Liturgia diária 26 de fevereiro de 2016

Na liturgia diária fazemos um encontro pessoal com Deus nos colocando a disposição para ouvir seus ensinamentos.

Para bem nos preparar invoquemos a presença do Espírito Santo: 

Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado e renovareis a face da terra.

Oremos

Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre da sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

ORAÇÃO DO DIA

Pai, no teu imenso amor, jamais perdes a esperança de ver realizado o teu projeto de salvação. Que eu me deixe tocar por teus apelos e me converta sinceramente para ti.

PRIMEIRA LEITURA: Gn 37,3-4.12-13a.17b-28

Leitura do Livro do Gênesis – 3Israel amava mais a José do que a todos os outros filhos, porque lhe tinha nascido na velhice. E por isso mandou fazer uma túnica de mangas longas. 4Vendo os irmãos que o pai o amava mais do que a todos eles, odiavam-no e já não lhe podiam falar pacificamente.
12Ora, como os irmãos de José tinham ido apascentar o rebanho do pai em Siquém, 13adisse Israel a José: “Teus irmãos devem estar com os rebanhos em Siquém. Vem, vou enviar-te a eles”.
17bPartiu, pois, José atrás de seus irmãos e encontrou-os em Dotaim. 18Eles, porém, tendo-o visto ao longe, antes que se aproximasse, tramaram a sua morte. 19Disseram entre si: “Aí vem o sonhador! 20Vamos matá-lo e lançá-lo numa cisterna, depois diremos que um animal feroz o devorou. Assim veremos de que lhe servem os sonhos”.
21Rúben, porém, ouvindo isto, disse-lhes: 22“Não lhe tiremos a vida”! E acrescentou: “Não derrameis sangue, mas lançai-o naquela cisterna do deserto, não o toqueis com as vossas mãos”. Dizia isto, porque queria livrá-lo das mãos deles e devolvê-lo ao pai. 23Assim que José chegou perto dos irmãos, estes despojaram-no da túnica de mangas longas, pegaram nele 24e lançaram-no numa cisterna que não tinha água. 25Depois, sentaram-se para comer. Levantando os olhos, avistaram uma caravana de ismaelitas, que se aproximava, proveniente de Galaad. Os camelos iam carregados de especiarias, bálsamo e resina, que transportavam para o Egito.
26E Judá disse aos irmãos: “Que proveito teríamos em matar nosso irmão e ocultar o seu sangue? 27É melhor vendê-lo a esses ismaelitas e não manchar nossas mãos, pois ele é nosso irmão e nossa carne”. Concordaram os irmãos com o que dizia.
28Ao passarem os comerciantes madianitas, tiraram José da cisterna, e por vinte moedas de prata o venderam aos ismaelitas: e estes o levaram para o Egito. – Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

SALMO 104

— Lembrai sempre as maravilhas do Senhor!
— Lembrai sempre as maravilhas do Senhor!

— Mandou vir, então, a fome sobre a terra e os privou de todo pão que os sustentava; um homem enviara à sua frente, José que foi vendido como escravo.

— Apertaram os seus pés entre grilhões e amarraram seu pescoço com correntes, até que se cumprisse o que previra, e a palavra do Senhor lhe deu razão.

— Ordenou, então, o rei que o libertassem, o soberano das nações mandou soltá-lo; fez dele o senhor de sua casa, e de todos os seus bens o despenseiro.

EVANGELHO: Mt 21,33-43.45-46

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Mateus.
          – Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, dirigindo-se Jesus aos chefes dos sacerdotes e aos anciãos do povo, disse-lhes: 33“Escutai esta outra parábola: Certo proprietário plantou uma vinha, pôs uma cerca em volta, fez nela um lagar para esmagar as uvas e construiu uma torre de guarda. Depois arrendou-a a vinhateiros, e viajou para o estrangeiro. 34Quando chegou o tempo da colheita, o proprietário mandou seus empregados aos vinhateiros para receber seus frutos.
35Os vinhateiros, porém, agarraram os empregados, espancaram a um, mataram a outro, e ao terceiro apedrejaram. 36O proprietário mandou de novo outros empregados, em maior número do que os primeiros. Mas eles os trataram da mesma forma. 37Finalmente, o proprietário enviou-lhes o seu filho, pensando: ‘Ao meu filho eles vão respeitar’.
38Os vinhateiros, porém, ao verem o filho, disseram entre si: ‘Este é o herdeiro. Vinde, vamos matá-lo e tomar posse da sua herança!’ 39Então agarraram o filho, jogaram-no para fora da vinha e o mataram. 40Pois bem, quando o dono da vinha voltar, que fará com esses vinhateiros?”
41Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “Com certeza mandará matar de modo violento esses perversos e arrendará a vinha a outros vinhateiros, que lhe entregarão os frutos no tempo certo”.
42Então Jesus lhes disse: “Vós nunca lestes nas Escrituras: ‘A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular; isto foi feito pelo Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos?” 43Por isso eu vos digo: o Reino de Deus vos será tirado e será entregue a um povo que produzirá frutos.
45Os sumos sacerdotes e fariseus ouviram as parábolas de Jesus, e compreenderam que estava falando deles. 46Procuraram prendê-lo, mas ficaram com medo das multidões, pois elas consideravam Jesus um profeta

– Palavra da Salvação
– Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Quaresma, tempo da herança. Jesus conta a história que é dele mesmo com seu Pai e a humanidade. Deus fez um mundo bonito e colocou nele coisas maravilhosas e um casal feliz dotado de inteligência, vontade e liberdade. Em algum momento, uma decisão foi tomada de forma errada. Deus, porém, não abandonou suas criaturas e deu a elas força e coragem para serem positivas e produtivas. Nem sempre produziram bons frutos. Um povo foi escolhido, vieram patriarcas, vieram profetas, veio por fim o Filho de Deus. Quiseram matá-lo para ficar com a herança. Como Deus nunca perde, aceitou o desafio. Deixou que matassem seu Filho e lhes deu a herança do povo escolhido. A vitória foi do Pai e do Filho que decidiram arrendar a vinha a quem produzisse fruto, a qualquer um, de qualquer povo ou nação.
Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2016’, Paulinas.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial

Hoje, sexta-feira, percorremos o nosso caminho de conversão. Estamos em tempo de Quaresma, de Campanha da Fraternidade Ecumênica, cujo tema é “Casa comum, nossa responsabilidade” e cujo lema é “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5,24).
Deixemo-nos conduzir pelo Espírito Santo, para entendermos a mensagem de Jesus Cristo por meio de seu Evangelho.

Leitura (Verdade)

Jesus é o enviado do Pai. Mais uma vez, estamos diante do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Sabemos que, para melhor compreender o que Ele nos diz, é preciso muita atenção. Pegue o texto bíblico e faça sua leitura. Em seguida, procure perceber os verbos, as ações que mais lhe chamaram atenção; depois, leia o texto novamente. O que ele diz? Há algum personagem? Ele o faz lembrar-se de algum outro texto?
O Evangelho de hoje fala de uma vinha e seu proprietário, que viajou e alugou-a para outros agricultores. Quando chegou o tempo da colheita, mandou que seus servos fossem até os agricultores, para receber os frutos que lhe pertenciam. Os “agricultores, porém, agarraram os servos, espancaram a um, mataram a outro, e a outro apedrejaram” (Mt 21,35). Depois o proprietário enviou o seu próprio filho, pensando que iriam respeitá-lo, mas, em vez disso, mataram-no. O que fará o proprietário com os agricultores? Deus cuida de seu povo e cumpre a sua parte na Aliança, enviando o seu Filho Único para a Salvação de todos. E quanto a nós? Estamos cumprindo nossa parte?

Meditação (Caminho)

A meditação atualiza o sentido do texto até ficar claro o que Deus está nos pedindo. O que Ele está lhe pedindo neste momento? Recolha o que você leu na Palavra. Quando fica claro o que Deus pede, ficam claras também a nossa incapacidade e a nossa falta de recursos. Ou seja, Deus nos pede algo, mas é também Ele quem nos dá a capacidade de realizá-lo.

Oração (Vida)

Este é o momento de dar a sua resposta de amor e adesão a Deus. Recolha o que viveu com a Palavra e apresente a Ele. Sua resposta a Deus pode ser de louvor ou de ação de graças, de súplica ou de perdão. O importante é dirigir a Ele a sua oração pessoal, trazendo também as realidades que o(a) cercam.

Contemplação (Vida e Missão)

A Palavra se fez vida em sua vida. Observe o que você experimenta neste tempo em que está com Deus.
A contemplação é o seu ponto de chegada, a última parte da leitura orante antes de sair em missão para vivê-la. Ao longo do dia, volte ao encontro com Deus.

Bênção

– Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
– Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
– Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
– Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Leitura orante: Equipe de Redação Paulinas Internet.