Liturgia diária, Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja - Mt 16,13-20
site-de-catequese

21ª Domingo do Tempo Comum – Ano Litúrgico A

27 de agosto de 2017

ORAÇÃO DO DIA

Pai, faze de mim um bem-aventurado, como o apóstolo Pedro, revelando-me teu Filho Jesus, e dando-me força para testemunhar minha fé até o fim.

PRIMEIRA LEITURA:  Is 22,19-23

Leitura do Livro do Profeta Isaías:

Assim diz o Senhor a Sobna, o administrador do palácio: 19“Eu vou te destituir do posto que ocupas e demitir-te do teu cargo. 20Acontecerá que nesse dia chamarei meu servo Eliacim, filho de Helcias, 21e o vestirei com a tua túnica e colocarei nele a tua faixa, porei em suas mãos a tua autoridade; ele será um pai para os habitantes de Jerusalém e para a casa de Judá. 22Eu o farei levar aos ombros a chave da casa de Davi; ele abrirá, e ninguém poderá fechar; ele fechará, e ninguém poderá abrir. 23Hei de fixá-lo como estaca em lugar seguro e aí ele terá o trono de glória na casa de seu pai”.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 137

          — Ó Senhor, vossa bondade é para sempre!/ Completai em mim a obra começada!
— Ó Senhor, vossa bondade é para sempre!/ Completai em mim a obra começada!

— Ó Senhor, de coração eu vos dou graças,/ porque ouvistes as palavras dos meus lábios!/ Perante os vossos anjos vou cantar-vos/ e ante o vosso templo vou prostrar-me.

— Ó Senhor, vossa bondade é para sempre!/ Completai em mim a obra começada!

— Eu agradeço vosso amor, vossa verdade,/ porque fizestes muito mais que prometestes;/ naquele dia, em que gritei, vós me escutastes/ e aumentastes o vigor da minha alma.

— Altíssimo é o Senhor, mas olha os pobres,/ e de longe reconhece os orgulhosos./ Ó Senhor, vossa bondade é para sempre!/ Eu vos peço: não deixeis inacabada/ esta obra que fizeram vossas mãos!

SEGUNDA LEITURA: : Rm 11,33-36

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

33Ó profundidade da riqueza, da sabedoria e da ciência de Deus! Como são inescrutáveis os seus juízos e impenetráveis os seus caminhos! 34De fato, quem conheceu o pensamento do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? 35Ou quem se antecipou em dar-lhe alguma coisa, de maneira a ter direito a uma retribuição? 36Na verdade, tudo é dele, por ele e para ele. A ele a glória para sempre. Amém!

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO: Rm 11,33-36

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 13Jesus foi à região de Cesareia de Filipe e aí perguntou a seus discípulos: “Quem dizem os homens ser o Filho do Homem?” 14Eles responderam: “Alguns dizem que é João Batista; outros, que é Elias; outros ainda, que é Jeremias ou algum dos profetas”. 15Então Jesus lhes perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” 16Simão Pedro respondeu: “Tu és o Messias, o Filho do Deus vivo”. 17Respondendo, Jesus lhe disse: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi um ser humano que te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu. 18Por isso, eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra construirei a minha Igreja, e o poder do inferno nunca poderá vencê-la. 19Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que tu ligares na terra será ligado nos céus; tudo o que tu desligares na terra será desligado nos céus”. 20Jesus, então, ordenou aos discípulos que não dissessem a ninguém que ele era o Messias.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Temos dois domingos de encontro com Pedro. Hoje, o evangelista São Mateus nos introduz na cena do primado, quando Pedro recebe as chaves e é declarado a pedra sobre a qual a Igreja de Cristo é construída. Em seguida, Jesus afasta o mesmo Pedro e o chama de Satanás, não porque se arrependeu de ter dado a ele as chaves, mas porque Pedro continua “pensando as coisas dos homens” e reluta em aceitar o mistério da Cruz de Cristo.
O primado dado a Pedro não modificou a sua natureza. Continua sendo um homem que pensa as coisas dos homens. Não deixou de ser discípulo e, como tal, deve aprender a seguir o Mestre. Jesus estava em Cesareia de Filipe, bem no norte da Galileia. Lá ele vai ter uma conversa muito importante com os seus discípulos. Ele quer saber o que andam dizendo dele, quais os comentários sobre sua pessoa, o que pensam dele. Os discípulos contam o que ouviam, relatam as ideias que circulavam sobre a pessoa de Jesus. Jesus fez então uma pergunta direta a eles: “E vocês, o que acham de mim? Quem sou eu para vocês?”. Pedro, que se destacava entre os discípulos e era sempre muito entusiasmado, responde dizendo: “O Senhor é o Messias, o Filho do Deus vivo”. Como é que Pedro pôde dar uma resposta tão firme e tão teológica? Isso só foi possível porque Deus colocou na boca de Pedro as palavras certas. Pedro não falou por si mesmo, não falou porque sabia, falou por ter recebido uma revelação de Deus. A revelação aconteceu no momento em que ele falou. Deus falou pela boca de Pedro. Diante disso, Jesus o coloca na posição de fundamento. Ele é a pedra sobre a qual Jesus vai construir a Igreja, a comunidade de seus seguidores. E Jesus dá a Pedro o que chamamos de Poder das Chaves. O poder demoníaco nunca poderá vencer a Igreja construída sobre a rocha de Pedro, e com as chaves, Pedro poderá abrir e fechar, isto é, será o guarda providente da sua casa.
Uma figura do passado anunciou o acontecimento de Cesareia de Filipe. Foi no tempo do profeta Isaías, oito séculos antes do nascimento de Jesus. O administrador do palácio do rei Ezequias se chamava Sobna. Era soberbo e se achava muito importante. Ele mesmo mandou talhar para si um túmulo na rocha, um monumento funerário. Acabou sendo deposto pela ação de Deus e em seu lugar foi nomeado Eliacim. Deste Eliacim Deus diz que ele será um pai para o povo, e terá o poder das chaves. Sua posição será firme como uma estaca fixada em lugar seguro. Era a figura de Pedro, que recebe uma função segura, com a garantia do próprio Deus de que ele será firme e não poderá ser abalado, em benefício do povo. Pedro se torna o pai da família de Jesus Cristo. A esse pai daremos mais tarde o nome de “Papa”.
Cantemos e louvemos a grandiosidade da sabedoria e da ciência de Deus que faz o melhor para nós! Não somos nós seus conselheiros nem percebemos bem todo o alcance de seu pensamento. Suas mãos começaram uma obra que será levada até o fim. Por iniciativa própria ele constitui Pedro o guia que orienta com segurança o rebanho para que não se desvie do caminho. Não foram os primeiros nem fomos nós que inventamos a figura de Pedro e a colocamos à frente da comunidade universal. Jesus mesmo nos surpreendeu com a sua iniciativa. Agindo de graça em nosso favor, ele nos deixou um pastor visível para que nada nos falte. Não deixemos de responder pessoalmente à pergunta: “Quem é Jesus para você?”.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2017’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Celebramos o 21º Domingo do Tempo Comum. Que a Palavra que vamos meditar nos fortaleça no testemunho de nossa fé. Que o Espírito Santo nos conduza em nossa oração.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o questionamento que Jesus dirige aos discípulos? Quais são as afirmações a respeito de Jesus? Para Simão Pedro, quem é Jesus? Qual é a missão que Jesus confia a Pedro?
“Os três evangelhos sinóticos, Marcos, Mateus e Lucas, narram esta controvertida passagem da ‘confissão de Pedro, cada um deles imprimindo suas interpretações teológicas pessoais a suas narrativas. Nos evangelhos de Marcos e Lucas, a resposta de Pedro à pergunta de Jesus sobre sua identidade é breve: ‘Tu és o Cristo (messias)’, e merece a repreensão de Jesus. Pedro e os demais discípulos acreditavam que Jesus seria o messias político esperado, que daria ao povo judeu a glória e o poder sobre as demais nações, como um novo Davi, conforme a imagem elaborada pela tradição do Primeiro Testamento. Jesus censura Pedro por esta compreensão e procura demovê-la da mente dos discípulos.[…]
Com a visão teológica de Mateus ficam estabelecidas duas identidades para Jesus: uma, é ‘o filho do homem’, o simples Jesus de Nazaré, inserido na humanidade, na sua humildade, e presente entre ela até o fim dos tempos, porém, dignificando-o e divinizando-o; a outra é o ‘cristo’ ou ‘messias’ (cristo do grego, messias do hebraico, significando ‘ungido’), que é o Jesus ressuscitado, manifestado em glória nos céus, acima dos poderes celestiais, de onde virá para o julgamento final.” (Reflexão de José Raimundo Oliva, em A Bíblia dia a dia, Paulinas)

Meditação (Caminho)
“Eliacim recebe as chaves do palácio de Davi com toda a autoridade que a simbologia das chaves lhe conferia: abrir e fechar quando ele bem entendesse. Jesus entrega a Pedro a chave dos céus. Interessante que Jesus não restringe nada a Pedro: “tudo o que ligares ou desligares”, absolutamente, tudo. Mas não era poder por poder, mas para servir à Igreja do Senhor e ao rebanho que lhe fora confiado para apascentar. Tudo isso fruto da profissão de fé de Pedro: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo!”. Jesus entendeu que foi o Pai quem colocou essa revelação no coração de Pedro e o confirma como chefe maior da sua Igreja. Rezemos pelo Papa, que continua a missão de Pedro.”(Frei Mário Sérgio Souza, Viver a Palavra 2017, Paulinas.

Oração (Vida)
Em nossa oração, supliquemos ao Senhor pela missão da Igreja, rezemos nas intenções do Papa, pedimos pelos cristãos perseguidos por causa da fé e pelos povos que vivem em regiões de conflitos e guerras. Lembremos ainda de todas as iniciativas da Igreja para a evangelização dos povos.

Contemplação (Vida e Missão)
Qual apelo a Palavra de Deus despertou em meu coração? O que me proponho a viver? Como vou atingir este propósito?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.