Liturgia diária, Profissão de fé do Centurião - Lc 7,1-10

24ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

16 de setembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, dá-me um coração misericordioso e humildade que me leve a compadecer-me do meu semelhante.

PRIMEIRA LEITURA: 1Tm 2,1-8

Leitura da primeira carta de são Paulo a Timóteo – Caríssimo, 1Acima de tudo, recomendo que se façam preces, orações, súplicas, ações de graças por todos os homens, 2pelos reis e por todos os que estão constituídos em autoridade, para que possamos viver uma vida calma e tranquila, com toda a piedade e honestidade. 3Isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador, 4o qual deseja que todos os homens se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade. 5Porque há um só Deus e há um só mediador entre Deus e os homens: Jesus Cristo, homem 6que se entregou como resgate por todos. Tal é o fato, atestado em seu tempo; 7e deste fato – digo a verdade, não minto – fui constituído pregador, apóstolo e doutor dos gentios, na fé e na verdade. 8Quero, pois, que os homens orem em todo lugar, levantando as mãos puras, superando todo ódio e ressentimento.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO 27(28)

         — Bendito seja o Senhor, porque ouviu o clamor da minha súplica!
— Bendito seja o Senhor, porque ouviu o clamor da minha súplica!

— Escutai o meu clamor, a minha súplica, quando eu grito para vós; quando eu elevo, ó ‘Senhor, as minhas mãos para o vosso santuário.

— Minha força e escudo é o Senhor, meu coração nele confia. Ele ajudou-me e alegrou meu coração; eu canto em festa o seu louvor.

— O Senhor é a fortaleza do seu povo e a salvação do seu Ungido. Salvai o vosso povo e libertai-o; abençoai a vossa herança! Sede vós o seu pastor e o seu guia pelos séculos eternos!

EVANGELHO: Lc 7,1-10

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1Tendo Jesus concluído todos os seus discursos ao povo que o escutava, entrou em Cafarnaum. 2Havia lá um centurião que tinha um servo a quem muito estimava e que estava à morte. 3Tendo ouvido falar de Jesus, enviou-lhe alguns anciãos dos judeus, rogando-lhe que o viesse curar. 4Aproximando-se eles de Jesus, rogavam-lhe encarecidamente: Ele bem merece que lhe faças este favor, 5pois é amigo da nossa nação e foi ele mesmo quem nos edificou uma sinagoga. 6Jesus então foi com eles. E já não estava longe da casa, quando o centurião lhe mandou dizer por amigos seus: Senhor, não te incomodes tanto assim, porque não sou digno de que entres em minha casa; 7por isso nem me achei digno de chegar-me a ti, mas dize somente uma palavra e o meu servo será curado. 8Pois também eu, simples subalterno, tenho soldados às minhas ordens; e digo a um: Vai ali! E ele vai; e a outro: Vem cá! E ele vem; e ao meu servo: Faze isto! E ele o faz. 9Ouvindo estas palavras, Jesus ficou admirado. E, voltando-se para o povo que o ia seguindo, disse: Em verdade vos digo: nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé. 10Voltando para a casa do centurião os que haviam sido enviados, encontraram o servo curado

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Havia em Cafarnaum, no tempo de Jesus, um militar romano de categoria que era apreciado pelos judeus. Teria sido o construtor da primitiva sinagoga de Cafarnaum. E era também um homem de fé. Foi o que manifestou quando pediu a alguns anciãos dos judeus que intercedessem junto a Jesus em favor de seu servo que estava à beira da morte. Ele também estimava muito o seu servo. Acreditava realmente no poder de Jesus e era humilde. Quando Jesus se aproximou de sua casa, ele foi ao seu encontro e disse o que repetimos em nossas Eucaristias: “Senhor, eu não sou digno de que entreis em minha morada, mas dizei uma só palavra e ‘meu servo’ será curado”.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Memória litúrgica de São Cornélio e São Cipriano. Coloquemo-nos na presença de Deus e iniciemos a nossa oração, pedindo que o Espírito Santo nos ilumine para compreendermos a sua Palavra. Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!
“Vinde, Espírito Santo, enchei os corações de vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado, e renovareis a face da terra. Oremos: Senhor, nosso Deus, que pela luz do Espírito Santo instruístes o coração dos vossos fiéis, fazei-nos dóceis ao mesmo Espírito, para apreciarmos o que é justo e nos alegrarmos sempre com a sua presença. Por Cristo, nosso Senhor. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto bíblico? Faça a leitura do Evangelho, sublinhando as palavras que mais lhe chamaram atenção, os verbos e os personagens presentes na narrativa. Leia o texto quantas vezes julgar necessário, para, dessa forma, compreender o assunto abordado.
“Jesus fala, o povo escuta, Jesus conclui e vai adiante. É um mestre que ensina. Entra de novo em Cafarnaum. Uma guarnição romana a serviço do rei Herodes Antipas estava sediada no local, chefiada por um centurião. Este homem precisou de Jesus. Um dos seus servos, muito estimado, estava à beira da morte. Organizam-se os mediadores. O centurião sabia o que era dar ordens e ser obedecido, mas não sabia curar a enfermidade de seu servo amigo. Anciãos judeus advogam em favor do centurião. No caminho eles se encontram e o centurião professa a sua fé: ‘Diga uma palavra e o meu servo ficará curado’. Sem titubear reconhece a força da palavra de Jesus, que cura o servo à distância. Homem de fé e de respeito, o centurião sabia também que um judeu não devia entrar na casa de um pagão: ‘Não sou digno de que entres em minha casa’” (Celso Pedro da Silva, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você? No primeiro passo da leitura orante, você pôde identificar o tema central do Evangelho; agora, é o momento de deixar-se tocar pela Palavra de Deus, momento de meditação. O que o texto lhe diz? Qual palavra mais o(a) tocou? Se sentir necessidade, leia-o novamente.
“O despertar da fé no coração dos pagãos. Essa é uma das temáticas do evangelho de hoje. Um centurião romano, pagão, acreditou que Jesus poderia curar o seu servo. A confiança era tamanha que ele nem ousava se aproximar de Jesus. A humildade daquele oficial do exército romano foi uma grande lição para todos os presentes naquele episódio. ‘Eu não sou digno de que entres em minha casa!’ Às vezes, podemos perder esse senso de humildade e banalizar a presença de Deus dentro de nós. Corremos o risco de receber Jesus de qualquer maneira, sem a devida reverência. O centurião acreditava na força da palavra de Jesus: ‘Dize uma palavra, e meu servo ficará curado’. Foi o que aconteceu. ‘Fé admirável’, disse Jesus” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
O que o texto o(a) leva a dizer a Deus? O que a Palavra o(a) impulsiona a dizer ao Senhor, por meio de sua oração? Aproxime-se do texto, abra o seu coração para Deus e faça a sua oração. Apresente a Ele as suas intenções e os seus pedidos.

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? Faça um momento de silêncio, procure compreender o que se passa em sua mente e em seu coração e peça a Deus a graça de viver durante este dia os apelos da Palavra.

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas