Liturgia diária, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo - Mt 25,31-46

Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo, Rei do Universo – Ano Litúrgico A

26 de novembro de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Pai, coloca no meu coração um amor entranhado pelos que são teus preferidos. É por meio deles que chegarei a ti.

PRIMEIRA LEITURA: Ez 34,11-12.15-17

Leitura da Profecia de Ezequiel

11Assim diz o Senhor Deus: “Vede! Eu mesmo vou procurar minhas ovelhas e tomar conta delas. 12Como o pastor toma conta do rebanho, de dia, quando se encontra no meio das ovelhas dispersas, assim vou cuidar de minhas ovelhas e vou resgatá-las de todos os lugares em que foram dispersadas num dia de nuvens e escuridão.
15Eu mesmo vou apascentar as minhas ovelhas e fazê-las repousar — oráculo do Senhor Deus. 16Vou procurar a ovelha perdida, reconduzir a extraviada, enfaixar a da perna quebrada, fortalecer a doente, e vigiar a ovelha gorda e forte. Vou apascentá-las conforme o direito.
17Quanto a vós, minhas ovelhas — assim diz o Senhor Deus —, eu farei justiça entre uma ovelha e outra, entre carneiros e bodes”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 23

         — O Senhor é o pastor que me conduz;/ não me falta coisa alguma.
— O Senhor é o pastor que me conduz;/ não me falta coisa alguma.

— Pelos prados e campinas verdejantes/ ele me leva a descansar./ Pelas águas repousantes me encaminha,/ e restaura as minhas forças.

— Preparais à minha frente uma mesa,/ bem à vista do inimigo,/ e com óleo vós ungis minha cabeça;/ o meu cálice transborda.

— Felicidade e todo bem hão de seguir-me/ por toda a minha vida;/ e, na casa do Senhor, habitarei/ pelos tempos infinitos.

SEGUNDA LEITURA: 1Cor 15,20-26.28

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios

Irmãos: 20Na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. 21Com efeito, por um homem veio a morte, e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos.
22Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. 23Porém, cada qual segundo uma ordem determinada: Em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião de sua vinda. 24A seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus-Pai, depois de destruir todo principado e todo poder e força. 25Pois é preciso que ele reine, até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. 26O último inimigo a ser destruído é a morte.
28E, quando todas as coisas estiverem submetidas a ele, então o próprio Filho se submeterá àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 25,31-46

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 31“Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, então se assentará em seu trono glorioso.
32Todos os povos da terra serão reunidos diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. 33E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos à sua esquerda.
34Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei como herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo! 35Pois eu estava com fome e me destes de comer; eu estava com sede e me destes de beber; eu era estrangeiro e me recebestes em casa; 36eu estava nu e me vestistes; eu estava doente e cuidastes de mim; eu estava na prisão e fostes me visitar’.
37Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede e te demos de beber? 38Quando foi que te vimos como estrangeiro e te recebemos em casa, e sem roupa e te vestimos? 39Quando foi que te vimos doente ou preso e fomos te visitar?’
40Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’
41Depois o Rei dirá aos que estiverem à sua esquerda: ‘Afastai-vos de mim, malditos! Ide para o fogo eterno, preparado para o diabo e para os seus anjos. 42Pois eu estava com fome e não me destes de comer; eu estava com sede e não me destes de beber; 43eu era estrangeiro e não me recebestes em casa; eu estava nu e não me vestistes; eu estava doente e na prisão e não me fostes visitar’.
44E responderão também eles: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou nu, doente ou preso, e não te servimos?’
45Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade eu vos digo: todas as vezes que não fizestes isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizestes!’
46Portanto, estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna”

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Colocados diante de Cristo, Rei do universo, estamos atentos ao que ele tem a nos dizer. Sabendo o que vão lhe perguntar na prova final, o aluno precavido se prepara a tempo. São Mateus nos revela o gabarito da prova final. Conhecendo de antemão o resultado, seríamos pouco inteligentes se não nos preparássemos com antecedência. Haverá uma pergunta para todos, indistintamente. Todas as nações estarão diante do juiz, independentemente de sua ideologia, seu tipo de governo, seu sistema social, sua religião. A pergunta será a mesma para todos. O que foi que você fez para o outro? Naquele momento todos ficarão sabendo que o outro é o próprio juiz. Os que o trataram bem receberão o convite para participar de uma festa eterna. Os que o maltrataram receberão uma punição eterna.
A boa ação foi traduzida pelos cristãos como sete obras de misericórdia: dar de comer a quem tem fome; dar de beber a quem tem sede; vestir os nus; acolher os peregrinos; visitar os doentes; visitar os presos; enterrar os mortos. Este é o caminho para todos, embora nem todos o conheçam. Os cristãos, porém, o conhecem. Receberam de Deus a revelação da fé. Sabemos para ensinar os que não sabem. Sabemos para ajudar os que não sabem a não desanimar nem desistir, porque as obras de misericórdia são atos de amor, e o amor sofre incompreensões. O profeta Ezequiel não propõe uma teocracia, mas já que os homens não governam como devem, Deus vai governar. Os governos deste mundo são falhos, Deus sabe disso e está atento ao que acontece. Ele não deixará no abandono as suas criaturas. Suscitará sempre novos pastores e cada um pode encontrar nele o pastor de que precisa. O reinado de Cristo não é simplesmente administrativo, com a finalidade de pôr ordem no mundo. Suas dimensões são mais amplas e mais profundas. Ele vai até a expressão máxima de todos os males, que é a morte, e a vence. É o último inimigo a ser destruído. O governo de Cristo dá pleno sentido à nossa existência. Em seu projeto não falta nada para ninguém, tudo foi feito e tudo foi distribuído.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Solenidade de Cristo, Rei do Universo. A Palavra de hoje nos traz um convite: “Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo!”
Peçamos ao Espírito Santo a graça de acolher os ensinamentos de Jesus para o nosso dia: “Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito, e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Amém!”

Leitura (Verdade)
Leia o texto pausadamente. Depois, leia-o novamente e procure identificar os personagens que fazem parte da narrativa. Qual é o tema central do Evangelho? Quais são as palavras de Jesus? “‘Quando foi que te vimos?’ Essa será a dúvida do julgamento! Uma fé vivida somente na dimensão vertical correrá o risco de não enxergar Jesus no irmão. Um olhar para o céu e um olhar para os lados. Jesus está do nosso lado, batendo à nossa porta, estendendo suas mãos nas ruas e becos, sedento e faminto. Não perceber Jesus nesses lugares-irmãos é correr o risco de perder a salvação. Quando fazemos o bem a um dos pequeninos, é ao próprio Cristo que o fazemos. Senhor, dá-nos olhos e sensibilidade para te encontrarmos nos mais necessitados!” (Reflexão de frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Relacione o texto do Evangelho aos dias atuais. Que mensagem Jesus transmite com suas atitudes, seus gestos e suas palavras? O que revela de si? Quem são os famintos, sedentos, forasteiros, nus, doentes, presos, pequenos, irmãos? Sendo um julgamento escatológico, é importante mantermos em mente que Jesus coloca como critério de salvação o reconhecê-lo na pessoa do irmão sofredor, o reconhecê-lo na figura do próximo necessitado, o reconhecê-lo presente nos sedentos, forasteiros, doentes, pequenos, excluídos… A comunhão com os irmãos “mais pequenos” é a comunhão com o próprio Jesus. O texto faz um forte apelo a viver a caridade e a promoção da vida.

Oração (Vida)
Apresente ao Senhor a sua oração. Recorde também os tantos homens, mulheres, crianças, jovens e idosos necessitados de pão, saúde, segurança, consolo, sentido para a vida, trabalho, dignidade, respeito… Agradeça as pessoas que, com muito amor e generosidade, vão ao encontro de seus irmãos necessitados, aliviando seus sofrimentos e revelando-lhes o rosto misericordioso de Deus. Reze pelas pastorais sociais da Igreja, comprometidas com a promoção e a valorização da vida.

Contemplação (Vida e Missão)
O serviço, a doação, a solidariedade e a comunhão com nossos irmãos necessitados são frutos da ação salvífica de Deus acontecendo no coração humano. De que maneira esta passagem o(a) compromete? O que ela lhe pede?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.