Liturgia diaria 26 de dezembro de 2015

Santo Estêvão, Protomártir, festa – Ano Litúrgico C

26 de dezembro de 2018

Espírito de coragem perseverante, nas adversidades da vida, vem em meu auxílio, e ajuda-me para que não arrefeça a minha adesão a Jesus e ao Reino.

PRIMEIRA LEITURA: At 6,8-10; 7,54-59

Leitura dos Atos dos Apóstolos – 8Naqueles dias, Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. 9Mas alguns membros da chamada Sinagoga dos Libertos, junto com cirenenses e alexandrinos, e alguns da Cilícia e da Ásia, começaram a discutir com Estêvão. 10Porém, não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava.
7,54Ao ouvir essas palavras, eles ficaram enfurecidos e rangeram os dentes contra Estêvão. 55Estêvão, cheio do Espírito Santo, olhou para o céu e viu a glória de Deus e Jesus, de pé, à direita de Deus. 56E disse: “Estou vendo o céu aberto, e o Filho do Homem, de pé, à direita de Deus”. 57Mas eles, dando grandes gritos e, tapando os ouvidos, avançaram todos juntos contra Estêvão; 58arrastaram-no para fora da cidade e começaram a apedrejá-lo. As testemunhas deixaram suas vestes aos pés de um jovem, chamado Saulo. 59Enquanto o apedrejavam, Estêvão clamou dizendo: “Senhor Jesus, acolhe o meu espírito”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 30

          — Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.
— Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito.

— Sede uma rocha protetora para mim, um abrigo bem seguro que me salve. Sim, sois vós a minha rocha e fortaleza; por vossa honra orientai-me e conduzi-me.

— Em vossas mãos, Senhor, entrego o meu espírito, porque vós me salvareis, ó Deus fiel. Vosso amor me faz saltar de alegria, pois olhastes para as minhas aflições.

— Eu entrego em vossas mãos o meu destino; libertai-me do inimigo e do opressor! Mostrai serena a vossa face ao vosso servo, e salvai-me pela vossa compaixão!

EVANGELHO: Mt 10,17-22

       – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos: 17“Cuidado com os homens, porque eles vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas. 18Vós sereis levados diante de governadores e reis, por minha causa, para dar testemunho diante deles e das nações. 19Quando vos entregarem, não fiqueis preo­cupados como falar ou o que dizer. Então naquele momento vos será indicado o que deveis dizer. 20Com efeito, não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós. 21O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais, e os matarão. 22Vós sereis odiados por todos, por causa do meu nome. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

O Menino acaba de nascer e, no dia seguinte, o destaque é de Santo Estêvão, a quem chamamos de protomártir. Fazia parte do grupo dos primeiros Diáconos. Bom pregador, anunciava Jesus e seu Evangelho com entusiasmo. Conhecia as Escrituras do seu povo e sabia demonstrar que elas se realizaram em Jesus Cristo, seu Mestre, a quem tinha aderido de coração. Por isso foi apedrejado até a morte. Os que o condenaram tinham a impressão de estar vendo em seu rosto a face de um anjo. Enquanto o apedrejavam, ele pedia a Jesus que recebesse o seu espírito e que Deus perdoasse os que o apedrejavam. Grande coração, grande alma, pedra sólida da comunidade cristã, que apenas lançava seus alicerces. E assim adormeceu, diz o livro dos Atos. Os que o matavam agitavam-se furiosos, enquanto ele adormecia no Senhor. Começa então a se realizar o que lemos em São Mateus: “Entregarão vocês aos tribunais, por minha causa serão levados diante dos governadores, e vocês darão testemunho”. Quem perseverar até o fim, esse será salvo. Saulo, o futuro São Paulo, presenciou o apedrejamento de Estêvão. Ainda não tinha encontrado Jesus.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Estamos na Oitava do Natal, Jesus nasceu! Hoje a Igreja celebra o dia de Santo Estêvão, primeiro mártir cristão. Peçamos a sua intercessão para que sejamos fiéis à nossa fé, assim como ele foi, até o fim.
Rezemos: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Oremos: Senhor, nosso Deus, que pela luz do Espírito Santo instruístes o coração dos vossos fiéis, fazei-nos dóceis ao mesmo Espírito, para apreciarmos o que é justo e nos alegrarmos sempre com a sua presença. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Leia-o e procure identificar o contexto do relato evangélico. Detenha-se nas palavras que mais chamaram sua atenção e permaneça em silêncio por alguns instantes para compreendê-las melhor.
“A festa de S. Estêvão, protomártir da Igreja, é ocasião para agradecermos a Deus o testemunho dos que nos precederam na fé. O evangelho de hoje é parte do discurso missionário. Esse discurso é constituído de orientações e advertências para o exercício da missão. Jesus previne os seus discípulos acerca da hostilidade que a missão pode sofrer. O próprio Jesus viveu a resistência por parte de seus contemporâneos, foi vítima de calúnias e mentiras, padeceu a rejeição e o abandono, até ser condenado e morto injustamente. Mas a resistência, a hostilidade e a rejeição não vêm somente de fora, mas de dentro da comunidade, e inclusive da própria família. Jesus foi traído e abandonado por seus próprios discípulos. É por causa de Jesus que os discípulos são perseguidos, e a missão cristã, tratada com hostilidade. O martírio é o preço do testemunho autêntico. Na realização da missão é preciso prudência e simplicidade; é fundamental a confiança na presença permanente do Senhor (Mt 28,20). É necessário deixar Deus ser Deus, pois o Espírito que habita o coração dos fiéis é que inspirará, em cada momento, a atitude e as palavras que convêm. Nenhuma perplexidade deve dominar ou paralisar os que são enviados pelo Senhor em missão. A confiança em Deus é o sustento da vocação e da missão do cristão” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“Não seria fácil para os discípulos de Jesus se declarar a seu favor. Como o Senhor não fora aceito pela maioria como o Messias, então a oposição seria ferrenha. Isso o próprio Jesus já adverte nessa passagem do Evangelho de Mateus. Por causa do nome de Jesus, os discípulos irão apanhar, ser presos, entregues às autoridades pelos próprios familiares. Mas a promessa da consolação era o conforto e o encorajamento de que eles precisavam para continuar firmes e decididos a levar a Boa Nova a todos. Fazendo memória de Estêvão, primeiro mártir cristão, tenhamos coragem de seguir seu exemplo de fé e de vida doada. A perseguição que se inicia com o martírio de Estêvão não impediu que o Evangelho se espalhasse” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
É hora do diálogo direto com Deus. Apresente ao Senhor a oração que brotou em seu coração. Peça também a graça de buscar a reconciliação e de saber dar o perdão sem medidas.

Contemplação (Vida e Missão)
O encontro com a Palavra, fonte de vida, gera novas relações e recria a comunhão. Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? Quais apelos você sentiu em seu coração? Quais compromissos deseja concretizar em sua vida?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas