Liturgia diária, advento A vinda do Filho do Homem

1º Domingo do Advento – Ano Litúrgico A

27 de novembro de 2016

ORAÇÃO DO DIA

Pai, à chegada de teu Filho que vem, quero encontrar-me preparado, por meio do amor gratuito a meu semelhante.

PRIMEIRA LEITURA:  Is 2,1-5

Leitura do Livro do Profeta Isaías

1Visão de Isaías, filho de Amós, sobre Judá e Jerusalém.
2Acontecerá, nos últimos tempos, que o monte da casa do Senhor estará firmemente estabelecido no ponto mais alto das montanhas e dominará as colinas. A ele acorrerão todas as nações, 3para lá irão numerosos povos e dirão: “Vamos subir ao monte do Senhor, à casa do Deus de Jacó, para que ele nos mostre seus caminhos e nos ensine a cumprir seus preceitos”; porque de Sião provém a lei e de Jerusalém, a palavra do Senhor.
4Ele há de julgar as nações e arguir numerosos povos; estes transformarão suas espadas em arados e suas lanças em foices; não pegarão em armas uns contra os outros e não mais travarão combate.
5Vinde, todos da casa de Jacó, e deixemo-nos guiar pela luz do Senhor.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 122

       — Que alegria, quando me disseram:/ “Vamos à casa do Senhor!”
— Que alegria, quando me disseram:/ “Vamos à casa do Senhor!”

— Que alegria, quando ouvi que me disseram:/ “Vamos à casa do Senhor!”/ E agora nossos pés já se detêm,/ Jerusalém, em tuas portas.

— Para lá sobem as tribos de Israel,/ as tribos do Senhor./ Para louvar, segundo a lei de Israel,/ o nome do Senhor./ A sede da justiça lá está/ e o trono de Davi.

— Rogai que viva em paz Jerusalém,/ e em segurança os que te amam!/ Que a paz habite dentro de teus muros,/ tranquilidade em teus palácios!

— Por amor a meus irmãos e meus amigos,/ peço: “A paz esteja em ti!”/ Pelo amor que tenho à casa do Senhor,/ eu te desejo todo bem!

SEGUNDA LEITURA: Mt 24,37-44

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos

Irmãos: 11Vós sabeis em que tempo estamos, pois já é hora de despertar./ Com efeito, agora a salvação está mais perto de nós do que quando abraçamos a fé.
12A noite já vai adiantada, o dia vem chegando; despojemo-nos das ações das trevas e vistamos as armas da luz.
13Procedamos honestamente, como em pleno dia; nada de glutonerias e bebedeiras, nem de orgias sexuais e imoralidades, nem de brigas e rivalidades. 14aPelo contrário, revesti-vos do Senhor Jesus Cristo.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

EVANGELHO:  Mt 24,37-44

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus disse aos seus discípulos: 37“A vinda do Filho do Homem será como no tempo de Noé. 38Pois nos dias, antes do dilúvio, todos comiam e bebiam, casavam-se e davam-se em casamento, até o dia em que Noé entrou na arca. 39E eles nada perceberam, até que veio o dilúvio e arrastou a todos. Assim acontecerá também na vinda do Filho do Homem.
40Dois homens estarão trabalhando no campo: um será levado e o outro será deixado. 41Duas mulheres estarão moendo no moinho: uma será levada e a outra será deixada.
42Portanto, ficai atentos, porque não sabeis em que dia virá o Senhor.
43Compreendei bem isto: se o dono da casa soubesse a que horas viria o ladrão, certamente vigiaria e não deixaria que a sua casa fosse arrombada.
44Por isso, também vós ficai preparados! Porque, na hora em que menos pensais, o Filho do Homem virá”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Fiquem atentos! Vocês não sabem em que dia virá o Senhor. Nos dias de Noé todo mundo estava tranquilo, vivendo a vida de cada dia, até que, sem avisar, veio o dilúvio e arrastou a todos. Quando o Filho do Homem vier, vai ser a mesma coisa. Vigiem, pois, e fiquem preparados. É hora de acordar. A salvação está perto. Passamos da noite para o dia. Vamos então viver honestamente, sem comilanças, bebedeiras, orgias imoralidades, brigas, rivalidades. Olhem para o alto e vejam a montanha da casa do Senhor. Está firme e domina o horizonte. Nações e povos um dia subirão esta montanha em busca do Ensinamento e da Palavra do Senhor, porque de Sião sai o Ensinamento e de Jerusalém, a Palavra do Senhor.
Aquele será o dia do julgamento das nações e da correção de todos os povos. Espadas quebradas serão transformadas em bicos de arado, lanças serão foices. Sem armas e sem exercícios, Escola Superior e Tiro de Guerra serão obsoletos. Os caminhos são iluminados pela luz que sai da Casa do Senhor e por eles passa um povo de vida equilibrada, que está atento ao comer, beber, casar-se, lavrar, moer e sabe que o Senhor chega quando menos se espera. Quem vigia está de pé, acordado, não prostrado, caído por terra em orgias, bebedeiras, brigas e desavenças. Não encontre o Senhor o mundo vendendo armas e bebendo o fruto de sua venda. Os cristãos do Advento estão atentos, olhando para si e ao redor, de olhos abertos com visão clara, não olhos turvos embriagados, sóbrios e críticos como a consciência do próprio mundo. O Senhor vem e ao chegar nos encontrará a todos num movimento internacional ativo de transformação de armas de guerra em instrumentos de trabalho para a construção da paz. Dois homens e duas mulheres, um será tomado, outro será deixado. Quem será deixado e quem será tomado?
O Senhor preferiu ocultar o dia e a hora em que Cristo, seu Filho, Senhor e Juiz da História, aparecerá nas nuvens do céu, revestido de poder e majestade. Naquele tremendo e glorioso dia, passará o mundo presente e surgirá novo céu e nova terra. Enquanto esperamos a feliz realização de seu Reino, trabalhamos, despojando o mundo das ações das trevas e vestindo as armas da luz. Se armas é preciso ter, sejam elas estas, as da luz.
O Advento supõe um esforço para o desarmamento. O Messias transformará armas de guerra em instrumentos de trabalho. Há, no entanto, um desarmamento anterior necessário para que desapareçam os instrumentos de guerra. É o desarmamento interior, do coração de cada pessoa. Quem vive psicologicamente armado contra o outro, espontaneamente se revestirá com armas que ferem e matam. Mundo sem armas nucleares, cooperação entre os povos, diplomacia internacional; há quem proponha e trabalhe para que tudo não passe de um sonho.
No entanto, a pequena realidade do dia a dia das pessoas, das famílias, dos grupos, das comunidades de Igreja não é diferente. Vive-se armado, há armas por toda parte, da arma nuclear ao cabo de vassoura, as agressões se multiplicam, como se multiplicam também iniciativas positivas no mundo civil e no religioso. O título “guerreiros sem armas” pode canalizar a vontade de fazer guerra em luta pela paz.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
No início de um novo dia, queremos, no encontro com o Senhor, por meio da leitura orante, entregar a Ele tudo o que iremos viver e pedir as luzes e as graças necessárias para nossa caminhada. Hoje, celebramos o 1º domingo do Advento e iniciamos com muita fé e esperança nossa preparação ao Natal do Senhor.
Silenciando interiormente, repita algumas vezes, pausadamente, a oração: “Espírito Santo, necessitamos de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir”.

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Observe o contexto do relato evangélico. Quais são as imagens utilizadas por Jesus? Qual é o tema central de sua mensagem? O que significa o convite à vigilância que o texto bíblico nos propõe?

“O primeiro domingo do Advento é o início do ano litúrgico. Para os cristãos, é o verdadeiro ‘ano novo’, pois a nossa vida de fé é marcada e ritmada pela Celebração do Mistério de Deus. O Advento é tempo de preparação para o Natal; tempo que deve ser vivido numa dupla atitude: intensificar a leitura e a meditação da Palavra de Deus e a penitência. O texto da liturgia de hoje é parte do discurso escatológico de Jesus (Mt 24,1–25,46); discurso sobre o fim. Entenda-se fim não como término, mas como aquilo que é definitivo para a existência humana. Normalmente, a linguagem utilizada para este tipo de discurso é a apocalíptica, que tem um tom um tanto dramático e, por vezes, causa certo medo nas pessoas que não ultrapassam o sentido primeiro do texto. Em nosso caso, o discurso é exortação aos discípulos a colocarem a sua confiança naquilo que não passa. O precursor deste tipo de linguagem na Bíblia é o livro de Daniel (Dn 7–12), escrito em meados do segundo século antes de Cristo” (Reflexão de Pe. Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
Você vive em atitude vigilante a vinda do Senhor? Quais são os valores que você cultiva? Qual é a sua relação com Deus e com as pessoas? Como você vive a sua fé e o seu testemunho cristão no mundo? Quais atitudes você deseja viver neste período de preparação para o Natal de Jesus?

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você a partir da Palavra? Quais apelos você recebeu e quais compromissos deseja concretizar em sua vida?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.