Oração diária, Quando o Filho do Homem vier em sua glória - Mt 25,31-46

1ª Semana da Quaresma – Ano Litúrgico B

19 de fevereiro de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, reforça minha disposição para amar e servir meus semelhantes, sobretudo, os mais pobres e marginalizados. Esta será a única forma de me preparar para o encontro com Jesus.

PRIMEIRA LEITURA: Lv 19,1-2.11-18

Leitura do livro do Levítico.

19 1 O Senhor disse a Moisés:
2 “Dirás a toda a assembléia de Israel o seguinte: sede santos, porque eu, o Senhor, vosso Deus, sou santo.
11 Não furtareis, não usareis de embustes nem de mentiras uns para com os outros.
12 Não jurareis falso em meu nome, porque profanaríeis o nome de vosso Deus. Eu sou o Senhor.
13 Não oprimirás o teu próximo, e não o despojarás. O salário do teu operário não ficará contigo até o dia seguinte.
14 Não amaldiçoarás um surdo; não porás algo como tropeço diante do cego; mas temerás o teu Deus. Eu sou o Senhor.
15 Não sereis injustos em vossos juízos: não favorecerás o pobre nem terás complacência com o grande; mas segundo a justiça julgarás o teu próximo.
16 Não semearás a difamação no meio de teu povo, nem te apresentarás como testemunha contra a vida do teu próximo. Eu sou o Senhor.
17 Não odiarás o teu irmão no teu coração. Repreenderás o teu próximo para que não incorras em pecado por sua causa.
18 Não te vingarás; não guardarás rancor contra os filhos de teu povo. Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Eu sou o Senhor – Palavra do Senhor.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 18

          — Ó Senhor, vossas palavras são espírito e vida!
— Ó Senhor, vossas palavras são espírito e vida!

— A lei do Senhor Deus é perfeita, conforto para a alma! O testemunho do Senhor é fiel, sabedoria dos humildes.

— Os preceitos do Senhor são precisos, alegria ao coração. O mandamento do Senhor é brilhante, para os olhos é uma luz.

— É puro o temor do Senhor, imutável para sempre. Os julgamentos do Senhor são corretos e justos igualmente.

— Que vos agrade o cantar dos meus lábios e a voz da minha alma; que ela chegue até vós, ó Senhor, meu Rochedo e Redentor!

EVANGELHO: Mt 25,31-46

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 25 31 “Quando o Filho do Homem voltar na sua glória e todos os anjos com ele, sentar-se-á no seu trono glorioso.
32 Todas as nações se reunirão diante dele e ele separará uns dos outros, como o pastor separa as ovelhas dos cabritos.
33 Colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda.
34 Então o Rei dirá aos que estão à direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo,
35 porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes;
36 nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim’.
37 Perguntar-lhe-ão os justos: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer, com sede e te demos de beber?
38 Quando foi que te vimos peregrino e te acolhemos, nu e te vestimos?
39 Quando foi que te vimos enfermo ou na prisão e te fomos visitar?’
40 Responderá o Rei: ‘Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes’.
41 Voltar-se-á em seguida para os da sua esquerda e lhes dirá: ‘Retirai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno destinado ao demônio e aos seus anjos.
42 Porque tive fome e não me destes de comer; tive sede e não me destes de beber;
43 era peregrino e não me acolhestes; nu e não me vestistes; enfermo e na prisão e não me visitastes’.
44 Também estes lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome, com sede, peregrino, nu, enfermo, ou na prisão e não te socorremos?’
45 E ele responderá: ‘Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que deixastes de fazer isso a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer.’
46 E estes irão para o castigo eterno, e os justos, para a vida eterna”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Pratique as obras de misericórdia. O mundo vai melhorar e as portas do céu vão se abrir.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Mais uma vez, no início de nossa oração, recordamos as palavras do papa Francisco em sua mensagem para a Quaresma de 2018: “Convido, sobretudo os membros da Igreja, a empreender com ardor o caminho da Quaresma, apoiados na esmola, no jejum e na oração. Se por vezes parece apagar-se em muitos corações o amor, este não se apaga no coração de Deus! Ele sempre nos dá novas ocasiões para podermos recomeçar a amar.”
Peçamos ao Espírito Santo a graça de acolhermos os ensinamentos de Jesus e de nos tornarmos como Ele: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito, e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Amém.”

Leitura (Verdade)
Leia o texto pausadamente. Depois, leia-o novamente, atentando-se aos personagens que aparecem na narrativa. Qual é o tema central do Evangelho? Quais são as palavras de Jesus?
“O discurso sobre o fim nos ajuda a compreender o nosso engajamento no tempo presente. A fé em Jesus Cristo tem consequências éticas para a vida do cristão, pois ela exige a caridade. A manifestação definitiva do mistério do Reino de Deus se dá em gestos pequenos, mas significativos e até decisivos. Alguns desses gestos, como os elencados em nosso texto, fazem parte de nossa vida cotidiana: dar de comer aos que têm fome, de beber aos que têm sede, vestir os que estão nus etc. O que é dito no texto vale para todo ser humano que vive neste mundo. É bastante provável que Ez 34,17-22 tenha servido de inspiração para esse discurso escatológico. Lá também encontramos a separação de ovelhas, carneiros e bodes pelo pastor. A separação, ou juízo, é feita em razão da vida vivida na caridade ou pela indiferença diante do sofrimento e necessidade alheios. Somente o olhar penetrante do pastor, do Filho do Homem, Juiz da história, que ultrapassa as aparências, pode com verdade conhecer a situação de cada um e o que se é de fato. Se o texto fala de condenação é para apelar a viver no amor, que exige o serviço ao semelhante” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Relacione o texto do Evangelho à sua vida. Que mensagem Jesus transmite com suas atitudes, seus gestos e suas palavras? O que revela de si mesmo? Quem são os famintos, sedentos, forasteiros, nus, doentes, presos, pequenos, irmãos? Sendo um julgamento escatológico, é importante termos em mente que Jesus coloca como critério de salvação seu reconhecimento na pessoa do irmão sofredor, na figura do próximo necessitado. Jesus está presente nos sedentes, forasteiros, doentes, pequenos, excluídos… A comunhão com os irmãos “mais pequenos” é a comunhão com o próprio Jesus.

Oração (Vida)
Apresente ao Senhor a sua oração. Apresente a Ele também todos os homens, mulheres, crianças, jovens e idosos necessitados de pão, saúde, segurança, consolo, sentido para a vida, trabalho, dignidade, respeito… Agradeça-lhe as pessoas que com muito amor e generosidade vão ao encontro dos mais necessitados, aliviando seus sofrimentos e revelando-lhes o rosto misericordioso de Deus.

Contemplação (Vida e Missão)
O serviço, a doação, a solidariedade e a comunhão com nossos irmãos necessitados são frutos da ação salvífica de Deus acontecendo no coração humano. De que maneira esta passagem o(a) compromete? O que ela lhe pede?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.