra desde a manhã até o anoitecer, juntamente com suas servas, e disse: 17q“Deus de Abraão, Deus de Isaac e Deus de Jacó, tu és bendito. Vem em meu socorro, pois estou só e não tenho outro defensor fora de ti, Senhor, 17rpois eu mesma me expus ao perigo. 17aaSenhor, eu ouvi, dos livros de meus antepassados, que tu libertas, Senhor, até o fim, todos os que te são caros.
17bbAgora, pois, ajuda-me, a mim que estou sozinha e não tenho mais ninguém senão a ti, Senhor meu Deus. 17ggVem, pois, em auxílio de minha orfandade. Põe em meus lábios um discurso atraente, quando eu estiver diante do leão, e muda o seu coração para que odeie aquele que nos ataca, para que este pereça com todos os seus cúmplices. 17hhE livra-nos da mão de nossos inimigos. Transforma nosso luto em alegria e nossas dores em bem-estar”

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 137

— Naquele dia em que gritei, vós me escutastes, ó Senhor!
— Naquele dia em que gritei, vós me escutastes, ó Senhor!

— Ó Senhor, de coração eu vos dou graças, porque ouvistes as palavras dos meus lábios! Perante os vossos anjos vou cantar-vos e ante o vosso templo vou prostrar-me.

— Eu agradeço vosso amor, vossa verdade, porque fizestes muito mais que prometestes; naquele dia em que gritei, vós me escutastes e aumentastes o vigor da minha alma.

— Estendereis o vosso braço em meu auxílio e havereis de me salvar com vossa destra. Completai em mim a obra começada; ó Senhor, vossa bondade é para sempre! Eu vos peço: não deixeis inacabada esta obra que fizeram vossas mãos!

EVANGELHO: Mt 7,7-12

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7“Pedi e vos será dado! Procurai e achareis! Batei e a porta vos será aberta! 8Pois todo aquele que pede recebe; quem procura encontra; e a quem bate a porta será aberta.
9Quem de vós dá ao filho uma pedra, quando ele pede um pão? 10Ou lhe dá uma cobra, quando ele pede um peixe? 11Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas a vossos filhos, quanto mais vosso Pai que está nos céus dará coisas boas aos que lhe pedirem! 12Tudo quanto quereis que os outros vos façam, fazei também a eles. Nisto consiste a Lei e os Profetas”.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Vivemos o tempo todo em oração, particularmente na Quaresma. Falamos com Deus, pedindo, procurando, batendo à sua porta. Parecemos às vezes insistentes demais. Na realidade, quem nos ensina a ser insistentes e perseverantes na oração é o próprio Jesus. “O Pai que está nos céus dará coisas boas aos que lhe pedirem”, diz Jesus. Há, porém, uma pequena condição, que é o resumo de todas as Escrituras: “Devo fazer aos outros o que desejo que os outros me façam”. Quando peço alguma coisa a Deus, Deus está olhando o que faço para os outros. O que eu fizer para alguém, estará sendo feito a Deus, seja o bem, seja o mal. Deus é bom e dá coisas boas a todos nós. Querendo ser como ele, procuramos também dar coisas boas a quem nos pede alguma coisa. Não sejamos indiferentes, como quem não se quer comprometer com a necessidade do outro. Se há algo que eu possa fazer, que eu não me recuse. Que a multiplicidade dos problemas da vida não me torne indiferente às necessidades dos outros. O Espírito Santo, presente em nós pela graça do batismo, é criativo. Sendo amor, ele desenvolve em nós iniciativas construtivas. Jesus passou pelo mundo fazendo o bem. Passava, via e se aproximava.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Neste novo dia que o Senhor nos concede como dom, vamos fazer a nossa leitura orante, confiantes de que o Senhor se revela a nós por meio da Palavra. Ele fala aos nossos ouvidos e ao nosso coração e indica-nos o caminho a seguir neste tempo quaresmal.
Peçamos: “Ó divino Espírito, ensina-me tudo quanto Jesus ensinou. Dá-me inteligência para entender; memória para lembrar; vontade dócil para praticar; coração generoso para corresponder aos teus convites. Tira de mim o coração de pedra para substituí-lo com um coração sensível. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Leia o Evangelho pausadamente. Depois, feche os olhos e procure recontá-lo. A quem Jesus está se dirigindo? Quem são os personagens que aparecem na narrativa? Qual é o seu tema central? Quais comparações são utilizadas?
“O texto do evangelho deste dia é um convite à oração de súplica confiante, pois nesse tipo de oração confessamos nossa própria miséria, uma vez que não podemos nos dar o que pedimos, nem sabemos se o que desejamos é o que Deus quer para a nossa vida. É necessário, no entanto, empenho para conhecer a vontade de Deus. Nosso texto de hoje é parte do sermão da montanha (Mt 5–7), em que Jesus é apresentado como o intérprete da Lei de Moisés. Mas por que pedir, se Deus sabe tudo e conhece profundamente cada pessoa (cf. Sl 138)? Em primeiro lugar, para reconhecer que tudo o que é bom para a vida do ser humano procede do Pai. Em segundo lugar, porque a súplica em favor das necessidades dos outros e das suas próprias abre a pessoa de fé para a relação filial com Deus Pai, que é a fonte de todo verdadeiro bem. A regra de ouro, bem anterior ao Novo Testamento, é não somente conclusão do trecho em questão, mas de toda a seção do sermão da montanha que trata da conduta a ser adotada em relação ao próximo. A regra de ouro é uma regra de solidariedade, que possibilita a convivência pacífica e respeitosa, anterior ao nosso texto e conhecida no mundo pagão. Eclo 31,14-15 apresenta um exemplo de aplicação dessa regra” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Qual mensagem o texto lhe comunica? Como você compreende as orientações de Jesus: “Pedi e vos será dado; procurai e encontrareis; batei e a porta vos será aberta”? Qual é a sua relação com o Pai na oração? Por que Jesus nos fala da necessidade insistente de pedir, procurar e bater? Temos necessidade de pedir, quando Deus já sabe do que necessitamos?
“Deus, nosso Pai, só tem coisas boas para nos dar. Lamentavelmente, muitas pessoas têm uma experiência dolorida de Deus. Perdem uma grande oportunidade de mudar os rumos da vida porque sofrem com a imagem de Deus dentro de si, em sua história, em sua mente. Sem essa libertação da imagem ferida de Pai, nunca teremos coragem de correr para o seu colo, quando mais necessitamos. Deus tem muitas coisas boas para aqueles que lhe pedirem. O pedir está ligado à liberdade. Sou livre para viver passando fome o resto da vida e por orgulho não me aproximo do banquete que o Pai preparou. Mas, se temos humildade e pedimos, o Senhor entra na nossa vida e transforma nossas necessidades em bênçãos” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Neste tempo de conversão, somos convidados a nos empenhar na oração a Deus e a assumir que o bem que fazemos aos outros é nosso próprio bem. Faça sua oração lembrando as pessoas que você encontra durante o dia, suas necessidades, sofrimentos, alegrias, as vítimas da violência, os cristãos perseguidos… Reze também pelas intenções do Papa Francisco e pela Igreja, que vive a Campanha da Fraternidade.

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? O que você deseja colocar em prática neste dia?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas