Oração diária, Vinde! Tudo está pronto para o banquete - Lc 14,15-24

31ª Semana Comum – Ano Litúrgico B

06 de novembro de 2018

ORAÇÃO DO DIA

Pai, tu me convidas cada dia para participar das alegrias de teu Reino. Que eu saiba acolher teu convite paterno, fazendo-me solidário com os pobres e os deserdados deste mundo.

PRIMEIRA LEITURA: Fl 2,5-11

Leitura da Carta de São Paulo aos Filipenses – Irmãos, 5tende entre vós o mesmo sentimento que existe em Cristo Jesus. 6Jesus Cristo, existindo em condição divina, não fez do ser igual a Deus uma usurpação, 7mas ele esvaziou-se a si mesmo assumindo a condição de escravo e tornando-se igual aos homens. Encontrado com aspecto humano, 8humilhou-se a si mesmo, fazendo-se obediente até a morte, e morte de cruz. 9Por isso, Deus o exaltou acima de tudo e lhe deu o Nome que está acima de todo nome. 10Assim, ao nome de Jesus, todo joelho se dobre no céu, na terra e abaixo da terra, 11e toda língua proclame: “Jesus Cristo é o Senhor” para a glória de Deus Pai.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 21

— Ó Senhor, sois meu louvor em meio à grande assembleia!
— Ó Senhor, sois meu louvor em meio à grande assembleia!

— Cumpro meus votos ante aqueles que vos temem! Vossos pobres vão comer e saciar-se, e os que procuram o Senhor o louvarão; seus corações tenham a vida para sempre!”

— Lembrem-se disso os confins de toda a terra, para que voltem ao Senhor e se convertam, e se prostrem, adorando, diante dele todos os povos e as famílias das nações. Pois ao Senhor é que pertence a realeza; ele domina sobre todas as nações. Somente a ele adorarão os poderosos.

— Toda a minha descendência há de servi-lo; às futuras gerações anunciará, o poder e a justiça do Senhor; ao povo novo que há de vir, ela dirá: “Eis a obra que o Senhor realizou!”

EVANGELHO:  Lc 14,15-24

– O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 15um homem que estava à mesa disse a Jesus: “Feliz aquele que come o pão no Reino de Deus!” 16Jesus respondeu: “Um homem deu um grande banquete e convidou muitas pessoas.17Na hora do banquete, mandou seu empregado dizer aos convidados: ‘Vinde, pois tudo está pronto’.
18Mas todos, um a um, começaram a dar desculpas. O primeiro disse: ‘Comprei um campo, e preciso ir vê-lo. Peço-te que aceites minhas desculpas’. 19Um outro disse: ‘Comprei cinco juntas de bois, e vou experimentá-las. Peço-te que aceites minhas desculpas’. 20Um terceiro disse: ‘Acabo de me casar e, por isso, não posso ir’.
21O empregado voltou e contou tudo ao patrão. Então o dono da casa ficou muito zangado e disse ao empregado: ‘Sai depressa pelas praças e ruas da cidade. Traze para cá os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos’.
22O empregado disse: ‘Senhor, o que tu mandaste fazer foi feito, e ainda há lugar’. 23O patrão disse ao empregado: ‘Sai pelas estradas e atalhos, e obriga as pessoas a virem aqui, para que minha casa fique cheia’. 24Pois eu vos digo: nenhum daqueles que foram convidados provará do meu banquete”.

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

A refeição está animada. A participação é boa. Ouvindo o que Jesus disse, alguém exclama: “Feliz quem come o pão no Reino de Deus!”. Jesus aproveita a deixa e continua o seu discurso. Conta a parábola dos convidados que não foram ao banquete. Se é feliz quem come o pão no Reino de Deus, é preciso saber que alguns não participarão do banquete. Não participarão porque não foram e não participarão porque não serão mais admitidos. Foram convidados e na hora do banquete encontraram desculpas e não compareceram. Certamente pensaram que sem eles não haveria festa, tão importantes eram! Mas houve. E a festa foi feita com o mesmo grupo de prediletos de Jesus: pobres, aleijados, cegos e coxos.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2018’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
Por meio de parábolas, Jesus instruía o povo sobre os mistérios do Reino de Deus. Hoje, com a parábola do rei que preparou uma festa de casamento, Jesus nos lembra de que todos estão convidados a participar do Reino, porém, é necessário decidir-se plenamente por ele. Abramos o nosso coração para acolhermos os ensinamentos de Jesus para o nosso dia.
Rezemos: “Vem, Espírito Santo! Faze-nos amar as Escrituras, para reconhecermos a voz viva de Jesus. Torna-nos humildes e simples, a fim de compreendermos os mistérios do Reino de Deus. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Qual comparação Jesus faz para falar do Reino dos Céus? Por que a recusa em aceitar participar da festa de casamento? Quem foram os convidados para a festa? O que eles representam?
“A refeição na casa de um dos chefes dos fariseus (cf. 14,1) foi repleta de ensinamentos da parte de Jesus. Podemos dizer que a exclamação de um dos convivas é, certamente, um autoelogio. A essa exclamação Jesus responde com a parábola dos convidados ao banquete. A participação no banquete do Reino não é mérito pessoal, é dom de Deus. O banquete é símbolo do Reino de Deus. A participação nesse banquete depende do convite feito por quem preparou e oferece o banquete. Os convidados podem, livremente, aceitar ou recusar o convite. O servo que, repetidas vezes, sai para chamar os convidados para o banquete é símbolo de todos os servos de Deus que, em todos os tempos, por mandato de Deus, anunciaram e interpelaram o povo de Deus a participar da festa da comunhão com o Senhor e a viver os valores do seu Reino. Os que se recusam, dando desculpas, são o povo de Israel que resiste a entrar no dinamismo do mistério do Reino de Deus revelado na pregação e nos gestos de poder de Jesus. No entanto, o anfitrião não renuncia à festa. Ele abre as portas da sala do banquete àqueles que se sentiam excluídos da mesa ordinária e do convívio social. É a generosidade do dono da festa que é exaltada. Jesus, ‘porta das ovelhas’ (cf. Jo 10,7), é quem abre as portas da sala do banquete à participação livre de todos, sem exceção” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual palavra do Evangelho encontrou profunda sintonia com a sua vida? Quais sentimentos o texto despertou em você? Procure sintetizar em poucas palavras o apelo que a Palavra de Deus desperta em seu coração.
“No seguimento de Jesus Cristo, aprendemos e praticamos as bem-aventuranças do Reino, o estilo de vida do próprio Jesus: seu amor e obediência filial ao Pai, sua compaixão entranhável frente à dor humana, sua proximidade aos pobres e aos pequenos, sua fidelidade à missão recebida, seu amor serviçal até à doação de sua vida. Hoje, contemplamos Jesus Cristo tal como os Evangelhos nos transmitem para conhecermos o que ele fez e para discernirmos o que nós devemos fazer nas atuais circunstâncias” (DAp., 139).

Oração (Vida)
É hora de dialogar diretamente com Deus. Apresente ao Senhor a oração que brotou em seu coração.

Contemplação (Vida e Missão)
Qual novo olhar nasceu em você, a partir da Palavra? Quais compromissos você deseja assumir em sua vida?

Bênção
– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas