Oração diária, Amai os vossos inimigos e fazei o bem aos que vos odeiam

23ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

12 de setembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, predispõe-me a amar meus inimigos e perseguidores. Só assim estarei dando testemunho do amor que devotas a cada ser humano.

PRIMEIRA LEITURA: Cl 3,12-17

Leitura da carta de são Paulo aos Colossenses – Irmãos, 12Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhada misericórdia, de bondade, humildade, doçura, paciência. 13Suportai-vos uns aos outros e perdoai-vos mutuamente, toda vez que tiverdes queixa contra outrem. Como o Senhor vos perdoou, assim perdoai também vós. 14Mas, acima de tudo, revesti-vos da caridade, que é o vínculo da perfeição. 15Triunfe em vossos corações a paz de Cristo, para a qual fostes chamados a fim de formar um único corpo. E sede agradecidos. 16A palavra de Cristo permaneça entre vós em toda a sua riqueza, de sorte que com toda a sabedoria vos possais instruir e exortar mutuamente. Sob a inspiração da graça cantai a Deus de todo o coração salmos, hinos e cânticos espirituais. 17Tudo quanto fizerdes, por palavra ou por obra, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai. 

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 150

— Louve o Senhor tudo o que vive e que respira.
— Louve o Senhor tudo o que vive e que respira.— Louvai o Senhor Deus no santuário, louvai-o no alto céu de seu poder! Louvai-o por seus feitos grandiosos, louvai-o em sua grandeza majestosa!— Louvai-o com o toque da trombeta, louvai-o com a harpa e com a cítara! Louvai-o com a dança e o tambor, louvai-o com as cordas e as flautas!— Louvai-o com os címbalos sonoros, louvai-o com os címbalos de júbilo! Louve a Deus tudo o que vive e que respira, tudo cante os louvores do Senhor!

EVANGELHO: Lc 6,27-38

        – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.Naquele tempo, 27Digo-vos a vós que me ouvis: amai os vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam, 28abençoai os que vos maldizem e orai pelos que vos injuriam. 29Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra. E ao que te tirar a capa, não impeças de levar também a túnica. 30Dá a todo o que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho reclames. 31O que quereis que os homens vos façam, fazei-o também a eles. 32Se amais os que vos amam, que recompensa mereceis? Também os pecadores amam aqueles que os amam. 33E se fazeis bem aos que vos fazem bem, que recompensa mereceis? Pois o mesmo fazem também os pecadores. 34Se emprestais àqueles de quem esperais receber, que recompensa mereceis? Também os pecadores emprestam aos pecadores, para receberem outro tanto. 35Pelo contrário, amai os vossos inimigos, fazei bem e emprestai, sem daí esperar nada. E grande será a vossa recompensa e sereis filhos do Altíssimo, porque ele é bom para com os ingratos e maus. 36Sede misericordiosos, como também vosso Pai é misericordioso. 37Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; perdoai, e sereis perdoados; 38dai, e dar-se-vos-á. Colocar-vos-ão no regaço medida boa, cheia, recalcada e transbordante, porque, com a mesma medida com que medirdes, sereis medidos vós também.

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Proclamadas as bem-aventuranças, Lucas destaca o que verdadeiramente importa na vida dos seguidores de Jesus: o amor efetivo. Não o amor só de palavras, mas o amor prático, que se deixa ver naquilo que se faz. Para nos ajudar e animar na prática do amor fraterno, Jesus nos diz que “a medida que usarmos para os outros, servirá também para nós” e assim “tratar os outros como queremos ser tratados”.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
No Evangelho, Jesus instrui seus discípulos e a cada um de nós para rompermos com a cadeia de vinganças e violências. O discípulo de Jesus, a exemplo de seu Mestre, é convidado a ser promotor da paz e testemunha do amor.
Peçamos: “Jesus Mestre, cremos com viva fé que estais aqui presente, para indicar-nos o caminho que leva ao Pai. Iluminai nossa mente, movei nosso coração, para que esta meditação produza em nós frutos de vida. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Quais palavras mais chamaram sua atenção durante a leitura? Quais são as orientações de Jesus? Qual é a temática central da narrativa?
“O tema central do evangelho de hoje é o amor aos inimigos com a consequente gratuidade e generosidade que esse modo de viver exige de todo cristão. É no amor aos inimigos e através da generosidade e gratuidade que a vida do cristão exprime a misericórdia semelhante à misericórdia de Deus. O amor cristão é um modo de viver que dá sentido e valor a todas as coisas e move o coração do ser humano na direção do bem a ser realizado, inclusive em favor dos inimigos. Os destinatários deste trecho do discurso da planície são aqueles que ouvem Jesus, isto é, aqueles que se deixam iluminar pela palavra do Senhor e cultivam a boa semente dessa palavra na terra boa do coração, lá onde só Deus pode chegar e agir. Exigência da vida no seguimento de Jesus Cristo é a identificação com a atitude e o coração de Deus. Essa identificação se exprime na prática do amor aos inimigos e no cultivo da disposição de fazer o bem não importando a quem. O que se propõe, outrossim, neste trecho, é a superação da teologia da retribuição pelo amor, através do qual as barreiras da inimizade são rompidas” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual convite o Senhor lhe faz? É fácil oferecer a outra face a quem nos ofende? O que significa para você o convite de Jesus: “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso”?
“O amor é o maior imperativo da fé cristã! É inconcebível pensar em uma fé que aderiu ao projeto de Jesus que não tenha no amor sua essência. Esse amor chega ao extremo de se inclinar para os inimigos. Parece um paradoxo, o amor ao inimigo, uma vez que a inimizade pressupõe, exatamente, a ausência de amor. Mas Jesus pede um amor sem limites, isto é, capaz de quebrar o muro da inimizade e reconstruir relações saudáveis pautadas no Evangelho. Bom, impossível não é! Do contrário, Jesus não colocaria isso como condição para o seu seguimento. Portanto, o amor é a medida de todas as coisas. Um cristão que não ama é semelhante a uma árvore que não dá frutos” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Motivados pela Palavra que meditamos, peçamos a graça de ser construtores da paz na sociedade, em nossas famílias e nos ambientes de trabalho. Que a vivência do amor fortaleça nossos laços de fraternidade.

Contemplação (Vida e Missão)
O que é pedido à sua vida, aqui e agora? Em quais realidades você percebe a necessidade de uma maior abertura? O que você pretende fazer para que isso aconteça? Que outro apelo a Palavra de Deus desperta em seu coração?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas