Oração diária - Um homem chamado Zaqueu

31º Domingo Comum – Ano Litúrgico C

30 de outubro de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, faze-me puro de coração, como o Zaqueu convertido, tornando-me desapegado das coisas deste mundo e capaz de dividi-las com os pobres.

PRIMEIRA LEITURA: Sb 11,22—12,2

Leitura do Livro da Sabedoria – 22Senhor, o mundo inteiro, diante de ti, é como um grão de areia na balança, uma gota de orvalho da manhã que cai sobre a terra.
23Entretanto, de todos tens compaixão, porque tudo podes. Fechas os olhos aos pecados dos homens, para que se arrependam.
24Sim, amas tudo o que existe, e não desprezas nada do que fizeste; porque, se odiasses alguma coisa não a terias criado.
25Da mesma forma, como poderia alguma coisa existir, se não a tivesses querido? Ou como poderia ser mantida, se por ti não fosse chamada?
26A todos, porém, tu tratas com bondade, porque tudo é teu, Senhor, amigo da vida.
12,1O teu espírito incorruptível está em todas as coisas! 2É por isso que corriges com carinho os que caem e os repreendes, lembrando-lhes seus pecados, para que se afastem do mal e creiam em ti, Senhor. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 144

          — Bendirei eternamente vosso nome;/ para sempre, ó Senhor, o louvarei!
— Bendirei eternamente vosso nome;/ para sempre, ó Senhor, o louvarei!

— Ó meu Deus, quero exaltar-vos, ó meu Rei,/ e bendizer o vosso nome pelos séculos./ Todos os dias haverei de bendizer-vos,/ hei de louvar o vosso nome para sempre.

— Misericórdia e piedade é o Senhor,/ ele é amor, é paciência, é compaixão./ O Senhor é muito bom para com todos,/ sua ternura abraça toda criatura.

— Que vossas obras, ó Senhor, vos glorifiquem,/ e os vossos santos com louvores vos bendigam!/ Narrem a glória e o esplendor do vosso reino/ e saibam proclamar vosso poder!

— O Senhor é amor fiel em sua palavra,/ é santidade em toda obra que ele faz./ Ele sustenta todo aquele que vacila/ e levanta todo aquele que tombou.

SEGUNDA LEITURA: 2Ts 1,11—2,2

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Tessalonicenses – Irmãos: 11Não cessamos de rezar por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação. Que ele, por seu poder, realize todo o bem que desejais e torne ativa a vossa fé.
12Assim o nome de nosso Senhor Jesus Cristo será glorificado em vós, e vós nele, em virtude da graça do nosso Deus e do Senhor Jesus Cristo.
2,1No que se refere à vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e à nossa união com ele, nós vos pedimos, irmãos: 2não deixeis tão facilmente transtornar a vossa cabeça, nem vos alarmeis por causa de alguma revelação, ou carta atribuída a nós, afirmando que o Dia do Senhor está próximo.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Lc 19,1-10

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

          Naquele tempo, 1Jesus tinha entrado em Jericó e estava atravessando a cidade. 2Havia ali um homem chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores de impostos e muito rico.
3Zaqueu procurava ver quem era Jesus, mas não conseguia, por causa da multidão, pois era muito baixo. 4Então ele correu à frente e subiu numa figueira para ver Jesus, que devia passar por ali. 5Quando Jesus chegou ao lugar, olhou para cima e disse: “Zaqueu, desce depressa! Hoje eu devo ficar na tua casa”.
6Ele desceu depressa, e recebeu Jesus com alegria.
7Ao ver isso, todos começaram a murmurar, dizendo: “Ele foi hospedar-se na casa de um pecador!”
8Zaqueu ficou de pé, e disse ao Senhor: “Senhor, eu dou a metade dos meus bens aos pobres, e se defraudei alguém, vou devolver quatro vezes mais”.
9Jesus lhe disse: “Hoje a salvação entrou nesta casa, porque também este homem é um filho de Abraão. 10Com efeito, o Filho do Homem veio procurar e salvar o que estava perdido”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Impostos são sempre pesados e quem os cobra é malvisto. No tempo de Jesus o cobrador de imposto era classificado na categoria dos pecadores. Ele cobrava para os romanos, estrangeiros pagãos que dominavam a Terra Santa, e se enriquecia pela porcentagem que lhe era dada ou pelo que desviava.

Os cobradores de impostos eram chamados de publicanos. Numa passagem de Jesus por Jericó, um oásis ao norte do Mar Morto, com muitas tamareiras e outros tipos de árvores, Jesus teve um encontro com um desses ricos cobradores de impostos. Seu nome era Zaqueu. O encontro se deu em duas direções.

Zaqueu queria ver quem era Jesus, e Jesus quis ver Zaqueu e hospedar-se em sua casa. A vida de Zaqueu encheu-se de luz e de alegria diante da gentileza de Jesus. Hospedando-se na casa de Zaqueu, ele valorizou a pessoa, olhando-a sem rótulos de pecador e publicano. “O Senhor ama tudo o que existe e nada despreza. Ele fecha os olhos aos pecados dos homens para que se arrependam.” Jesus se aproxima do pecador com jeito e com carinho.

A resposta de Zaqueu não podia ser diferente. Valorizado por Jesus, ele decide mudar de vida, sair da desonestidade e da corrupção, colocar a justiça no seu relacionamento com os outros. Ele se dispôs a devolver quatro vezes mais o que tirou desonestamente dos outros. Zaqueu, rico corrupto, encontrou em seu caminho o bom Mestre da Galileia.

Tomou a iniciativa de querer ver quem era Jesus e para isso subiu numa árvore. Dele era a curiosidade, da graça de Deus foi o impulso. A presença silenciosa e gratuita é sempre um bom caminho de evangelização. O “venham e vejam” de Jesus aos primeiros discípulos continua válido nos nossos dias. É preciso, porém, estar atento às insídias do demônio que tudo penetra, até as nossas boas intenções e nossos gestos evangelizadores.

Se nos aproximamos dos ladrões, não é para nos tornarmos um deles. O continente latino-americano foi e continua sendo uma terra de injustiças e desigualdades, e é um continente cristão. Cristãos que defraudam seus irmãos não são dignos de sua vocação. Já se trabalhou muito para que a fé, ativa na caridade, se mostrasse em ações concretas pela justiça social em vista da paz.

Onde não há justiça nos assuntos econômicos e políticos, na administração dos bens, no uso do dinheiro, grassa a corrupção e invertem-se os valores. Ao longo do caminho de Jesus, nós nos encontramos com frequência com publicanos e samaritanos que procuram Jesus, e dão novo rumo à sua vida.

Fariseus, escribas, saduceus, cada um no que lhe é próprio, têm em comum o estarem certos. Neles não há o que mudar. E nisso eles nos ensinam que não bastam as observâncias externas de leis e ritos. Já ouvimos o que foi dito aos antigos. Jesus, porém, nos diz que é preciso avançar para águas mais profundas.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
No Evangelho de hoje, Zaqueu encontra-se com Jesus e vive a experiência do amor e da misericórdia do Senhor pelos pecadores. Que a Palavra nos ajude a experienciar o amor de Jesus por cada um de nós e nos fortaleça na disposição para seguir o seu exemplo.
Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual é o contexto da narrativa? Quem é Zaqueu? Que elementos podemos destacar no encontro de Jesus com Zaqueu? Como reage o povo quando Zaqueu acolhe Jesus em sua casa? Qual missão de Jesus o Evangelho nos revela hoje?
“O relato do episódio de Zaqueu, em Jericó, é um dos mais belos relatos dos evangelhos e exemplo da implicação ética da iluminação pela fé. A apresentação de Zaqueu é feita em função de Jesus, que iria passar por lá e que ele queria ver.

O que não imaginava e certamente compreendeu somente mais tarde é que Jesus vinha procurá-lo e salvá-lo antes mesmo que buscasse vê-lo e conhecê-lo. No episódio da iluminação do cego, o leitor já foi informado de que uma multidão acompanhava Jesus. A atração, tanto da multidão quanto de Zaqueu, é Jesus de Nazaré, que passava por Jericó, subindo para Jerusalém.

O relato tem por finalidade revelar a identidade perdida de Zaqueu como homem de fé, e, de sua parte, Zaqueu fará a experiência de que, estando diante de Jesus, se está diante do Senhor. Essa transformação (o Jesus que ele queria ver era o Senhor) é devida à iniciativa de Jesus.

Querendo ver Jesus, Zaqueu foi visto pelo Senhor. Deus nos vê, onde quer que estejamos. O encontro com o Senhor transformou a vida de Zaqueu. Expressão dessa transformação é a atitude ética do chefe dos publicanos: a partilha dos bens e a restituição do que foi roubado dos outros. A salvação vem por Jesus, sem que seja preciso esperar mais.

A conclusão do relato é a oportunidade, em que Jesus afirma a finalidade da encarnação do Verbo de Deus” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
“Jesus saiu ao encontro de pessoas em situações muito diferentes: homens e mulheres, pobres e ricos, judeus e estrangeiros, justos e pecadores… convidando-os a segui-lo. Hoje, continua convidando a encontrar nele o amor do Pai. Por isso mesmo, o discípulo missionário há de ser um homem ou uma mulher que torna visível o amor misericordioso do Pai, especialmente para com os pobres e pecadores” (DAp. 147).

Zaqueu desejou profundamente ver o Senhor. Também Jesus desejou encontrá-lo. O que acontece quando nos encontramos com o Senhor? Você está atento(a) ao Senhor que passa, chama-o(a) pelo nome e deseja encontrar-se com você? Você acolhe com alegria o Senhor em sua vida?

Oração (Vida)
“Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a Ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade queremos aprender de Vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por Vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus, renunciando a nós mesmos, para buscar em tudo a vontade do Pai. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar em nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu.”

Contemplação (Vida e Missão)
Como você pretende viver concretamente, durante o dia, o apelo que o Senhor lhe revelou?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.