Liturgia diária, Jesus anuncia sua subida a Jerusalém - Lc 9,43b-45

25ª Semana do Tempo Comum – Ano Litúrgico C

28 de setembro de 2019

ORAÇÃO DO DIA

Pai, dá-me a graça de considerar a paixão de Jesus a partir de teu modo de pensar. Só então compreenderei que se tratou da prova máxima de fidelidade a ti.

PRIMEIRA LEITURA: Zc 2,5-9.14-15a

Leitura da profecia de Zacarias – 5Levantando os olhos, olhei e vi um homem que tinha na mão um cordel de agrimensor. 6Perguntei-lhe: Aonde vais? A Jerusalém, respondeu ele, para ver qual é a sua largura e o seu comprimento. 7O anjo porta-voz conservava-se imóvel, quando veio ao seu encontro outro anjo que lhe disse: 8Corre! Fala a este jovem. Dize-lhe: Jerusalém vai ficar sem muros, por causa da multidão de homens e de animais que haverá no meio dela. 9Eu mesmo – oráculo do Senhor – serei para ela um muro de fogo que a cercará; serei no meio dela a sua glória. 14Solta gritos de alegria, regozija-te, filha de Sião. Eis que venho residir no meio de ti – oráculo do Senhor. 15Naquele dia se achegarão muitas nações ao Senhor, e se tornarão o meu povo: habitarei no meio de ti, e saberás que fui enviado a ti pelo Senhor dos exércitos.

  • Palavra do Senhor.
    – Graças a Deus.

SALMO Jr 31,10d

          — O Senhor nos guardará qual pastor a seu rebanho.
— O Senhor nos guardará qual pastor a seu rebanho.

— Ouvi, nações, a palavra do Senhor e anunciai-a nas ilhas mais distantes: Quem dispersou Israel, vai congregá-lo, e o guardará qual pastor a seu rebanho!

— Pois, na verdade, o Senhor remiu Jacó e o libertou do poder do prepotente. Voltarão para o monte de Sião, entre brados e cantos de alegria afluirão para as bênçãos do Senhor:

— Então a virgem dançará alegremente, também o jovem e o velho exultarão; mudarei em alegria o seu luto, serei consolo e conforto após a guerra.

EVANGELHO: Lc 9,43b-45

         – O Senhor esteja convosco.
          – Ele está no meio de nós.
          – Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo São Lucas.
          – Glória a vós, Senhor.

         Naquele tempo, 43Todos ficaram pasmados ante a grandeza de Deus. 44Gravai nos vossos corações estas palavras: O Filho do Homem há de ser entregue às mãos dos homens! 45Eles, porém, não entendiam esta palavra e era-lhes obscura, de modo que não alcançaram o seu sentido; e tinham medo de lhe perguntar a este respeito. 

  • Palavra da Salvação
    – Glória a vós Senhor.

Comentário do Evangelho

Quem acompanhava Jesus estava admirado com tudo o que ele fazia. Todos se maravilhavam com a grandeza de Deus. Mas, e os discípulos, o que pensavam? O que tinham na cabeça e o que tinham diante deles? Tinham ideias na cabeça, e diante deles estava o Cristo real encarnado. Imaginavam aquele que esperamos um dia em sua glória, mas lá estava o Filho do Homem, pronto para ser entregue nas mãos dos homens. São Lucas coloca estas palavras na boca de Jesus: “Prestai bem atenção às palavras que vou dizer”. Por que esse chamado de atenção? Era necessário, porque a realidade de Jesus não correspondia às imagens e ideias que eles tinham na cabeça. E eles não compreendiam e não entendiam o que Jesus estava dizendo. A história se repete ainda hoje. Como é difícil imitar o Cristo simples e pobre, ou o Cristo Bom Pastor. Parece que nos sentimos mais à vontade com o Pantocrator, o Cristo todo-poderoso, sentado num trono de poder e majestade. Mesmo repetindo e insistindo, somos, de fato, lentos em aprender o que significa “quero misericórdia e não sacrifício”. O poder e a glória encobrem com sua sombra o serviço despretensioso. Ler o Evangelho, prestar bem atenção ao que Jesus diz e ao que faz, quais são os lugares e as pessoas que frequenta, como se relaciona com o Pai e com os irmãos, tudo isso faz parte do programa de vida do cristão. Jesus é o modelo único e não podemos ser diferentes dele se o amamos, porque a imitação é a medida do amor.

Côn. Celso Pedro da Silva, ‘A Bíblia dia a dia 2019’, Paulinas

LEITURA ORANTE

Oração Inicial
No início de mais uma leitura orante, abra o seu coração para o diálogo com o próprio Deus por meio de sua Palavra. Deixe-se conduzir pela ação do Espírito Santo, que reza em nós, dizendo: “Ó divino Espírito, ensina-me tudo quanto Jesus ensinou. Dá-me inteligência para entender; memória para lembrar; vontade dócil para praticar; coração generoso para corresponder aos teus convites. Amém.”

Leitura (Verdade)
O que diz o texto? Leia-o em voz alta e pausadamente e procure repetir as palavras que mais chamaram sua atenção. Qual tema perpassa o diálogo?
“Trata-se do segundo anúncio da paixão, morte e ressurreição. É preciso não se deixar levar pelo entusiasmo e menos ainda pela euforia. A admiração das pessoas por tudo o que ouviam e viam Jesus fazer não pode ser para os discípulos uma tentação que os disperse da novidade do messianismo vivido e revelado por Jesus. Por isso, Jesus põe os seus discípulos de sobreaviso. É preciso não se deixar iludir pelas aparências nem seduzir pelo sucesso. Jesus busca prevenir os discípulos contra qualquer tipo de equívoco a respeito de sua missão ou ilusões ligadas à sua pessoa. Os discípulos não compreendem ou não podiam compreender, e, quem sabe, não queriam compreender. A incompreensão dos discípulos mostra que eles, até certo ponto, partilhavam com seus contemporâneos uma ideia de Messias que não se coadunava com a realizada em Jesus de Nazaré. A ideia de um Messias que tivesse que passar pelo sofrimento e pela morte não estava contemplada na esperança messiânica de Israel. A comunidade primitiva terá que fazer um enorme esforço para justificar diante do judaísmo o fato de Jesus, proclamado como Messias e Senhor, ter sofrido a morte dos desgraçados” (Carlos Alberto Contieri, sj, em “A Bíblia dia a dia”, da Paulinas Editora).

Meditação (Caminho)
O que o texto diz a você hoje? Qual palavra do Evangelho encontrou profunda sintonia com a sua vida, com as suas atitudes? Em sua vida, seu trabalho, seu relacionamento com as pessoas, como você procura viver os ensinamentos de Jesus? Quais sentimentos o texto despertou em seu coração?
“Jesus não se deixava deslumbrar pela sua fama e pelo número de admiradores que o procuravam. A todo instante ele tinha em mente os desafios da sua missão e as consequências de ter abraçado com fidelidade o projeto do Pai. Ele faz o anúncio da paixão aos seus discípulos, que não entenderam nada do que Jesus estava falando. O sentido das palavras de Jesus estava oculto ao entendimento dos discípulos, que não poderiam se deixar levar pelo entusiasmo e pela agitação que envolvia a vida do Cristo. Era preciso ter os pés no chão da realidade de perseguição e morte que rondava o grupo. Jesus era um Messias diferente do que Israel esperava. Eis a dificuldade de aceitar seu sofrimento e sua cruz” (Frei Mário Sérgio Souza, em “Viver a Palavra”, da Paulinas Editora).

Oração (Vida)
Retome as experiências vividas com a Palavra de Deus durante esta semana. Agradeça tudo o que a Palavra permitiu compreender e vivenciar do mistério de Cristo. Apresente ainda ao Senhor a oração que brotou em seu coração durante a leitura orante.

Contemplação (Vida e Missão)
De que forma a Palavra de Deus estará presente neste seu dia? O que você deseja colocar em prática segundo os ensinamentos de Jesus?

Bênção

  • Que Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.
  • Que Ele nos mostre a Sua face e se compadeça de nós. Amém.
  • Que volte para nós o Seu olhar e nos dê a paz. Amém.
  • Abençoe-nos, Deus misericordioso, Pai, Filho e Espírito Santo. Amém.

Paulinas